Perfeito?

mouse4

Tem coisas que só o dia dos namorados faz com vc e se inscrever em sites de relacionamento é uma delas. Não que eu quisesse desesperadamente um namorado ou sei lá o que, mas depois de tantos relatos positivos e de ter colocado na cabeça de que eu não vou conseguir nenhum namorado legal nos lugares que frequento decidi me inscrever p/ ver como era.
Criei um e-mail no hotmail e um MSN só p/ isso e depois me inscrevi no bendito site. Recebi alguns e-mails e descartei os sem foto no perfil, os feios e os velhos de cara, sem nem ler. Mentira, teve um velho gringo de 40 anos que me mandou e-mail e eu aceitei, mas eu não preciso de um site de relacionamentos p/ achar um velho gringo.
Os menos chatos mais interessantes eu adicionei no MSN e começamos a conversar. Não fiz uma média no total, mas acho que adicionei uns 10 no messenger. Desses, só 2 não eram completamente boring. E não me perguntem pq eu insisti nessa palhaçada por mais de 1 semana, mas sei lá, quis dar uma chance p/ infelizes, por pena, talvez.
Desses 2 que não eram completamente boring, um morava longe e parou de falar comigo sei lá pq e o outro morava aqui em Vitória, mas não chegamos a nos encontrar pq eu estava em semana de provas e ele teve que viajar p/ outro estado, aí nos desencontramos.
Mas esse que não era boring, era, digamos assim, completamente broxante. Não, ele não era feio, ele não era chato, ele era broxante. Não sei explicar como alguém pode ser broxante sem ser chato e feio, mas ele era e p/ piorar a broxação, da última vez que eu tive notícias dele, o infeliz me ligou gemendo (WTF?). Aí não teve jeito: desliga na cara, nunca mais atende no cel, deleta e bloqueia pra sempre do MSN, e-mail, site de relacionamento…
Depois dessa, tenho certeza absoluta que não existe par perfeito ou alma gêmeas nesse tipo de site. Tô fora!

Continue Reading

Formando Soluções

Esse é o nome do problema que me afastou do mundo virtual. Pois bem, isso consiste em um trabalho maluco que a faculdade inventou p/ 10°s períodos ESSE período! O trabalho substituiu todas as provas do 2° bimestre e como eu já falei, minha faculdade não pega leve nunca, então, é óbvio que não seria um trabalho simples.
Entregaram o relatório em outubro. SÓ o relatório tinha 18 páginas!! Era um estudo de caso sobre uma empresa com vários problemas e deveríamos emitir um parecer sobre o caso, em grupo de 4 pessoas. Ao total foram cerca de 23 problemas. Cada questão demandava um dia inteiro de estudo, só que no meu grupo todas as pessoas estavam fazendo monografia, tem duas meninas que são mães e trabalham/fazem estágio. Então foi muito tenso, mesmo! A data de entrega da belezinha foi dia 20 de novembro, na mesma semana de entrega da monografia. Então já sabem que dormir nesse período foi um privilégio que não me pertencia.
Na data de entrega do trabalho escrito eu fiquei com as meninas na faculdade de 7 da manhã às 9 da noite com a bunda grudada na cadeira do laboratório de informática terminando essa coisa. Sem contar do fato inusitado que se segue: a data de entrega oficial era 20 de novembro de 2009 às 20h no atendimento geral da faculdade. Às 19:30h, SEM terminar o trabalho (não deu tempo de fazer uma!), saímos correndo do laboratório de informática até a copiadora da faculdade p/ imprimir assim mesmo. Melhor não fazer uma questão do que não entregar o trabalho. Agora imaginem a cena de uma mulher fina, chique e elegante (tipo a Nono nessa foto), de salto, correndo pela faculdade. Era a moça mais chique da nossa sala desesperada! Então nesse desespero todo, fomos até a copiadora e ficamos sabendo que o prazo de entrega foi prorrogado para as 22h! E lá volta a gente correndo p/ laboratório de informática… a mesma pessoa chique correndo no salto, com um pen drive na mão.
Aí fomos lá terminar a porcaria da questão que não deu tempo de terminar e juntar o restante do trabalho, formatar nas normas da ABNT, fazer capa e referências. As 21h voltamos p/ copiadora munidas de 2 pen drives (vai que um dava problema?!). Chegamos lá e estava lotada, óbvio! E o tio disse que não podia xerocar e imprimir todos as 7 vias necessárias (sim, precisávamos entregar 7 vias). Aí sim, bateu o desepero. Mas o tio conversou com nossa amiga chique e disse que dava, se a gente imprimisse todas as 7 vias. Beleza, lá fui eu tomar posse da impressora e ficamos 1 hora imprimindo o trabalho: cada via deu 155 páginas!
O tio conseguiu encadernar uma, mas não dava tempo p/ encadernar as outras e conseguimos conversar na faculdade da gente entregar as 7 vias, só uma encadernada e as demais o tio encadernaria no dia seguinte p/ gente e devolveria na faculdade. E deu certo essa coisa. Só sei que as 21:59 saiu a última página da impressora e saímos eu e minha amiga gracinha do post passado correndo a maratona p/ entregrar no atendimento geral. Pontualmente as 22h jogamos as vias em cima do balcão!
Com o trabalho entregue, saiu o peso de 1085 páginas das minhas costas, pelo menos por 2 dias, pois no dia 23 foi o dia de parir a Tor Frankie.
Bem, acharam que acabou o drama chamado Formando Soluções? Não! Ainda faltava a segunda parte do trabalho: o elemento surpresa.
Ainda acho que surpresa mesmo tiveram os professores com o mar de trabalhos que invadiu a faculdade naquela semana, mas bem, a coordenação do curso ainda quis piorar nossa vida, então teve essa coisa. Eles entregaram o elemento surpresa na terça-feira da semana passada e teríamos o prazo de uma semana para apresentarmos oralmente numa banca formada por todos os professores. O elemento surpresa mudaria algumas decisões tomadas no parecer e os professores poderiam perguntam qualquer coisa p/ gente relacionada ao trabalho. Eu tenho 7 matérias na faculdade, o trabalho continha problemas de todas elas, inclusive matéria do semestre passado e coisas que nunca vimos na faculdade antes. Então já sabem: eles poderiam perguntar tudo de tudo e aí sim que bateu o desespero.
Minha apresentação foi hoje e tínhamos 15 minutos para falar sobre o caso e o elemento surpresa e mais 25 minutos de sabatina. E não só isso: deveríamos ir vestidos a carater para apresentação. Do tipo: homens de terno e gravata e mulheres com roupa social.
Depois de uma noite sem dormir lá fomos nós p/ forca e, felizmente, fomos elogiadas pelos professores por termos usado os 15 minutos exatos! (eu juro que nem ensaiamos)
E arrasamos na apresentação pq a moça chique do nosso grupo ficou rasgando seda do trabalho e falando que procurou, pesquisou, ligou p/ gerente do banco p/ descobrir as coisas e só então deu a resposta, aí com essa enrolada legal, consumiu nosso tempo de sabatina e os professores só puderam fazer mais uma pergunta, que minha amiga soube responder só por causa do estágio anterior dela. :D
Enfim, após esse estresse todo, tenho certeza absoluta que a apresentação da monografia será super tranquila e posso dizer agora: finalmente, desempregada (férias é p/ quem trabalha ou estuda, não p/ quem conclui curso).

Continue Reading