Nicholas Sparks
(5/5)
Editora Arqueiro
2017
176 páginas

Duke é um senhor idoso que vive em uma clínica de repouso. Ele gosta de ler poemas para outros pacientes, mas na sua rotina há um momento especial dedicado a uma senhora com Alzheimer. Todos os dias ele lê para ela um diário especial e espera que ele faça um milagre acontecer.
Ele espera que com a leitura do diário a senhora tenha momentos de lucidez e o reconheça. Às vezes o milagre acontece e a senhora se comporta normalmente, em outros dias a doença a deixa totalmente fora de si.
O diário conta a história de Allie Nelson e Noah Calhoun, dois jovens apaixonados que se separaram, mas anos depois se reencontram e revivem a paixão.
Só que ainda há um empecilho para que eles fiquem juntos: Allie está noiva de um advogado bem-sucedido. Agora ela precisa escolher entre o amor de sua vida ou a estabilidade que sempre quis, ao lado de um homem ocupado.
Diário de uma paixão é um livro sobre o amor e sobre como ele pode transcender barreiras e superar obstáculos.

Os românticos chamariam isso de história de amor; os cínicos de tragédia. Na minha cabeça, é um pouco das duas e, no fim das contas, independentemente de como se decida encarar as coisas, isso não muda o fato de que essa história tem que ver com grande parte da minha vida e o caminho que escolhi seguir.
P. 8

Quem acompanha meu blog há mais tempo sabe que eu sempre tive um caso de amor e ódio com o Nicholas Sparks. Alguns livros eu amo, outros eu odeio, mas no fim das contas eu sei que será uma leitura agradável.
Com Diário de uma paixão eu sabia que estava em um território seguro e que iria gostar da leitura. Era um livro que eu queria ter lido há anos, mas só agora tive a oportunidade. Já conhecia a história e assisti ao filme (apesar de não lembrar exatamente), então a leitura foi muito fluída.

– Os poetas muitas vezes descrevem o amor como uma emoção que não podemos controlar, que subjuga a lógica e o bom senso. Foi assim para mim. Não planejei me apaixonar por você, e duvido que você tenha planejado se apaixonar por mim. Mas, quando nos conhecemos, ficou claro que nenhum de nós poderia controlar o que estava acontecendo conosco. Nós nos apaixonamos apesar das nossas diferenças e, quando isso aconteceu, algo raro e bonito se criou. Para mim, um amor assim só aconteceu uma vez, e é por isso que cada minutos que passamos juntos ficou gravado na minha memória. Nunca vou esquecer um único instante.
P. 87

Li em poucas horas (a maior parte delas na sala de espera do consultório médico) e isso foi ótimo para minha fase leitora que empaca nos livros. Cada livro terminado em poucas horas é um alento, um motivo de comemoração. Obrigada, Tio Sparks.
Depois de ler diversos livros do autor, pegar o primeiro dele foi uma experiência bem interessante. Ao ler percebi o quanto ele evoluiu e como ele melhora com o tempo.
Posso não amar todos os livros, mas reconheço que ele faz jus aos números de venda e a tantos fãs conquistados ao longo do mundo.

– Você não pode viver para os outros. Tem que fazer o que é certo para você mesma, ainda que isso magoe algumas das pessoas que ama.
P. 116

Em relação à edição, eu amei muito! Uma das capas mais bonitas de livros do autor. Ela me deu muita vontade de ler o livro.
Miolo simples, com páginas amareladas, textura e gramatura excelentes e uma fonte que facilita a leitura. Um ótimo trabalho! Os capítulos começam na página da direita (eu amo isso!).
As narrativas de Duke são em primeira pessoa, mas as do diário são em terceira. Gostei dessa alternância de perspectiva. Ficou interessante.
É um ótimo livro para curar ressaca literária ou ler em uma tarde.
Até quem não gosta do Nicholas vale a pena dar uma chance.