Elizabeth Gilbert
(5/5)
Sinopse: Quando completou 30 anos, Elizabeth Gilbert tinha tudo que uma mulher americana moderna, bem-educada e ambiciosa deveria querer um marido, uma casa de campo, uma carreira de sucesso. Mas não se sentia feliz: acabou pedindo divórcio e caindo em depressão. “Comer, Rezar, Amar” é o relato da autora sobre o ano que passou viajando ao redor do mundo em busca de sua recuperação pessoal.
Opinião: Já tinha assistido ao filme e amado. Nesse exato momento eu soube que deveria ler o livro, pois saberia que amaria ainda mais. Só tinha um porém, Comer, Rezar, Amar não é o livro mais barato da livraria, então fiquei procurando uma promoção boa para comprá-lo. Na hora que o encontrei por um preço bem camarada na Saraiva não hesitei nem um pouco em trazer o bonitinho pra casa ^_^
O livro é melhor que o filme, óbvio e bem melhor do que eu esperava. Deliciei cada linha e cada experiência da Elizabeth como se eu estivesse vivendo aquilo tudo. Terminei de ler o livro feliz e leve, como se estivesse encontrado meu próprio equilíbrio.
O único ponto negativo em ter assistido ao filme antes foi que eu fiquei imaginando a Julia Roberts nas cenas e a voz que narrava tudo era a da Julia :S #aloka
Passei por alguns problemas como os da Elizabeth e quando ela encontrava alguma solução para os seus problemas eu conseguia ver outro caminho para meus próprios problemas. Parece que passei a enxerga a vida de uma outra forma.
Incrível como um livro pode fazer a gente se sentir assim.
É impossível uma pessoa comum não se maravilhar com os lugares e experiências da autora e querer vivenciar aquilo tudo também. Fiquei impressionada com tudo vivenciado pela Liz e queria fazer o mesmo, nem que fosse por pelo menos um mês.
O bacana foi que ela realmente viveu a cultura dos lugares por onde passou, não foi uma viagem superficial só vendo pontos turísticos e as belezas das cidades, ela realmente se incorporou na cultura local e absorveu tudo que podia e isso é ótimo tanto para ela que viveu as experiência, quanto para os leitores que tiveram uma vivência mais real e profunda.
Não consigo encontrar palavras para dizer o quanto amei o livro e posso até parecer meio repetitiva nas minhas palavras, mas é tipo um dos melhores livros ever e acho que todos devem ler, ao menos uma vez na vida. Vale muito à pena!