Sobhan Vivian
(4/5)
Editora Novo Conceito
2011
248 páginas

Sinopse: Perversa ou inofensiva? Confiável ou hipócrita? Controlada ou insensata? A vida é sobre suas decisões e escolhas, e Natalie Sterling se orgulha de sempre fazer as melhores. Ela ignora os caras populares e babacas da escola, sempre ganha medalhas de honra e está prestes a ser a primeira estudante jovem a ser presidente do conselho estudantil em anos. Se apenas todas as outras garotas fossem tão sensíveis e fortes. Como o grupo de novatas que querem ser brinquedos dos jogadores de futebol. Ou sua melhor amiga, que tomou uma decisão idiota que quase arruinou sua vida. Mas ser sensível e forte não é fácil. Não quando uma brincadeira quase a faz ser expulsa. Não quando seus conselhos dóem mais do que ajudam. Não quando um cara que ela já deu um fora se torna o cara que ela não consegue parar de pensar. A linha entre o certo e o errado foi distorcida, e cruzá-la poderá resultar em um desastre… ou se tornar a melhor escolha que ela já imaginou fazer.

Opinião: Livro fininho, de leitura bem leve, pois os capítulos são bem curtinhos, o que torna a leitura incrivelmente rápida.
No início, eu achava que a Natalie era uma dessas nerds chatas e perfeitinhas e que seria enganada e feita de idiota pelos valentões da escola, mas não é bem assim que a história acontece.
Natalie apesar de ser nerd e parecer ser bem certinha, é uma menina forte e determinada, cheia de ideais e focada no futuro.
Ela é uma menina bem legal e uma amiga super dedicada e todos os erros que ela comete são para proteger as pessoas ao seu redor.
Gostei muito do clima do livro, bem adolescente, mas sem ser bobo. A forma bem resolvida como Natalie encara o seu relacionamento com Connor também me surpreendeu positivamente. Gostei de ver que as nerds, apesar de inexperientes, não são tão bobas quanto muita gente pensa. Natalie não é perfeita, comete erros, faz coisas bestas, machuca as pessoas sem querer, mas é tudo tão típico adolescente que não tem como não se identificar com alguma coisa.
A capa é linda e só por ela dá vontade de ler, mas a história por si só já é boa e merece um lugar na lista de leitura.