A_GAROTA_ITALIANALucinda Riley
(5/5)
Editora Arqueiro
2016

Sou fã da Lucinda Riley desde que li A casa das orquídeas, lá em 2012. Os livros da Lucinda são mágicos e costumam trazer romances que transcendem épocas. A Garota Italiana é um livro único, não faz parte de nenhuma série e é sensacional.
Rosanna Menici é uma garota magrela e sem graça, de 11 anos que é deixada de lado pela família. Filha caçula de três irmãos e sem uma beleza excepcional como a da irmã Carlotta, ela passa os dias trabalhando na cantina dos pais.
O único que parece dar atenção a ela é seu irmão mais velho, Luca.
Durante a comemoração de aniversário de casamento dos pais do jovem cantor de ópera Roberto Rossini, Rosanna fez uma memorável apresentação cantando Ave Maria em homenagem ao casal.
Roberto se encantou com a voz da garota e indicou um professor de música para a menina trabalhar a voz. Contra a vontade dos pais, Luca incentivou a irmã a ter aulas e a ajudou nos estudos do canto lírico.
Após anos de estudo, Rosanna e Luca mudam-se da pequena cidade de Nápoles para Milão, onde a moça passa a estudar ópera no teatro Scala. Aos 21 anos ela já está formada e iniciando na profissão de cantora lírica. Apesar de Rosanna receber diversas propostas, Paolo, diretor do Scala acha melhor uma ascensão devagar, com pequenas participações nas peças e assim Rosanna faz.
Às vésperas de uma estreia, a estrela principal precisou ser substituída por Rosanna, que assume o papel. Nesta época Rosanna volta a se encontrar com Roberto Rossini, agora um famoso solista de ópera e eles começam a se apresentar juntos. A conexão entre Rosanna e Roberto no palco é forte e eles fazem muito sucesso.
Em pouco tempo eles passam a dividir não só os palcos, como também a vida. Rosanna sempre foi apaixonada por Roberto e agora que tem a oportunidade de ficar com seu amado ela não pensa duas vezes.
Mas Roberto não é o melhor homem do planeta, muito pelo contrário. Ele possui um lado cafajeste e egoísta que cega Rosanna e a faz se entregar a ele por completo.

– A linha entre o amor e o ódio é muito tênue. Talvez um dia ela o odeie.
– E talvez isso seja tão ruim quanto amá-lo.
P. 323

A garota italiana é uma história que Rosanna escreve em uma carta e vemos todos os acontecimentos do ponto de vista da protagonista, mas isto não quer dizer que os personagens secundários não tenham participação relevante. Eles aparecem muito na trama e suas histórias são bem definidas. Acontecem e se concluem de modo relevante, sem ofuscar a trama principal.
Apesar de ser um pouco diferente dos outros livros da Lucinda, A garota italiana, que foi lançado em 1996 com o título de Ária e a autora utilizava o pseudônimo de Lucinda Edmonds, é uma obra ímpar.
Em comparação com os outros livros acho que a autora melhorou muito, os últimos livros da autora possuem uma narrativa mais madura com enredos mais elaborados. Como fã da Lucinda amei ver a evolução da autora e espero poder acompanhar esta trajetória por muito tempo ainda.