Lauren Kate
(4/5)
Sinopse: Há algo estranhamente familiar em Daniel Grigori. Misterioso, ele captura a atenção de Luce Price desde o momento que ela o vê em seu primeiro dia no internato Sword & Cross, em Savannah, Georgia. Ele é o único brilho em um lugar onde celulares são proibidos, os outros alunos são toscos e câmeras de seguranças acompanham todos os movimentos. Mesmo que Daniel não queira nada com Luce, e faz com que isso fique bem claro, ela não consegue deixar pra lá. Atraída por ele como uma mariposa é atraída por uma chama, ela tem que descobrir o que Daniel está tão desesperado pra esconder, mesmo que isso possa matá-la.
Opinião: Esse foi mais um desses livros que eu gostei da capa e comprei só pra ver o que era e me surpreendi positivamente com ele. Nem li a sinopse para saber do que se tratava e fui logo querendo ler… E o tamanho (406 páginas) também me deixou mais animada (adoro livros “grandes”).
Então comecei minha leitura despretenciosa e lá pelo meio do caminho, sem entender bulhufas, resolvi ler a sinopse e não me ajudou em nada!
Luce vai para um reformatório porque vê coisas estranhas e é suspeita na morte de um menino. E o livro vai narrando como foi essa chegada na escola, seus amigos e descobertas por lá. Mais da metade do livro para narrar esses fatos e contar sobre o dia-a-dia da Luce, sem nada de muito interessante e relevante.
Mas a curiosidade só vai aumentando porque quase não tem “cenas” com o Daniel e quando ele aparece é bem misterioso. Então a gente fica nessa ansiedade de saber que diabos há com ele, porque a Luce ver essas sombras e qual a relação entre isso tudo.
Esse quebra-cabeça só chega ao fim nas últimas páginas do livro, então são quase 400 páginas de muita ansiedade e mistério.
A narrativa é muito boa, detalhada e algumas vezes acho até que há uma certa enrolação do desenvolver da história (eu sou meio objetiva para as coisas), mesmo assim gostei bastante e recomendo a leitura.
Não foi meu livro favorito do ano, mas até anotei a seguinte citação de tão fofa que achei:

“Lutar pela única coisa que ela sabia que era boa o suficiente, nobre o suficiente, poderosa o suficiente para valer a pena arriscar tudo. O amor.”

Acho que esse gênero de livros com meninas adolescentes se apaixonando por seres imortais/que podem matá-las está na moda, mas mesmo sendo modinha eu gosto. E Fallen se enquadra nos livros desse estilo que mais gostei :)