A_MAIS_PURA_VERDADEDan Gemeinhart
(5/5)
Editora Novo Conceito
2015
219 páginas

Mark é uma criança que está fugindo de casa. Em sua bagagem ele leva seu cachorro Beau, uma máquina fotográfica, um caderno, uma caneta, dinheiro, poucas peças de roupa, equipamento de alpinismo e alguns alimentos.
Ele tem uma passagem de trem (só de ida) e dá pistas erradas sobre seu verdadeiro destino para que ninguém o impeça de chegar onde precisa ir.

– Essa será a maior caminhada de todas. Essa é a mais pura verdade.
P. 9

O livro possui capítulos curtos e são divididos entre capítulos e “meios capítulos”, por exemplo: capítulo 1 e capítulo 1 1/2. Nos capítulos “inteiros” a história é contada por Mark, em primeira pessoa, narrando sua aventura pelo mundo e nos capítulos “1/2” vemos o que está acontecendo em sua casa, com sua família e amigos preocupados e a narrativa é em terceira pessoa. As situações acontecem concomitantemente e podemos entender melhor a história com essa divisão.

Mesmo a muitos quilômetros de distância,
um amigo ainda pode segurar sua mão
e estar ao seu lado.
P. 27

Mark tem o plano de escalar o Monte Rainier e ele quer fazer isso nem que seja a última coisa que ele faça. Escalar o monte e completar esse plano é o que mais importa para ele agora. Mark parece uma criança normal, ele tem um ótimo cachorro, uma melhor amiga chamada Jessie, gosta de fotografar e de escrever haicais e prometeu ao seu avô que iria escalar uma montanha.
Mas ele tem uma doença e precisaria ficar internado no hospital para tomar medicamentos e fazer o tratamento, mas se ele fizer isso agora pode ser que ele nunca cumpra a promessa de escalar a montanha, pois ele pode não se curar dessa doença.

Claro que eu estava sozinho. Mas eu tinha Beau ao meu lado. E um Beau valia mais que um mundo inteiro de solidão.
P. 63

Pode parecer uma história triste e fazendo uma análise posterior da leitura é sim triste, mas é uma leitura tão leve e gostosa que não tem carga alguma de tristeza nas linhas. Eu li o livro todo em uma noite. Peguei para ler alguns capítulos antes de dormir e quando percebi tinha terminado o livro.
Os capítulos e meio-capítulos são todos cheios de suspense e queremos saber logo o que vai acontecer com Mark, se ele vai conseguir chegar a seu destino, se sua família vai encontrá-lo, se Jessie vai contar sobre o plano dele…
São tantas possibilidades que eu não consegui dormir sem terminar de ler tudo e a leitura flui muito bem, sem perceber eu devorei tudo.
É um livro que fala de superação e amizade o tempo todo. Não de forma triste, ou de um modo meio “auto-ajuda”. É um garoto vivendo uma aventura ao lado de seu melhor amigo, sem dramas, sem medos, sem tragédias. Essa é a mais pura verdade.
Se trata dessas histórias fofas que a gente tem vontade de abraçar o livro e o protagonista (e o cachorro) ao término da leitura.
Eu não esperava nada da leitura e me surpreendi muito positivamente.
Além da ótima história e da capa linda, o miolo é perfeito. A demarcação dos capítulos é feita em páginas pretas com fontes brancas, com o título grande e centralizado e a distância que falta para Mark chegar ao seu destino em baixo. E os “meio” capítulos são em páginas brancas com fonte preta. O desenho da fenda na capa está presente em cada página que demarca os capítulos.
Ficou um trabalho muito bonito.
A única coisa que eu não gostei no livro foi o papel utilizado. Achei a qualidade um pouco inferior, tipo papel de jornal. Não gosto deste material porque as páginas amarelam e se desgastam muito rápido. Como é um livro para ficar na minha biblioteca pessoal sem muito manuseio, acho que não terei muitos problemas, mas prefiro páginas feitas com outro material.