Erin Morgenstern
(4/5)
Editora Intrínseca
2012
368 páginas

Sinopse: Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar. Por trás de todos os truques e encantos, porém, uma feroz competição está em andamento: um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, treinados desde a infância para participar de um duelo ao qual apenas um deles sobreviverá. À medida que o circo viaja pelo mundo, as façanhas de magia ganham novos e fantásticos contornos. Celia e Marco, porém, encaram tudo como uma maravilhosa parceria. Inocentes, mergulham de cabeça num amor profundo, mágico e apaixonado, que faz as luzes cintilarem e o ambiente esquentar cada vez que suas mãos se tocam. Mas o jogo tem que continuar, e o destino de todos os envolvidos, do extraordinário elenco circense à plateia, está, assim como os acrobatas acima deles, na corda bamba.

Opinião: A sinopse do livro é mágica e a capa é encantadora, então é impossível não se encantar por ele no primeiro momento.
Mas todas as promessas de ser um livro incrível ficam por aí.
Achei o início do livro confuso demais. Os capítulos são divididos por local e data, mas não há uma cronologia nos fatos, são alternados entre passado e presente. Se em um momento estamos lendo um capítulo com a Celia, no seguinte já é outro personagem, em outro lugar, em outra data, que tanto pode ser àquela futura quanto passada.
Para falar a verdade, só consegui entender o enredo quase no final do livro.
Além disso, a fonte é pequena e os capítulos são bastante descritivos, o que torna a leitura um pouco massante.
Se por um lado a narrativa descritiva deixa o livro encantador, pois podemos imaginar os detalhes de cada tenda mágica do circo, por outro torna a leitura cansativa, pois a história quase não evolui.
O duelo prometido entre Celia e Marco acontece durante o livro todo, mas não tem nada de excepcional, basicamente eles só precisam viver suas vidas normalmente e trabalhar no circo, até que um deles morra. A única complicação na história é que eles se apaixonam e por isso não podem ficar juntos.
Achei o romance deles muito rápido, em um momento eles se odiavam, no outro se amavam eternamente e odiavam os criadores do duelo. Achei meio sem sentido.
A magia empregada pelos personagens é totalmente sem graça, eles não precisam fazer nada e ela acontece. Acho que era pela força da mente, mas até agora não entendi muito bem.
O livro vale à pena mesmo pelos personagens secundários que são muito mais interessantes que Celia e Marco. É impossível não se apaixonar pelos gêmeos Poppet e Widget e tem Bailey também, que é encantador.
Aliás, só ao me colocar no lugar de Bailey é que eu pude sentir a essência do livro e querer me transportar para dentro dele, só para ir ao circo por pelo menos uma noite. O circo é mágico e lindo e até quem não gosta de circo, como eu, vai se encantar pelo Circo da Noite.
O design no livro é fantástico! Nunca me apaixonei tanto pela diagramação de um livro quanto esse. Simplesmente perfeito!