a_voz_do_arqueiro (5/5)
Mia Sheridan
Editora Arqueiro2015
336 páginas

A voz do Arqueiro conta a história de Bree Prescott, que acabou de passar por uma fase difícil e decide deixar tudo para trás e recomeçar a vida. Então ela parte. Assim que chegou à pequena cidade de Pelion, em Maine, ela se encantou pelo lugar e decidiu ficar.
Uma das primeiras pessoas que ela conhece é Archer Hale, um lindo homem sarado, com olhos hipnotizantes, um visual selvagem e um ar misterioso.
Bree fica bastante intrigada com o gato e não consegue esquece-lo. Como quem não quer nada, ela começa a perguntar dele para os moradores e descobre que ele é mudo e teve um passado difícil.
Archer perdeu os pais quando ainda era criança e viveu com um tio, que era mal visto pelos moradores, até ficar maior de idade.
Pouco a pouco Bree vai se aproximando de Archer e descobrindo seus mistérios. Juntos eles conseguem encontrar um meio de curar suas respectivas feridas e criam uma ligação única.

Havia algo em Archer Hale que me intrigava… algo que eu nao conseguia compreender. E ia além do fato de ele não conseguir ouvir ou falar e de eu estar familiarizada com essa condição em particular. Pensei a respeito por algum tempo, mas não consegui chegar a nenhuma conclusão.
P. 33

A voz do arqueiro é um livro bem clichê, com muito romance, bem sensível, envolvente e sensual. É narrado em primeira pessoa e os capítulos são intercalados entre os personagens principais, Bree e Archer.
Achei que pelo o fato de Archer ser mudo os diálogos entre ele e Bree poderiam ser chatos e sem química, mas muito pelo contrário. A única diferença na narrativa é que os diálogos são por linguagem de sinais e escritos em itálico. E sim, a química entre eles é bem intensa, diga-se de passagem.
O livro é o primeiro da série Signos do Amor e a editora Arqueiro já lançou os títulos O coração do leão, O leão ferido e Veneno.
Cada livro é inspirado em um signo do Zodíaco e conta um pouquinho da mitologia na introdução. Neste livro, é contada a lenda de Quíron, o centauro.

O ferimento de Quíron simboliza o poder transformador do sofrimento – a maneira como a dor, tanto física quanto emocional, pode se tornar fonte de grande força moral e espiritual.
P. 8

Acho que o que me motivou na leitura foi o fato dos livros serem baseados no Zodíaco. Não sou a louca do horóscopo, mas gosto sim de ver essas coisas astrológicas. É divertido.
Não há menção ao signo dentro da narrativa, mas pela introdução vemos a relação entre a lenda e Archer. É uma relação singela e indireta, não espere nada muito denso, se sua intenção for apenas esta.
Gostei da história, de como ela foi escrita, do nível de romance… A dose de sexo foi na medida certa e o nível erótico também.
Não tem pegação sem sentido, nem “eu te amo” depois de uma de sexo. Achei que o romance fluiu bem naturalmente, na medida do possível neste gênero.

Eu ri. Os olhos dele cintilaram e se desviaram para a minha boca. Senti de novo aquele frio na barriga e nós dois desviamos o olhar.
P. 89

O miolo não tem nada demais, é simples, mas com uma fonte de bom tamanho e boa para a leitura. Mas a capa… OMG! Que modelo lindo, enorme, cheio de músculos e semi nu. Fora a sedução, a capa também é simples, apenas com brilho no nome da obra.
Gostei muito do resultado final da edição. Acho que preciso ler os próximos rs.
Alguém já leu? Conhece a série? Qual o melhor livro até agora?