Monthly Archives:October 2013

  • Livro: Até eu te encontrar

    Post Image

    ateeuteencontrarGraciela Mayrink
    (5/5)
    Editora Novo Conceito
    2013
    382 páginas

    Sinopse: O quanto uma mudança de cidade pode afetar uma vida? Você acredita em alma gêmea? Como você se sentiria se não gostasse do grande amor da sua vida? É o que Flávia vai descobrir ao deixar Lavras, onde mora com os tios desde o acidente que matou seus pais, quando era criança. Aos dezoito anos, ela decide estudar Agronomia na Universidade Federal de Viçosa, trocando o sul de Minas pela Zona da Mata do mesmo Estado na esperança de uma “mudança de ares”. Em sua nova vida, ela conhece Sônia, amiga de infância de sua mãe e agora sua vizinha, que lhe conta a história de sua família materna, até então desconhecida para Flávia. Embora o passado não seja sua maior preocupação, Flávia reluta em aceitar seu destino e ainda precisa superar uma paixão não correspondida pelo seu melhor amigo. Para se ver livre dessa rejeição, ela tenta atrair sua alma gêmea para Viçosa e descobre que o grande amor de sua vida é uma pessoa que ela não suporta.

    Opinião: Esse foi um dos livros que eu não dei muita bola quando foi lançado. Gostei da sinopse e quis ler principalmente por ser de autoria nacional, mas coloquei ele na minha fila de leitura e não tive pressa nenhuma para chegar nela.
    Até que eu comecei a ler e não consegui mais desgrudar do livro de tão gostosa que era a leitura.
    O livro tem o clima da minha novela queridinha de 2002, Coração de Estudante. Ele se passa todo em Viçosa, interior de Minas e tem todo aquele clima jovial e esperançoso de início da faculdade, que é uma delícia!

    Como te falei, certas pessoas são colocadas em nossa vida, nosso caminho, por algum motivo especial.
    P. 108

    Flávia, caloura de agronomia na universidade, conhece Felipe logo no primeiro dia de aula, quando estava prestes a entrar na sala de aula onde iria acontecer um trote. Felipe, veterano, a “salva” do trote e depois disso eles se tornam amigos.
    Como a cidade é pequena e é tudo muito perto, eles acabam se encontrando na padaria e ele se oferece para lanchar com ela, na casa dela.
    Felipe é de Alfenas, cidade vizinha de Lavras, cidade de Flávia e eles descobrem que já estiveram próximos diversas vezes, sem nunca terem se encontrado até o primeiro dia de aula em Viçosa. Felipe foi para Viçosa junto com seu melhor amigo, Ricardo e o irmão dele, Luigi. Lá eles dividiam a casa com Mauro e formaram a república Máfia. Os quatro eram melhores amigos e inseparáveis, até que um dia, voltando de uma festa, aconteceu um trágico acidente de carro, que tirou a vida de Ricardo e marcou profundamente a vida dos moradores da república da Máfia. Luigi trancou a faculdade para um ano sabático na Europa, junto com a mãe. Mauro e Felipe continuaram em Viçosa, estudando, mas Felipe sentia-se culpado pelo acidente e decidiu que viveria por ele e por Ricardo, aproveitando todas as festas universitárias e todas as oportunidades de alegria que a vida lhe proporcionasse.
    Entre Flávia e Felipe cresce aquela amizade genuína e sincera de dois jovens longe de casa, encarando os desafios de uma nova vida fora de casa.
    Felipe a leva para as festas universitárias e a apresenta a Mauro e aos bares e restaurantes da região.
    Além de Felipe, Flávia imediatamente faz amizade com Gustavo, um colega de curso, que está tão deslocado quanto eles.
    Achei interessante o fato da Flávia só ter amigos universitários homens e a forma como ela interage com eles, joga sinuca e toma cerveja. Achei que isso mostrou bem a característica descolada e independente da personagem, que é bem diferente dessas jovens que só tem amigas do sexo feminino, bebe batida de vodca e nem sabe como se pega em um taco de sinuca.
    Logo nos primeiros dias, Flávia conhece Sônia, dona de uma loja de produtos esotéricos, que ela logo descobre que é sua vizinha e que foi uma das melhores amigas de sua mãe.
    Por meio de Sônia, Flávia conhece Lauren, filha dos amigos de Sônia e que também eram amigos de sua mãe. Lauren e Flávia se tornam melhores amigas e começam sair juntas e a trocar confidências. Lauren e Sônia são as únicas amigas mulheres de Flávia. No meio de tanto homem, achei bem bacana ela ter outras mulheres para tricotar e compartilhar segredos femininos.

