desejo dos mortosKimberly Derting
(4/5)
Editora Intrínseca
2012
288 páginas

Sinopse: Enquanto tenta manter seu segredo, Violet, involuntariamente, torna-se objeto de uma perigosa obsessão. Seu primeiro impulso, como sempre, seria pedir ajuda ao melhor amigo, Jay – porém, agora que os dois são um casal, as coisas não funciona mais assim. Ele passa cada vez mais tempo com um novo colega, Mike, e Violet tem oportunidade de sobra para pensar e repensar sobre o que, afinal, está fazendo seu namoro dar errado. É então que ela se dedica a investigar a vida do récem-chegado Mike, e diante da trágica história familiar do garoto Violet se depara com uma verdade capaz de colocar todos eles em extremo perigo.

Opinião: Lembro que não esperava nada de Ecos dos Mortos e me surpreendi tanto que criei uma expectativa muito boa para Desejos dos Mortos. Não me decepcionei, apesar de achar que o primeiro livro foi melhor.
A narrativa da Kimberly continua no mesmo tom de romance adolescente combinado com suspense e investigação, mas não teve nenhum elemento tão impressionante que me mantivesse presa ao livro do mesmo modo como aconteceu com Ecos da Morte.
Claro que há todo o mistério envolvendo Sara Priest que aparece surpreendentemente na vida de Violet e de algum modo conhecendo seu segredo e também as ameaças que ela recebe, mas nada disso é muito intenso.

Violet acabou o chá, pensando na ideia de passar um fim de semana em um chalé com Jay e Chelsea. Longe da cidade. Afastada de quem quer que estivesse deixando animais mortos e bilhetes arrepiantes para ela.
P. 147

O romance entre Violet e Jay apesar de amadurecer também sofre um abalo, mas os momentos deles juntos ainda causando suspiros (eu pelo menos sou a besta apaixonada que acha fofo todos a maioria dos casais de livro).

O polegar de Jay traçou a linha da bochecha dela.
– Eu amo você, Violet Marie. Sempre vou amar.
[…]
Ele era o remédio perfeito para todas as suas preocupações
P. 155

Mas preciso dizer que o que me chamou atenção mesmo foi a capa. Acho que a Intrínseca e a Galera fazem as melhores capas. Gosto muito de texturas diferentes e a combinação de uma parte mais áspera e fosca com a normal lisa a deixou muito mais interessante. É muito gostoso pegar o livro e ficar sentindo a textura. E o miolo é perfeito! Tudo combinou e harmonizou no design.