Do ônibus

Eu imaginei nossas loucuras
As tardes matando aula para namorar
Esconder de todos o nosso namoro
Aquela sensação boa de amar

Eu imagine você entrando pela porta
Depois do trabalho nos separar por um dia
Você me abraça, chora e despeja suas lamúrias
E com um beijo logo me acalmaria

Eu imaginei o nosso casamento
A nossa lua-de-mel em Paris
As noites de núpcias inesquecível
E podendo leva-la onde você sempre quis

Eu imaginei a nossa casa
Sempre bagunçada com nosso cão e filhos
Você me perguntando se estava tudo bem
E eu lhe respondia com meu sincero sorriso

Eu imaginei uma vida para nós dois
Mas você partiu meu coração
Do ônibus você levantou e saiu…
Espero um dia continuar esta ilusão.

HONORATO, Sandro

Para mais textos e poesias visite o Rimas do Preto.

Veja também