Harlan Coben
(5/5)
Editora Arqueiro
2016
272 páginas

Emily Downing, ex namorada de Myron Bolitar, o procura após mais de 13 anos para que ele encontre o doador de medula de seu filho.
O menino Jeremy, de apenas 13 anos, está doente e precisa urgentemente de um doador de medula óssea. O banco de medula encontrou um doador compatível, mas ele desapareceu sem deixar vestígios. Para deixar a trama ainda mais impactante Emily diz a Myron que ele é pai de Jeremy. Após esta notícia, Myron inicia a busca pelo doador e se depara com um grande mistério.

– Plante as sementes. Continue plantando. E abra as persianas. Deixe a verdade entrar. Deixe os segredos enfim murcharem à luz do dia.
P. 92

Myron acaba descobrindo o segredo de uma família muito poderosa e entra na mira deles. Paralelamente, ele encontra pistas sobre uma série de sequestros e tenta fazer a ligação entre a família, o doador desaparecido e um jornalista que entrevistou o sequestrador dos crimes. Eu sei, parece um pouco confuso explicando assim, mas no fim da história tudo vai fazer sentido.
O medo mais profundo é uma trama cheia de reviravoltas que não te deixará largar o livro. Como são apenas 272 páginas e a leitura é bem fluida, como todos os livros do autor, é muito fácil só levantar do lugar após terminar a leitura. Mais uma vezHarlan Coben arrasa e traz uma excelente história.
Sempre digo que o Harlan é um daqueles autores que te faz superar qualquer tipo de ressaca literária. Eu estava empacada em uma ressaca dessas e graças à O medo mais profundo eu consegui superar minha fase ruim como leitora (e olha que este não foi o meu livro preferido do autor).
Achei um dos livros mais intrigantes do Harlan, com acontecimentos e ligações que parecem improváveis até os últimos capítulos.

– Se vocês tocarem no meu piu-piu de novo – falou Myron -, vou contar para a mamãe.
P. 104

Confesso que dentre todas as histórias que eu li com o Myron sendo o protagonista, esta eu achei que ficou um pouco arrastada. Muitas pontas ficaram soltas até o final e achei que esta tática de deixar o leitor com dúvidas até o último instante não foi a melhor. No fim tudo é explicado, mas até chegar lá ficou um pouco confuso. Tem doador de medula óssea, tem uma família rica, tem um jornalista que perdeu a profissão, tem uma série de sequestros estranhos… Muita informação para ser resolvida em um livro só. E ainda tem os problemas pessoais do Myron (ele acabou de descobrir que tem um filho!) e a profissão dele como agente esportivo.
Tio Harlan, não precisa confundir a vida do Myron tanto assim não, deixa história para mais livros!
Não que seja ruim, muito pelo contrário, trata-se de um ótimo livro, mas para o padrão Harlan Coben acho que poderia melhorar (ou eu esperei demais).

– Você acha que todos os psicopatas são originais?
P. 126

Myron continua incrivelmente sarcástico e bem humorado, do jeito que todo mundo gosta, saindo-se perfeitamente bem nas situações mais difíceis.