BONECA_DE_OSSOSHolly Black
(4/5)
Editora Novo Conceito
2014
221 páginas

Sinopse: POPPY, ZACH E ALICE sempre foram amigos. E desde que se conhecem por gente eles brincam de faz de conta – uma fantasia que se passa num mundo onde existem piratas e ladrões, sereias e guerreiros. Reinando soberana sobre todos esses personagens malucos está a Grande Rainha, uma boneca chinesa feita de ossos que mora em uma cristaleira. Ela costuma jogar uma terrível maldição sobre as pessoas que a contrariam. Só que os três amigos já estão grandinhos, e agora o pai de Zach quer que ele largue o faz de conta e se interesse mais pelo basquete. Como o seu pai o deixa sem escolha, Zach abandona de vez a brincadeira, mas não conta o verdadeiro motivo para as meninas. Parece que a amizade deles acabou mesmo…

Opinião: Boneca de Ossos marca a estreia do selo #irado da Editora Novo Conceito, que tem como público alvo leitores entre 8 e 13 anos. Mas isso não impede que os que já passaram dessa fase de ler e gostar das histórias.
Posso dizer que a editora estreou o selo com o pé direito, pois o livro é maravilhoso! O trabalho de divulgação ficou muito bom! Adorei o com o livro embrulhado em papel pardo e uma fitinha vermelha. Simples, mas lindo! A bonequinha pendurada deu um toque todo especial e eu a utilizei depois como marcador de página.
A capa é linda! Tem o ar misterioso do livro e dá aquela vontade de começar a leitura imediatamente. O trabalho nas páginas internas também ficou ótimo. Comparando com outros títulos da Novo Conceito, não há tantos detalhes assim nas páginas, mas ficou perfeito. Há algumas ilustrações de partes da história, mas não em todos os capítulos. Há apenas um detalhe no título dos capítulos e uma fonte diferente na paginação. Menos com certeza foi mais nessa obra. Gostei muito.

E a única forma de não contar a ninguém era acabar com a brincadeira.
P. 31

Em relação à história, o livro conta uma aventura vivida por Poppy, Zach e Alice. Os três são amigos desde pequenos e gostam de brincar com bonecos. Eles criam histórias sensacionais com seus bonecos. Zach é dono do boneco William, um pirata, capitão do “Pérola Netuno”. Alice é dona da boneca Lady Jane, uma ladra que começa a viajar com William. Os três brincam na casa de Poppy, que atualmente é uma sereia que tenta naufragar os barcos e é “dona” da Grande Rainha.
A Grande Rainha é uma boneca de porcelana de ossos, que fica guardada na cristaleira da casa de Poppy. Eles não tem permissão de brincar com a boneca, pois ela é muito valiosa e a mãe de Poppy planeja vendê-la para ter uma vida melhor. Mas isso não impede que os jovens criem histórias fantásticas com a boneca.

Mas, naquela noite… Bem, eu vi uma menina morta.
P. 59

Os amigos são tão fascinados pelas histórias que brincam que o tempo todo ficam planejando novas aventuras e trocando bilhetes com perguntas e respostas sobre a vida de seus personagens. O problema é que atualmente eles estão entrando na adolescência e as brincadeiras não são vistas como normais pelos adultos ou outras crianças. Mesmo eles não se importando tanto com isso e amando a brincadeira esses fatores conseguem interferir na diversão dos três.

– Não vamos comprar nada – ele disse. – Somos piratas, lembram?
P. 132

O pai de Zach toma uma atitude drástica para acabar com a brincadeira do filho e o deixa bastante chateado.
Ainda não estando pronta para terminar a história e parar de brincar, Poppy surge com uma missão para os dois amigos: eles devem viajar para outra cidade para libertar o espírito de Eleanor, uma garotinha que morreu e não teve os seus restos mortais enterrados. Ela se transformou em uma boneca de ossos e só terá paz quando seus ossos estiverem descansando no túmulo da família.

Aquilo parecia um pouco real demais, existir um ceramista com uma história horrível.
P. 189

Agora Zach e Alice devem decidir se juntam-se a Poppy nessa aventura e provam que são amigos de verdade ou esquecem essa história de brincadeiras e seguem com a vida adulta.
O livro é cheio de mistério e aventura. Não achei que teve terror, mas acho que eu fosse mais nova teria sim me assustado um pouco (o que eu achava delicioso naquela fase).

Talvez houvesse um segredo ali, um segredo que poderia não os ajudar a terminar a jornada, mas provaria que foi uma jornada real. Uma jornada real para um fantasma real.
P. 189

A narrativa é em terceira pessoa, tem vários diálogos e é de fácil leitura, mesmo para o público alvo.
É um livro muito bem escrito e inteligente. Vai agradar não apenas os adolescentes, como também os que já passaram dessa fase.
É uma leitura rápida e muito prazerosa, vale à pena cada frase lida. Super indico a todas as idades!