    – Aproveite o momento, mas não se envolva. Ainda não é a hora nem a pessoa.
    P. 109

    O que Flávia não esperava era que tanto Sônia quanto sua mãe e a mãe de Lauren eram bruxas e praticantes da Wicca. Gostei da forma como a Graciela aborda a Wicca e explica alguns princípios, porque muitas pessoas, como a própria Flávia, possuem um preconceito muito grande com a religião. Acho que a forma como a autora abordou isso foi ótima para diminuir o preconceito e a aversão.
    Mas como a vida não é feita apenas de festas universitárias e jogos de sinuca, Flávia acaba ficando com Felipe e isso atrapalha um pouco a amizade entre eles, porque ela acaba se apaixonando pelo rapaz.
    Só que Felipe é o tipo de cara que não namora e não se apega a ninguém. Flávia sabe disso desde o início e sofre porque não consegue deixar de se apaixonar por ele.

    – Não sofra querida. Sua alma gêmea está no seu destino. Ele vai aparecer. Mas não tem problema você apressar isso.
    P. 154

    Aos poucos Flávia vai se interessando pela Wicca e decide fazer uma simpatia para atrair sua alma gêmea, para assim ela poder esquecer de vez Felipe e ser feliz plenamente.
    Claro que as coisas não serão tão simples assim, principalmente depois que Luigi volta da Europa.
    A vida de Flávia não fica mais fácil depois que ela faz a simpatia, nem depois que ela descobre quem é a sua alma gêmea. Ela acaba ganhando inimigos, que querem fazer mal de verdade a ela.

    – Eu sei disso, mas fazer o quê? O coração não obedece à cabeça, embora eu saiba que é uma furada me apaixonar por ele.
    P. 173

    Eu gostei tanto do livro e do clima de faculdade da história que fiquei triste quando cheguei ao fim e li o epílogo. Queria manter a imagem dos personagens sempre jovens e estudantes na minha cabeça, mas no epílogo eles já se formaram e seguiram com a vida de adulto. Fiquei #chatiada.
    Apesar das 382 páginas, a leitura é bem rápida, pois o livro é cheio de diálogos e a linguagem é bem simples. Os capítulos são curtos e dá para ler tudo em uma única tarde.
    Os personagens são bem carismáticos e a gente se apaixona de cara pelo Felipe e pela Lauren. Foram os meus favoritos e pelo o que eu andei vendo por aí, de muita gente também.
    Não achei que a capa tivesse muito a ver com a história e só fui entender direito o chapéu de bruxa no meio da leitura, quando eu vi que a mãe de Flávia era bruxa e que tinha uma pitada de Wicca na trama. Talvez se fossem utilizadas imagens relacionadas com o universo universitário eu teria gostado mais. Não ficou feia desse jeito, mas me lembrou muito Sabrina, a aprendiz de feiticeira e não é nesse sentido que a história flui.
    O miolo do livro é simples e o acabamento também, mas eu gostei.

    Comments Off on Livro: Até eu te encontrar
  • BC: Filmes para assistir no Halloween

    Post Image

    Quando eu era mais nova eu adorava o Halloween, sempre achei a festa emprestada mais legal para ser comemorada. Sempre tinha festas à fantasia na escola, no cursinho de inglês (foi a primeira balada dentro de uma buatchi que eu fui \o/), mas eu gostava mesmo porque eu ganhei por dois anos consecutivos o prêmio de melhor fantasia.
    Tinha muitas outras bruxinhas bonitinhas na escola, mas eu era a única com os cabelos coloridos e de batom verde.
    Mas eu não comemorava o Halloween apenas nas festinhas, eu tinha quase que um ritual caseiro de assistir a vários filmes com a temática e selecionei os melhores para compartilhar com vocês:
    abracadabra

    #5 AS BRUMAS DE AVALON
    Morgana (Julianna Margulies) recorda que a maioria do que foi dito sobre o Rei Arthur (Edward Atherton) e aqueles que o cercavam é mentira, pois, como sacerdotisa de Avalon, onde nasceu a religião da Deusa-Mãe, viveu estes acontecimentos, que começaram quando acontece o maior levante já visto na Bretanha. Os saxões varriam o país matando igualmente cristãos e seguidores da deusa de Avalon. Se um grande líder não unisse cristãos e pagãos, a Bretanha estaria condenada ao barbarismo e Avalon ao desaparecimento.

    Eu acho que assisti a esse filme na época em que ele foi lançado (2001), mas só fui dar mais atenção a ele depois que eu li a série e comecei a lembrar de algumas partes. Tem no YouTube e o que eu mais gosto é do cenário e do clima medieval.
    Esse filme foi o responsável por eu ver presença de rituais pagãos em todo canto.

    #4 EU SEI O QUE VOCÊS FIZERAM NO VERÃO PASSADO
    Em uma pequena cidade costeira, quatro adolescentes atropelam e supostamente matam um desconhecido. Com medo das conseqüências deste acidente, decidem se livrar do corpo e o jogam no mar. A vida de cada um dos quatro toma rumos diversos e um ano depois, eles se reencontram na mesma cidade e uma das jovens recebe um bilhete dizendo: “Eu sei o que vocês fizeram no verão passado”. Deste momento em diante mortes acontecem, todas causadas por um gancho de pescador.

