Monthly Archives:March 2017

  • Livro: Diário de uma paixão

    Nicholas Sparks
    (5/5)
    Editora Arqueiro
    2017
    176 páginas

    Duke é um senhor idoso que vive em uma clínica de repouso. Ele gosta de ler poemas para outros pacientes, mas na sua rotina há um momento especial dedicado a uma senhora com Alzheimer. Todos os dias ele lê para ela um diário especial e espera que ele faça um milagre acontecer.
    Ele espera que com a leitura do diário a senhora tenha momentos de lucidez e o reconheça. Às vezes o milagre acontece e a senhora se comporta normalmente, em outros dias a doença a deixa totalmente fora de si.
    O diário conta a história de Allie Nelson e Noah Calhoun, dois jovens apaixonados que se separaram, mas anos depois se reencontram e revivem a paixão.
    Só que ainda há um empecilho para que eles fiquem juntos: Allie está noiva de um advogado bem-sucedido. Agora ela precisa escolher entre o amor de sua vida ou a estabilidade que sempre quis, ao lado de um homem ocupado.
    Diário de uma paixão é um livro sobre o amor e sobre como ele pode transcender barreiras e superar obstáculos.

    Os românticos chamariam isso de história de amor; os cínicos de tragédia. Na minha cabeça, é um pouco das duas e, no fim das contas, independentemente de como se decida encarar as coisas, isso não muda o fato de que essa história tem que ver com grande parte da minha vida e o caminho que escolhi seguir.
    P. 8

    Quem acompanha meu blog há mais tempo sabe que eu sempre tive um caso de amor e ódio com o Nicholas Sparks. Alguns livros eu amo, outros eu odeio, mas no fim das contas eu sei que será uma leitura agradável.
    Com Diário de uma paixão eu sabia que estava em um território seguro e que iria gostar da leitura. Era um livro que eu queria ter lido há anos, mas só agora tive a oportunidade. Já conhecia a história e assisti ao filme (apesar de não lembrar exatamente), então a leitura foi muito fluída.

    – Os poetas muitas vezes descrevem o amor como uma emoção que não podemos controlar, que subjuga a lógica e o bom senso. Foi assim para mim. Não planejei me apaixonar por você, e duvido que você tenha planejado se apaixonar por mim. Mas, quando nos conhecemos, ficou claro que nenhum de nós poderia controlar o que estava acontecendo conosco. Nós nos apaixonamos apesar das nossas diferenças e, quando isso aconteceu, algo raro e bonito se criou. Para mim, um amor assim só aconteceu uma vez, e é por isso que cada minutos que passamos juntos ficou gravado na minha memória. Nunca vou esquecer um único instante.
    P. 87

    Li em poucas horas (a maior parte delas na sala de espera do consultório médico) e isso foi ótimo para minha fase leitora que empaca nos livros. Cada livro terminado em poucas horas é um alento, um motivo de comemoração. Obrigada, Tio Sparks.
    Depois de ler diversos livros do autor, pegar o primeiro dele foi uma experiência bem interessante. Ao ler percebi o quanto ele evoluiu e como ele melhora com o tempo.
    Posso não amar todos os livros, mas reconheço que ele faz jus aos números de venda e a tantos fãs conquistados ao longo do mundo.

    – Você não pode viver para os outros. Tem que fazer o que é certo para você mesma, ainda que isso magoe algumas das pessoas que ama.
    P. 116

    Em relação à edição, eu amei muito! Uma das capas mais bonitas de livros do autor. Ela me deu muita vontade de ler o livro.
    Miolo simples, com páginas amareladas, textura e gramatura excelentes e uma fonte que facilita a leitura. Um ótimo trabalho! Os capítulos começam na página da direita (eu amo isso!).
    As narrativas de Duke são em primeira pessoa, mas as do diário são em terceira. Gostei dessa alternância de perspectiva. Ficou interessante.
    É um ótimo livro para curar ressaca literária ou ler em uma tarde.
    Até quem não gosta do Nicholas vale a pena dar uma chance.

  • Livro: Escândalo de Cetim

    Loretta Chase
    (5/5)
    Editora Arqueiro
    2016
    272 páginas

    Escândalo de Cetim é o segundo livro da série As Modistas e conta a história de Sophia Noirot, irmã do meio entre as três proprietárias do refinado ateliê Maison Noirot, em Londres.
    Sophia possui um talento enorme para desenhar chapéus e bolar planos infalíveis para conseguir o que quer.
    Essa característica da modista se torna indispensável quando lady Clara Fairfax, a cliente mais importante do ateliê, é seduzida por um lorde mal-intencionado e é obrigada a se casar com ele.
    Desesperada com o seu futuro, Clara foge de casa. Neste momento, Sophia se une ao conde de Longmore, irmão de Clara, para que ambos consigam encontra-la e salva-la da situação vexatória.
    Se por um lado Sophia usa de todos os artifícios para vestir as damas da sociedade londrina elegantemente, Longmore usa de toda sua sedução para despi-las. Apesar de diferentes, Sophia e Longmore ao trabalharem juntos percebem que podem ter muito em comum e dão início a uma historia de amor cheia de química.

