JOGOS_MENTAISTeri Terry
(5/5)
Farol Literário
2015
477 páginas

Acho que poderia descrever Jogos Mentais como um livro intenso. Fechei o ano de 2015 com essa leitura e fiquei sem palavras para resenhar.

É uma surpresa que a tenham deixado quieta por tanto tempo…
P. 102

Luna vive em um mundo moderno. As pessoas se plugam a uma realidade virtual e fazem de tudo neste ambiente: se divertem, estudam, fazem compras, viajam, etc. Para se conectar as pessoas possuem um implante e ficam plugadas a maior parte do tempo. Mas Luna não tem um implante, ela é uma Recusadora e faz tudo do jeito tradicional. Na escola poucas pessoas não têm implantes, a maioria por motivos religiosos ou de saúde, Luna não tem nenhum problema, só não quer viver em um ambiente virtual. Ela não se sente bem e é diferente das outras pessoas. Todo mundo quando se pluga esquece do mundo físico, tudo desaparece e só o virtual permanece. Mas Luna consegue perceber os dois mundo ao mesmo tempo e deveria manter isto em segredo.

Engulo as palavras, mas não consigo evitá-las dentro de mim: se ela estava tão preocupada comigo e com meu futuro talvez devesse ter ficado por perto.
P.66

Ela tenta manter suas notas na média e não ser notada pelo seu intelecto, mas tudo parece ter sido em vão, já que ela foi indicada para o Teste PareCo. O Teste PareCo é uma espécie de Enem. Os melhores alunos são selecionados para fazer o teste, a colocação nele garante vagas nas melhores universidades ou um emprego dos sonhos na PareCo, uma empresa de tecnologia e desenvolvimento de implantes e programas para o ambiente virtual. Os testes são divididos em Teste de Q.I. (que mede a inteligência) e Teste de Q.R. (que mede a racionalidade). Apesar de ter feito todo o teste de Q.I. no modo tradicional (com papel e lápis), Luna teve um excelente resultado, com notas parecidas com as dos hackers. O medo de Luna após esta fase era fracassar no teste de Q.R.
Segundo boatos, indivíduos inteligentes (com ótimo Q.I.), mas irracionais (com baixa pontuação no teste de Q.R.) são perigosos para a sociedade e devem ser tratados como doentes.
E Luna tem muito com o que se preocupar, dizem que sua mãe era uma hacker tão boa que apostou a vida em um jogo e acabou perdendo (se mostrando irracional) e sua avó, Nanna, vive sob efeitos de medicamentos, com sérios transtornos mentais. Luna tem medo do que pode acontecer com ela após o teste de Q.R.
Ninguém sabe como são os teste de Q.R., pois todas as pessoas que fizeram não podem contar o que aconteceu. Não há estudo, nem preparação, ele acontece e uma semana depois seus resultados são somados e você sabe qual será seu destino depois da escola. Luna comete um erro gravíssimo durante o Teste de Q.R. e o seu medo de ser considerada perigosa para a sociedade só aumenta, mas ela não sabe que ela tem muito mais a temer do que o fracasso no Teste PareCo.

Mas eu não preciso de sorte. Preciso de um milagre.
P. 133

E depois de dias eu ainda não sei o que eu achei do livro! São 477 páginas, mas eu li em um dia. A leitura flui muito bem, a narrativa é em primeira pessoa. Todo capítulo tinha um fato novo e algo que atiçava minha curiosidade e eu precisava ler mais um pouco. No meio da história as coisas começaram a ficar bem loucas e surreais e teve momentos que eu me perguntei estou lendo isto por quê?. Não era ruim, era apenas estranho e por causa dessa estranheza toda eu ainda não sei o que pensar.
Apesar disso, dei nota máxima porque é a narrativa é ótima e a história me prendeu do início ao fim, mesmo sendo surreal, em nenhum momento eu pensei em abandonar a leitura. Eu precisava saber do final de qualquer jeito!
Eu gostei muito da capa. Ao vivo ela tem detalhes brilhosos, bem bonitos. Uma das capas da Farol Literário que eu mais gostei.
O miolo é dividido em partes e capítulos. Na divisão das partes há os mesmos detalhes da capa e uma citação. A capitulação é com a mesma fonte da capa e o resto do miolo não tem mais detalhes.
Não sei qual o papel que é utilizada, mas eu sou apaixonada por ele. As folhas são de boa gramatura, amareladas e com uma textura mais lisa, uma ótima qualidade.