CURE_MEU_CORACAOMelissa Walker
(4/5)
Farol Literário
2015
272 páginas
Skoob

Clem é uma adolescente que está em crise consigo mesma, ela fez uma besteira e quer esquecer de tudo. No momento, ela está passando as férias de verão com a família em um veleiro, com um humor terrível e necessitando de privacidade, mas isso é uma coisa impossível quando se está em um barco com outras três pessoas de sua família.
Sabe aquelas histórias clichês de adolescentes? Cure meu coração é bem isso. Mas é leve, cativante, divertido e eu embarquei de cabeça na história.

Este é o Meu Verão, para que eu descubra quem eu sou, quem são meus amigos e como consertar as coisas que aconteceram no último ano.
P. 69

Clem tem, ou tinha, uma melhor amiga chamada Amanda, elas faziam tudo juntas e trocavam muitas confidências. Durante o ano escolar Amanda arrumou um namorado, Ethan, e ele passou a fazer parte do mesmo círculo de amizade das meninas. Ethan e Clem faziam algumas aulas juntos e tinham muita coisa em comum e se conectaram quase que instantaneamente.
No início essa amizade entre os dois era perfeita. Amanda se sentia bem ao ver a melhor amiga e o namorado se dando tão bem, mas com o passar do tempo as coisas começaram a ficar estranhas, aconteceram vários mal entendidos e o clima ficou bem pesado entre o trio.
Assim que as aulas terminaram Clem embarcou com seus pais e sua irmã Olive para uma viagem no veleiro de família, o Tudo é possível, e na viagem ela fica refletindo sobre os acontecimentos e tentando escrever uma carta de reconciliação para Amanda.
Quando eu comecei a ler e vi que a história se passava em um veleiro eu logo imaginei a família Schurmann se aventurando pelo mar e lembrei dos episódios com eles no Fantástico.
Gostei muito de ver um cenário tão diferente em uma história.
Mesmo estando velejando apenas com a família, Clem encontra com outros velejadores que estão fazendo a mesma rota que eles e chegam a ficar amigos.
George e Ruth são um casal de idosos, donos da gata pirata Sra. Bigodes e estão sempre se encontram com Clem e sua família.
James Townsend e seu pai também estão sempre por perto e logo Clem fica amiga de James. Não por vontade própria, mas porque sua irmã Olive e James são bem insistentes nesse ponto.
Apesar de Clem ser muito melodramática e estar sempre divagando sobre o passado, ela não é uma protagonista chata. Os personagens secundários são tão bons e divertidos que a última preocupação que eu tive no livro foi com Clem.
Olive tem 10 anos e é a irmã mais nova mais incrível que eu já vi. Sempre alegre, de bem com a vida e fazendo de tudo para deixar a irmã mais feliz.
James é um rapaz encantador, além de ter lindos olhos azuis e cabelos ruivos (ui!) ele é divertido e um fofo! Aquele garoto certinho, educado, que ajuda os mais velhos e toda mãe sonha em ter como genro.
Todas essas pessoas, além dos pais de Clem a ajudarão a superar essa crise e mostrar que a vida continua e com muita coisa boa para acontecer.
Como eu disse, é um livro leve como uma brisa, ótimo para ser lido em uma tarde preguiçosa. Em alguns momentos da leitura eu fiquei tão vidrada na história que eu podia sentir o cheiro de maresia e o balanço do barco sob os meus pés.
É uma leitura adorável.
A capa é linda nesses tons de verde-água e tenho vontade de ficar olhando para ela por horas, me traz paz.
O miolo é simples, mas os capítulos são bem divididos. A história é narrada em primeira pessoa, mas há alternância entre passado e presente. Nessa divisão do tempo há singelos barquinhos fazendo a separação.
Altamente recomendado.