Susane Colasanti
(3/5)
Editora Novo Conceito
2012
240 páginas
Sinopse: Quando Brooke descobre que o amor de sua vida, Scott Abrams, está se mudando do subúrbio de New Jersey para Nova York, ela decide segui-lo até lá. Viver com o pai ausente e se adaptar a uma escola totalmente nova são desafiantes para ela — e as coisas ficam ainda piores quando ela descobre que Scott já tem uma namorada. Mas como ela aprende a sobreviver na cidade grande, começa a descobrir todo um novo lado de si mesma e percebe que, às vezes, o amor pode te encontrar mesmo quando você não está olhando para ele.

Opinião: Estava querendo um livro fininho para ler e peguei esse sem nem olhar a sinopse direito, se tivesse lido não me surpreenderia tanto assim.
Claramente é um livro adolescente, todo passado no ambiente escolar e com personagens adolescentes. Mas o fato que mais me chamou a atenção foi a protagonista largar tudo para ir atrás de um garoto que ela mal conhecia. Ela tinha essa paixonite platônica pelo Scott Abrams, colocou na cabeça que ele era o amor da vida dela e decidiu largar escola, amigos e a mãe para morar com o pai, que ela não via há 6 anos.
Eu sei que adolescentes muitas vezes fazem coisas sem pensar, mas qual a lógica disso tudo?!
No início eu até achava que Brooke e Scott eram amigos ou até mesmo próximos e ele teve ir para Nova York e ela resolveu ir atrás dele e mostrar que o amava, mas logo nos primeiros capítulos fica claro que eles mal se conheciam.
Esse fato por si só me fez desgostar da protagonista. Então eu descubro que a menina é uma gênia, com QI acima da média, mas, que por não concordar com o sistema escolar, tira notas baixas e não quer que ninguém saiba que ela é superdotada.
Novamente, qual a lógica?
Adolescentes normalmente não concordam com o sistema e querem lutar para consertar o mundo (pelo menos eu convivi com vários deles na minha época de Ensino Médio), mas daí desperdiçar a chance de estudar nas melhores universidades por causa de birrinha com o sistema?! Sério. Nunca vi ninguém fazer isso, principalmente quando eles estão no último ano escolar e todo mundo só está pensando em ir para universidade.
Achei meio sem sentido uma garota inteligente como a Brooke fazer tantas imbecilidades. Ficou muito artificial.
Ao longo do livro ela vai amadurecendo e conhecendo novos amigos que a ajudam nesse processo, mas mesmo assim achei o enredo a desejar. Por isso, apesar do livro ser fininho e de leitura leve acabei demorando mais do que o normal para terminar de ler.
Apesar disso, a autora faz descrições bem interessantes de Nova York e nos deixa morrendo de vontade de conhecer os lugares por onde a Brooke passa para ficarmos observando os detalhes, principalmente as caixas-d’água suspensas.
Quanto ao design, adorei a capa! É jovem, descontraída e a fotografia é linda!
A diagramação é boa e o miolo é bonito, não tem excepcional, mas o visual limpo deixa a leitura fluir bem.
Não encontrei nenhum erro substancial no texto como um todo.