    Depois que eu vi Pânico eu fiquei viciada nesses filmes de serial killers e como era “moda” no fim dos anos 90 esse tipo de filme eu vi todos e várias vezes cada um deles.
    Por causa de thrillers eu dei o maior fora em um garoto que estudou comigo. No dia dos namorados de um passado bem remoto, encontrei um vidro de perfume e um cartão no meu portão. Surpreendentemente, o presente era de um colega meu que eu “odiava”. A gente passou 2 ou 3 anos brigando na escola porque ele gostava das All Saints e eu das Spice Girls, mas depois que nossa escola fechou fomos estudar em lugares diferentes, mas íamos no mesmo transporte escolar e começamos a conversar e a lucrar com nossas diferenças musicais. Ele me dava todas as folhas de revistas com reportagens das Spice Girls, Five ou Britney Spears (eu era fã da Brit em um passado remoto) e eu dava reportagens com Christina Aguilera e All Saints para ele. E por causa dessa negociação ele achou que talvez pudesse ser mais que um amiguinhoo e me enviou o presente e me convidou para ir à pizzaria.
    Eu liguei para ele quando recebi o cartão, agradeci tudo e disse que não poderia sair com ele e inventei uma desculpa qualquer. Resolvi o problema e comecei a assistir meu thriller. Uns 40 min depois, na parte mais emocionante do filme, ele me liga, eu nem tive tempo (ou vontade) de apertar o pause. Atendi, ainda prestando atenção na televisão e ele perguntou: “Você não pode sair comigo, ou você não quer?” Sem pensar, estava assistindo ao filme e o assassino estava atrás da loira, respondi “Não quero”. Aí eu me dei conta da merda que tinha dito e tentei consertar, piorando a situação… “Quer dizer, não posso, mas também não quero.”
    Ele desligou e eu nunca mais tive notícias do garoto.
    Poderia ter ficado com trauma de filmes assim, mas não, ele não valia tanto a minha pena. E nesse estilo, a trilogia Eu sei o que vocês fizeram… é a minha segunda favorita.

    #3 JOVENS BRUXAS
    Uma jovem (Robin Tunney) se muda de São Francisco para Los Angeles para começar uma nova vida. Lá conhece três alunas do colégio onde estuda que se dedicam ao ocultismo e à magia (tanto que têm a fama de bruxas entre seus colegas). Quando as quatro fazem amizade e começam a praticar magia juntas, desencadeiam um poder que foge do controle, gerando trágicas consequências.

    Eu tenho quase certeza de que não existe uma garota nos anos 90 que não gostou desse filme. Ele era tão legal, tinha uma mistura de Caça Talentos (Fada Bela *_*), girls band e mistério. A gente começa assistindo achando que as bruxas são legais, mas mal compreendidas e no final nossa opinião muda bastante.

    #2 PÂNICO
    Sidney Prescott (Neve Campbell) começa a desconfiar que a morte de dois estudantes está relacionada com o falecimento da sua mãe, há cerca de um ano. Enquanto isso, os jovens da pacata cidadezinha começam a receber ligações de um maníaco que faz perguntas sobre filmes de horror. Quem erra, morre. As perguntas seguem uma lógica que será desvendada numa grande festa escolar.

    Definitivamente MEU FILME FAVORITO de todos os de suspense. Assisti a todos os filmes diversas vezes e mesmo achando que o 4º filme fosse ficar uma droga eu assisti e amei. Acho que é um dos poucos filmes em que as continuações ficaram no mesmo nível do primeiro.
    Por favor, se puderem, façam uma maratona de Pânico nesse Halloween e se divirtam com os sustos.

    #1 ABRACADABRA
    Winnie (Bette Midler), Sarah (Sarah Jessica Parker) e Mary (Kathy Najimy) são três bruxas do século XVII, que chegam ao século XX após seus espíritos serem evocados no Dia das Bruxas. Banidas há 300 anos devido à prática de feitiçaria, elas estão dispostas a tudo para garantir sua juventude e imortalidade. Porém precisarão enfrentar três crianças e um gato falante, que podem atrapalhar seus planos.

    Quem nunca assistiu a esse filme que atire a primeira pedra. Acho que depois de A Lagoa Azul, esse foi o filme mais exibido na televisão, principalmente nessa época do ano.
    Por ser um filme da Disney não tem como não ser divertido e não tem como não amar. As bruxas são hilárias e totalmente desengonçadas (como todos os vilões de filmes de comédia) e as crianças espertas demais. Impossível não amar, se divertir e ligar esse filme diretamente ao Halloween.
    Na verdade, se eu fosse dona do mundo, criaria uma lei que faria todo mundo assistir a esses filme no Halloween de tanto amor que ele é.