    – O amor não vai encontrar espaço em minha vida. Não sou como você. Não sou sensível. Se o amor quiser tomar conta de mim, ele terá que se esforçar mais. Além de me dar um coice no traseiro, terá que me amarrar e me bater para chegar ao meu cérebro.
    P. 17

    Agradeço aos deuses por este livro ter caído em minhas mãos bem no meio da pior ressaca literária que eu já tive na vida. Não estava conseguindo engatar em nenhuma leitura. Todos os livros me davam preguiça e eu ficava com vontade de abandonar e arrastava na leitura com muita dificuldade. Mas Escândalo de cetim me fez devorar o livro em poucas horas, coisa que eu não fazia a tempos.
    Loretta trouxe uma história envolvente, com um casal muito divertido e sensual. Me deleitei com a história e ri bastante das tramas e ideias que Sophia tinha.

    – Uma mulher pode pensar que conhece os homens, mas só os conhece de verdade depois que um homem a acaricia.
    P. 98

    Uma das coisas que eu mais gostei é que se trata de um romance de época, mas as mulheres são independentes e possuem ideias feministas. As irmãs Noirot se saem muito bem sozinhas e fazem os homens de idiotas. É cada tirada que elas têm que eu me apaixonei a cada parágrafo.
    Lady Clara também é uma mulher interessante e inteligente, mas é subestimada por ser bonita e rica. É extremamente agradável ver como ela vai desabrochando e se tornando mais confiante ao longo da história e consegue demonstrar toda sua força e inteligência.

    – É interessante, não é mesmo, como o adultério se torna um crime torpe quando é cometido por uma mulher. Mas o homem que trai praticamente ganha uma medalha de honra.
    P. 201

    O livro segue o mesmo estilo do primeiro da série. Design da capa com imagem semelhante e miolo no mesmo padrão. Simples, elegante e bonito.
    Editora Arqueiro seguindo com seu trabalho impecável do início ao fim.

  • Livro: Ninfeias Negras

    Michel Bussi
    (3/5)
    Editora Arqueiro
    2017
    352 páginas

    Ninfeias Negras conta a história de três mulheres que moram na mundialmente conhecida cidadezinha de Giverny, na França, onde Claude Monet pintou a série Nenúfares. As três personagens são completamente diferentes entre si, mas estão ligadas de um modo, pois todas têm o desejo comum de irem embora da cidade.
    Nesta cidade bucólica o respeitado oftalmologista Jêromé Morval é encontrado morto com uma punhalada no coração, a cabeça esmagada por uma pedra e submerso em um lago. Os investigadores encarregados do crime encontram junto ao corpo um cartão-postal com a reprodução de uma das Ninfeias de Claude Monet, com uma mensagem de aniversário com a frase escrito: “O crime de sonhar eu consinto que seja instaurado”.
    Neste cenário embarcamos na história de Michel Bussi tentando compreender a ligação entre todos esses fatos.
    A história é contada por uma mulher de 84 anos que observa o desvendar do crime da janela de sua casa. É por meio dela conhecemos todos os fatos.

    A coincidência lhes parece perturbadora, talvez? Exagerada? Tenham certeza de uma coisa, uma só: não há coincidência alguma em toda essa série de acontecimentos.
    P. 75

    As três mulheres do vilarejo são Fanette, uma garota prodígio de 11 anos que sonha em ser uma grande pintora. A segunda é Stéphani Dupain, professora da escola local, ela é casada, tem 36 anos e sonha em encontrar um amor libertador. A terceira mulher é a senhora de 84 anos que não revela seu nome.

    – Tá, se eu estiver entendendo bem o que você diz, vamos supor que haja uma dúvida. Por qual ângulo você gostaria de abordar a história?
    P. 134

    Eu sou fã de thrillers policiais e estava muito empolgada em começar a leitura, mas demorei muito para engrenar e a leitura não rendeu tanto quanto eu queria.
    É um livro surpreendente, uma história muito criativa e inteligente. O final é incrível e inimaginável e me chocou muito. Um dos melhores finais de thriller. Todas as resenhas elogiando este ponto do livro estão mais do que acertadas.
    Mas eu não gostei da escrita do Michel. Não embalei e nem peguei ritmo para ler sem parar e fiquei muito decepcionada pois esperava que este livro fosse me tirar da ressaca literária.
    Pensei que fosse gostar do autor tanto quanto gosto de Dan Brown, pois há arte envolvida, fala um pouco de Monet e das Ninfeias, mas infelizmente a leitura não foi como imaginei.

    – Não sabemos, chefe. Na verdade, não estamos entendendo mais nada.
    P. 238

    É um livro muito bom. A capa é linda e a editora tomou um cuidado muito especial com o livro. Um ótimo trabalho, mas eu dei só 3 estrelas por não ter me encantado com a leitura.