Eu queria dizer que dei uma chutada legal na dieta, na verdade relaxei um pouco nessa coisa de evitar farinha branca e andei tomando uns sorvetinhos por aí.
Nada exagerado, mas acima do meu limite estabelecido. E sim eu me importo.
Não engordei, mas os números no meu exame de sangue sofreram pequenas modificações por causa desses hábitos. Os exames ainda estão bons, mas eu queria melhorar…
Ano passado quando fiz os exames meus triglicerídeos estavam em um valor baixo, no último exame (este ano) eles subiram uns 3 ou 4 números. É pouco, eu sei, mas minha intenção não é aumentar esse valor e sim diminuir.
Já o meu colesterol HDL diminuiu 3 pontos e eu estou querendo aumentar esses valores.
Então fico chateada quando percebo que poderia me esforçar mais…
#vidasaudavel
Mas o que esses nomes e valores significam?
Todo mundo coloca a culpa no aumento de peso, diabetes, doenças cardíacas e colesterol alto nas gorduras, mas nem toda gordura é ruim.
As gorduras monoinsaturadas são gorduras boas e devemos consumi-las frequentemente. Essas gorduras estão presentes no azeite de oliva, nos óleos de amendoim e canola, no abacate e na maioria das nozes.
Essas gorduras ajudam a diminuir o nível de colesterol total, pois fazem o colesterol bom (HDL) aumentar e o colesterol ruim (LDL) diminuir.
Já as gorduras poli-insaturadas ficam em cima do muro. Elas podem ser benéficas, se consumidas em pequenas quantidades, pois contêm ácidos graxos ômega-6. Essas gorduras estão presentes em óleos como o de milho, girassol e algodão. Se elas forem consumidas em excesso podem ser prejudiciais à saúde.
E as vilãs da história são as gorduras saturadas. Essas gorduras são sólidas e estão presentes laticínios integrais e seus derivados (leite, queijo, manteiga). Também estão presentes no leite de coco, manteiga de cacau e azeite de dendê.
Outras gorduras prejudiciais são os triglicerídeos, quando consumimos alimentos preparados com derivados de açúcar ou farinha refinada. Essas gorduras podem obstruir as artérias que levam sangue ao coração, então seus níveis devem ser sempre controlados.
As gorduras trans são as mais nocivas de todas e estão presentes em vários alimentos industrializados (principalmente os que contêm ingredientes com a palavra hidrogenada), como margarina, salgadinhos, biscoitos, barras de cereal, sopas, molhos enlatados, refeições congeladas, fast-food, etc. O consumo exagerado desses alimentos aumenta os riscos de diabetes, resistência à insulina, doenças coronárias, insuficiência cardíaca e câncer.
azeite
Falando assim na lata muita gente se assusta e fica sem saber o que comer, porque a maioria dos produtos que a gente consome no dia a dia possui algum tipo de gordura, mas saber dosar tudo é que faz a diferença.

Colesterol

O colesterol é um elemento que está presente nas membranas celulares dos animais e forma a estrutura dos hormônios e dos ácidos biliares do organismo. Nem todo colesterol é ruim.
Há três tipos de colesterol.
O colesterol total se refere à quantidade total de colesterol no organismo. Ele é a soma de todo o colesterol e de toda gordura que consumimos, mais a quantidade de colesterol produzida pelo fígado.
O colesterol LDL (low-density lipoprotein) é o colesterol ruim. Ele é assim chamado porque possui uma capacidade maior de obstruir artérias e causar infarto. Ele se origina principalmente do consumo exagerado de gorduras saturadas e de alimentos com alto teor de colesterol.
Com uma dieta equilibrada e a prática de atividade física esse colesterol tende a diminuir.
Algumas pessoas (~eu~) possuem esse colesterol elevado por causa da genética, neste caso, pode haver a necessidade de se tomar um medicamento para reduzi-lo.
O colesterol HDL (high-density lipoprotein) é o bom colesterol. Ao contrário do LDL, esse colesterol ajuda a evitar a formação de depósitos de gordura nas artérias e também diminui os níveis de LDL no sangue.
Para aumentar o colesterol bom (HDL) é bom praticar atividade física regular, consumir gorduras monoinsaturadas (#vemnimim azeite extra-virgem e nozes) e ácidos graxos ômega-3 (presentes em peixes como salmão e atum (#partiu restaurante japonês).
Meu pecado é sempre arrumar uma desculpa para praticar atividade física 2 vezes na semana e falhar o resto e não consumir peixe frequentemente.

Além do colesterol, temos também os

Triglicerídeos

Eles são uns dos principais lipídeos presentes no sangue e possuem uma grande importância na transferência da energia dos alimentos para as células.
O principal problema dos triglicerídeos é que a gente consome essa belezinha em excesso. Aí ele pode provocar diabetes, resistência à insulina, doenças coronárias, etc.
Eles estão presentes em alimentos feitos com açúcar refinada, carboidratos simples, gorduras saturadas e álcool.
Uma alimentação rica em fibras e com carboidratos complexos, além da prática regular de atividade física ajuda a diminuir esses níveis.
Eu acho que para todo mundo que faz dieta (seja qual for o motivo, saúde ou estética) o maior problema está em diminuir o consumo de carboidratos simples, porque eles são viciantes (comprovadamente por cientistas e médicos) e consequentemente em diminuir os triglicerídeos. E não adianta apenas querer ficar longe, é necessário muita força de vontade para resistir a um pãozinho quentinho, recém saído do forno…
croissant
Vocês desanimaram tanto quanto eu para o desafio Vida Saudável? Então vamos nos reanimar!

Desafio da semana para mim (e quem estiver desanimado como eu):

– Praticar atividade física 3 a 5 vezes nesta semana (a gente consegue, eu sei que sim!);
– Trocar o pãozinho ou o biscoito do lanche por uma fruta ou uma porção de nozes;
– Colocar azeite extra-virgem na salada;
– Comer salmão ou atum essa semana (sim, vale ir no japonês, mas nada de encher o prato de ‘hots’)