    Também comemoram o Halloween e fazem a Blogagem Coletiva: AmandaAnyBabeeBárbaraCamilleCarlaCarolDebsDudaGuiLilikaLomaLola Luci CarolineMarianaMih PattyRenataRodrigoThaisVictoriaVinicius

  • Livro: Tipo Destino

    Post Image

    TIPO_DESTINOSusane Colasanti
    (4/5)
    Editora Novo Conceito
    2013
    288 páginas

    Sinopse: Lani e Erin são melhores amigas, embora não tenham muito a ver uma com a outra. Lani é uma taurina tranquila e Erin é a impetuosa leonina. Uma adora Astrologia (e outras artes adivinhatórias também) e ficar em casa; a outra gosta de pessoas e baladas. Suas preferências — incluindo pizzas e meninos — são bastante diferentes, ou eram, até que Erin começou a namorar Jason… Assim que Lani conheceu o namorado de Erin, sentiu uma enorme conexão com ele. Uma sensação de que já se conheciam a vida toda. E, apesar de acreditar que ele sentia o mesmo, ela sempre soube que Jason estava fora de cogitação, afinal, ele era quem ele era! Ela decidiu ignorar seus sentimentos. Não importava o quanto quisesse ficar perto de Jason, nada a demoveria da ideia de se manter distante dele. Então, Erin viajou durante todo o verão…

    Opinião: Quem já leu algo da Susane Colasanti não deve esperar nenhuma grande inovação ou mudança no estilo.
    Só achei esse livro um pouco mais parado em relação aos outros dois que eu li, mas isso quer dizer que a leitura seja ruim. Não consegui ler em um dia, como eu esperava e cochilei duas vezes em cima dele, o que demonstra o tom monótono da história.
    Lani e Erin são melhores amigas desde crianças, dessas que fazem tudo juntas e trocam confidências.

    Se não fôssemos tão amigas, talvez eu sentisse inveja por Erin ter um garoto que gosta dela e eu não. Mas só sinto feliz por ela. Erin e eu estamos ligadas para o restante da via. E isso não é o mesmo que sermos melhores amigas. Quero dizer, somos melhores amigas, mas nossa relação vai além disso.
    P. 23

    Então um dia Erin começa a sair com Jason, ela está animada e empolgada com o relacionamento como nunca esteve antes. Só fala do rapaz com Lani e pede ajuda à amiga para descobrir mais sobre ele.
    Lani começa a almoçar todo dia com Jason, eles começam a trocar confidencias e a conversar muito e percebem que eles têm mais em comum do que jamais imaginaram.

    Jason me entende. Ele entende até as coisas que nem mesmo eu sabia que estava tentando dizer.
    P. 83

    Mas Erin sempre acreditou na fidelidade da amiga e nunca desconfiou que pudesse ter nada demais entre Lani e Jason. Nem Lani queria se envolver com Jason para magoar a amiga.

    Erin não se importa que Jason e eu nos sentemos juntos no almoço. Ela adora que sejamos amigos. Antes daquele dia em que todos saímos junto para comer pizza, Erin estava preocupada com a possibilidade de que eu e Jason não nos gostássemos, o que teria acabado com sua empolgação para que todos saíssemos juntos.
    P. 93

    Só que eles se apaixonaram e não sabem o que fazer.

    Tenho vontade de contar a ele tudo o que venho pensando, mas não posso. O que é péssimo. É péssimo que Erin e eu estejamos apaixonadas por ele, mas ele só tenha se apaixonado por uma de nós.
    P. 116

    O livro é dividido em três partes. A primeira parte é Abril – Maio, a segunda, Junho – Agosto e a terceira, Setembro – Outubro. Os capítulos são curtos e isso facilita bastante a leitura.
    A linguagem é simples e o vocabulário utilizado é bem jovial.
    Gostei bastante do livro, mas não amei. Gostei de como a Lani é ligada em Astrologia e coisas místicas. Ela acredita piamente em Destino e que tudo acontece por um propósito.
    Não sei se é uma fase da adolescência, mas eu e minhas amigas também tivemos nossas fases de “viciadas” em horóscopo e foi bem divertido relembrar disso por meio de Lani e Erin.
    A história só fica interessante mesmo quando Lani e Jason resolvem assumir o romance. Isso cria inúmeros conflitos e é quando há mais ação e emoção.
    Mas é tudo bem previsível.
    Um personagem que eu amei foi o Blake. Adoraria ter tido um melhor amigo gay na minha adolescência como ele. Blake é o sonho de consumo de toda garota e ele é um fofo.
    O canadense Connor também me cativou e adoraria se esses dois personagens tivessem sido mais explorados, eles fizeram toda diferença.