Monthly Archives:March 2014

  • Segunda Pop: dance 90’s

    Post Image

    Eu gosto muito das músicas dance dos anos 90 porque elas me lembram a época que eu era criança e fiz curso de modelo e o DJ só tinha um CD (ou era K7?) velho com os clássicos do início da década.
    Toda vez que eu escuto as músicas eu lembro dessa época boa sem responsabilidade alguma.
    Vem começar a semana dançando, gente, vem!
    polypop_segundapop_dance
    Dance 90s by Poly on Grooveshark

    polypop_segundapop_dance_joeychandler

  • Desafio 52 semanas: Semana 13

    FICO SEM GRAÇA QUANDO…

    Tenho que cobrar alguma coisa de alguém
    Principalmente se for dinheiro. Não ligo de emprestar e nem tenho pressa de receber de volta, mas tem vezes que chega naquele momento constrangedor de pedir de volta e eu odeio e fico sem graça :(

    Cometo um erro
    Eu erro e dou minhas mancadas, mas odeio fazer isso na frente dos outros. Já conto meus passos 1000 vezes antes de sair de casa para evitar esse tipo de coisa, só para evitar o constrangimento depois

    Preciso usar o telefone
    Consegui superar muitos problemas da fobia social, mas não consigo fazer um mísero telefonema. E se me ligam eu tenho vontade de sair correndo e me esconder embaixo da cama. Já inventaram mensagem de texto e e-mail gente, vamos facilitar as coisas?
    Já sabem, se eu te ligar é porque eu gosto mesmo de você.

    Tropeço na rua e as pessoas notam e comentam
    Já basta a humilhação de quase cair em público e pagar um mico, ainda tem gente que faz questão de anunciar que ela presenciou a cena. Menos meu povo, bem menos. Por favor, só venham falar comigo se eu cair na rua e estiver desacordada, fora isso ignorem e finjam que não aconteceu. Obrigada. De nada.

    Recebo uma cantada
    Já aprendi a receber elogios sinceros. Mas o que se faz quando se está andando na rua e o gari dá aquele grito “Ohhhhhh lá em casaaaaa?”
    Abaixo a cabeça, fico vermelha e finjo que não é comigo.

  • Livro: Enders

    Post Image

    ENDERSLissa Price
    (4/5)
    Editora Novo Conceito
    2014
    288 páginas

    Sinopse: Depois que a Prime Destinations foi demolida, Callie pensou que teria paz para viver ao lado do irmão, Tyler, e do amigo, Michael. O banco de corpos foi destruído para sempre, e Callie nunca mais terá de alugar-se para os abomináveis Enders. No entanto, ela e Michael têm o chip implantado no cérebro e podem ser controlados. Além disso, o Velho ainda se comunica com Callie. O pesadelo não terminou. Agora, Callie procura uma maneira de remover o chip – isso pode custar sua vida, mas vai silenciar a voz que fala em sua mente. Se continuar sob o domínio dos Enders, Callie estará constantemente sujeita a fazer o que não quer, inclusive contra as pessoas que mais ama. Callie tem pouco tempo. Obstinada por descobrir quem é de fato o Velho e desejando, mais que tudo, uma vida normal para si e para o irmão, ela vai lutar pela verdade. Custe o que custar.

    Opinião: Enquanto Starters foi de tirar o fôlego, achei Enders bem aquém do esperado. Acho que o maior problema foi a distância entre os lançamentos. Esperar mais de um ano pela continuação de um livro é bem triste.
    Eu comecei a ler e não me lembrava de quase nada, apenas que aconteceu a Guerra dos Esporos e que Callie tinha assinado um contrato para alugar o seu corpo na Prime Destinations. Não lembrava nem que o nome da protagonista era Callie quando comecei a ler Enders.
    Achei que a dificuldade inicial de relembrar fatos da história atrapalharam minha leitura, pois perdi muito o ritmo no início.
    O livro é bem fininho (apenas 288 páginas) e eu espera mais revelações, mais mistério e mais aventura.

    – Tenho uma bomba na cabeça e ela pode explodir a qualquer momento. Nunca mais vou me sentir segura. Nem eu, nem nenhum dos outros Metais, incluindo seu neto, Kevin. Você não pode desistir.
    P. 35

    Depois que a Prime Destinations é demolida a vida de Callie não fica mais fácil. Apesar de ter uma tutora responsável por ela e por seu irmão Tyler e uma casa para morar, Callie ainda passa por grandes dificuldades. Ela sai para ajudar outros Starters que não tiveram seu mesmo destino doando comida a eles, mas ela quer fazer mais.
    Apesar da Prime não existir mais, ela e outros Starters possuem chips instalados em suas cabeças (são os Starters chamados de Metais), que podem ser acessados por Enders. O Velho começa a se comunicar com Callie e a ameaça-la. Então, ela sem saber o que fazer acaba confiando em Hyden, filho de seu grande inimigo, para proteger-se e também proteger Tyler e Michael.

    Meus olhos se fixaran em Hyden enquanto estávamos sentados em seu furgão. Será que ele abriria um sorriso e diria que era brincadeira? Será que estava mentindo? Ou será que era louco?
    P. 45

    A cada página o livro vai ganhando mais ritmo e há mistérios a serem desvendados, deixando a história ainda mais interessante.
    Senti falta de saber o que aconteceu com Tyler enquanto Callie e os outros saíram se aventurando e algumas respostas à respeito do pai dela, mas fora isso gostei muito da história.

    Será que eu conseguiria me lembrar daquele cheiro? Registra-lo para que me lembrasse dele quando sentisse saudade do seu abraço?
    P. 146

    Só acho que deveria ter o terceiro livro, Middle. Fazer uma duologia com uma distopia tão interessante é muita tortura para os fãs de livros assim.

    – É tudo por causa do dinheiro, então? Você não está fazendo isso porque acredita em alguma coisa?
    – As pessoas fazem qualquer coisa por dinheiro. – Ele examinou suas unhas. – Ainda não percebeu?
    P. 254

    A capa metálica é linda demais! Dá vontade de ficar olhando para ela o tempo todo.
    A diagramação interna das páginas segue o mesmo estilo de Starters e eu amei. A formatação e a fonte utilizada facilitam a leitura.