Editora Agir

O PODER DOS QUIETOS
Fenômeno de vendas, livro de Susan Cain mostra que a introversão, atualmente encarada como um traço de personalidade de segunda classe, pode ser extremamente produtiva e foi essencial para ideias que impulsionaram o desenvolvimento de nossa sociedade

Um dos livros mais vendidos do ano nos Estados Unidos segundo o jornal The New York Times, O poder dos quietos, da americana Susan Cain, lançado no Brasil pela Editora Agir, mostra que a introversão é ingrediente fundamental para a criatividade e a inovação.
O sistema de valores contemporâneo segue a crença de que todos precisariam se sentir confortáveis sob a luz dos holofotes. O que o leitor descobre em O poder dos quietos é que algumas das maiores ideias humanas — da teoria da evolução aos girassóis de Van Gogh e os computadores pessoais — vieram de pessoas quietas que sabiam como se comunicar com seus universos interiores. Sem os introvertidos não haveria a teoria da relatividade, os noturnos de Chopin, o Google.
O temperamento extrovertido é atraente, mas, segundo Susan, foi transformado em um padrão opressivo que muitos, mesmo contra sua própria essência, se acham obrigados a adotar. “Pessoas introvertidas são pensadores atentos e reflexivos, capazes de tolerar a solidão que a produção de ideias requer. A implementação dessas boas ideias, por sua vez, implica em cooperação, e introvertidos são mais propensos a preferir ambientes cooperativos, enquanto os extrovertidos costumam favorecer a competição”, afirma a autora.
O livro esclarece ainda algumas dúvidas comuns, mostrando que a palavra “timidez” não pode ser tida como um sinônimo de “introversão”: esta é o medo da desaprovação social e da humilhação, enquanto aquela é a preferência por ambientes onde não predominam os estímulos externos. Ao contrario da introversão, a timidez é inerentemente dolorosa.
Assim com acontece com outros opostos complementares (masculinidade e feminilidade, Ocidente e Oriente, liberais e conservadores), a humanidade seria irreconhecível sem a divisão entre introvertidos e extrovertidos. Poetas e filósofos têm pensando sobre o assunto desde o início dos tempos, sendo que os dois tipos aparecem na Bíblia e em escritos da antiguidade clássica. O poder dos quietos, assim, leva o leitor a se aprofundar no comportamento humano e mudar a maneira pela qual enxerga a si mesmo.
SOBRE A AUTORA: Susan Cain, antes de se dedicar à escrita, exerceu por sete anos a profissão de advogada em grandes empresas e trabalhou como consultora de negociações, treinando profissionais das mais variadas áreas. Vive com o marido e os filhos em um chalé do século XIX às margens do rio Hudson, em Nova York.


HADES
Segundo livro da trilogia de Alexandra Adornetto traz de volta a heroína Bethany Church, um anjo no corpo de adolescente, que agora será levada às profundezas do inferno

Hades é a continuação de Halo, livro que entrou na lista de best-sellers do New York Times uma semana após ser lançado, em 2010, quando a autora Alexandra Adornetto tinha apenas 18 anos. Munida de uma mitologia original, Alexandra tece uma narrativa que carrega o frescor da série Harry Potter combinado à abordagem cuidadosa dos dilemas juvenis que fizeram de Crepúsculo um fenômeno. O livro é um lançamento da Editora Agir.
Bethany Church é um anjo no corpo de uma adolescente, enviado para combater as forças das trevas. Se em Halo ela estava se acostumando com a vida na Terra e lidando com os dilemas da idade, em Hades ela será levada às profundezas do inferno – e lá terá contato com o lado mais sombrio da natureza humana.
A trilogia, que será concluída em Heaven, ganha um segundo capítulo repleto de ação e reviravoltas, no qual a batalha entre anjos e demônios cresce a patamares assustadores. Mas o elemento central da narrativa continua sendo o poder do amor, capaz de reduzir diferenças e promover a harmonia entre os mais diversos grupos.

Editora Nova Fronteira

TUDO OU NADA
A HISTÓRIA DO BRASILEIRO PRESO EM LONDRES POR ASSOCIAÇÃO AO TRÁFICO DE DUAS TONELADAS DE COCAÍNA
Livro de Luiz Eduardo Soares narra a trajetória de um velejador e ex-operador do mercado financeiro que conheceu o tráfico internacional de drogas por dentro

Autor de Elite da Tropa 1 e 2, Luiz Eduardo Soares lança agora um dos thrillers mais eletrizantes de toda a literatura brasileira. Tudo ou Nada é a história do brasileiro que deixou para trás uma milionária carreira no mercado financeiro e se tornou peça central na conexão Colômbia-Caribe-Inglaterra do tráfico internacional de drogas. O livro relata fatos reais e apresenta ao leitor o personagem Lukas Mello, que renuncia a um futuro promissor na alta sociedade carioca em nome da suprema liberdade de dar a volta ao mundo num veleiro. Um rebelde que, anos depois, vai parar numa penitenciária de segurança máxima em Londres, ao ser preso por associação ao tráfico internacional de drogas. Luiz Eduardo ilumina de forma emocionante a trajetória deste anti-herói, retratando a vida do carioca Ronald Soares, que trava uma guerra contra o próprio destino.
No Rio de Janeiro da década de 1970, Lukas parecia um yuppie exemplar: habilidoso negociador no mercado financeiro, ele se casou com uma das moças mais cobiçadas da cidade. Em pouco tempo, o sonho se mostra uma furada e é chutado para o alto em nome de um velho projeto: comprar um veleiro e passar os anos seguintes entre oceanos, em clima de paz e amor, vivendo aventuras – algumas delas à margem da lei ? na companhia constante da maconha e da cocaína.
O consumo recreativo foi gradualmente se transformando em dependência e, de volta ao solo carioca, a desgastante retomada de uma rotina social e profissional leva Lukas a buscar um refúgio perigoso na heroína. Foi quando aconteceu o reencontro que mudaria sua vida: um velho amigo o ajuda a se livrar do vício, ao mesmo tempo em que lhe apresenta ao negócio milionário do tráfico internacional de drogas. Entre 1996 e 1999 Lukas atuou como uma espécie de representante comercial de um grupo ligado ao Cartel de Cali, onde ficou conhecido como “o economista”. O sonho de uma aposentadoria próspera, no entanto, seria rapidamente trocado pela cela claustrofóbica da penitenciária inglesa, após a condenação a 24 anos de reclusão e uma tentativa de fuga cinematográfica.
“Meu desejo é que o livro faça pensar e sirva para informar sobre o funcionamento dessa máquina meio fantasmagórica, de que todos falam e pouquíssimos conhecem por dentro: o tráfico de drogas”, afirma Luiz Eduardo Soares. Entre veleiros glamorosos, assassinos profissionais e especialistas em disfarces, Tudo ou Nada revela os bastidores do tráfico internacional de cocaína – das negociações em plena selva colombiana à chegada à Europa, passando pela logística montada para o transporte da droga, que, dividida em dezenas de caixas de cigarro de 25 quilos, é lançada ao mar do Caribe e resgatada por iates e veleiros. É um livro que surpreende ao juntar dois pontos de vista bastante diferentes: o de um homem que conheceu o tráfico por dentro e de um dos maiores especialistas em segurança pública do país.

Quero muito ler a trilogia de Halo (alô viciada em séries?!) e O poder dos quietos, afinal como uma boa tímida não posso deixar de saber mais sobre essa característica, né?! *_*