Livro: O Teorema Katherine

(4/5)
John Green
Intrínseca
2013
304 páginas

O Teorema Katherine conta a história de Colin Singleton, um adolescente que está superando seu mais recente pé na bunda. A sua décima nona namorada Katherine acabou de terminar com ele e ele está arrasado. Você não leu errado, Colin teve 19 namoradas chamadas Katherine. K-A-T-H-E-R-H-I-N-E. Nada de Catherine, Cathryn, Katrina, ou qualquer outra variação, todas tinham exatamente o mesmo nome e todos eram escritos da mesma forma. Como ele mesmo diz ao longo do livro, não foi por escolha, ou obsessão pelo nome, simplesmente foi acontecendo dele namorar meninas chamadas Katherines e elas terminarem com ele.

Para superar esse trauma, ele cai na estrada com o seu amigo Hassan e juntos eles começam a viver uma aventura. Eles saem sem destino até decidirem parar em uma pequena cidade onde está enterrado Francisco Ferdinando (aquele cujo assassinato foi o estopim da Primeira Guerra Mundial) e conhecem uma garota chamada Lindsay.

A mãe de Lindsay é dona de uma empresa fabricante de cordinhas de absorventes internos e é a empresa da mãe dela que mantém a cidade viva, pois todos os moradores possuem alguém que trabalha ou já trabalhou lá. A mãe de Lindsay contrata Hassan e Colin para que eles entrevistem os moradores da cidade.

Entre o trabalho e as conversas com Lindsay, Colin começa a desenvolver um Teorema capaz de prever o desfecho de qualquer relacionamento.

Antes de falar sobre o teorema, vale mencionar que Colin foi uma criança prodígio e participou de programa de TV por causa de sua excentricidade, hoje ele é viciado em anagramas e está vivendo uma crise existencial, pois acredita que seu momento de genialidade já passou e ele não fará mais diferença no mundo.

– Só quero fazer alguma coisa que seja importante. Ou ser alguma coisa importante. Eu só quero ser importante.

P. 126

Então, quando tudo estava perdido, ele tem essa ideia de elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines. Ele simplesmente pega todos os pontos dos seus relacionamentos com as 19 Katherines e os coloca em linguagem matemática, com gráficos que mostram o momento em que o relacionamento terminará. Se ele conseguir comprovar seu teorema, ele conseguirá descobrir o fim de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.

Foi o primeiro livro que eu li este ano e eu gostei por ser um livro do John Green, mas não é tão bom quanto eu esperava. A história é bem parada, só começa a se desenvolver mesmo depois que os meninos conhecem a Lindsay.

No entanto, nesta parte começam a surgir os gráficos matemáticos, que eu confesso que eu não li nenhum e nem fiz questão de tentar ler/entender. Sou totalmente de humanas, sorry. E os moradores da cidade são bem caipiras, inclusive a Lindsay algumas vezes, e a escrita me incomodava um pouco.

De todos os livros do John Green que eu já, esse foi o que eu menos gostei. E olha que eu já estava desenvolvendo um amor grande pelo autor.

Quem já leu este livro também teve essa impressão de uma leitura mais devagar?

Veja também

14 Comentários

  1. Munca li esse livro, mas confesso q eu viajei legal no seu texto… Era mta sicronicidade pra Colin namorar 19 garotas chamadas Katherines.
    Boello post ah e aproveitando eu amei seu layout tbm ?

    Renata Massa
    Blog Enriquecendo aos 30

  2. Acho que esse também foi um dos livros do John Green que menos gostei, mas Cidades de Papel ainda vence. Concordei com muitas das suas opiniões! O meu preferido é do autor é o seu mais recente, Tartarugas até lá embaixo.

  3. Só li um livro do John Green que foi A Culpa é das Estrelas, tenho curiosidade de ler outros mas confesso que não são prioridades na minha lista de leitura.

    1. Ele é um bom autor. A Culpa é das estrelas é o mais triste dele. O meu preferido é “Tartarugas até lá embaixo”. Este vale à pena a leitura.

  4. Oi Poly!
    Eu ainda não li nada do John Green e esse está na estante há um tempinho, esperado a vez dele.
    Um dos meus receios em realizar a leitura é justamente me deparar com histórias que não prendam e não me cativem. Não é muito meu estilo de história/escrita e acho que corro o risco de desgostar. Ainda assim, em algum momento, pretendo dar uma chance para o autor.
    E, mesmo com seu feedback, fiquei curiosa sobre o tal do teorema que o Colin trabalha no livro e onde isso chega.
    xoxo

    1. Eu li pela curiosidade e porque me deram boas indicações, mas eu não gostei muito. O meu livro preferido do John Green foi “Tartarugas até lá embaixo!”. Este foi um livro que eu li bem rápido.

  5. Oi, tudo bem? Ainda não li o livro mas pelo quote achei incrível. Acredito que todas as pessoas na vida querem fazer algo importante, querem se sentir úteis e deixar sua marca no mundo. Gostei da indicação e já coloquei na minha listinha. Beijos, Érika :)

    1. Eu gosto do autor, Tartarugas até lá embaixo é meu preferido e A culpa é das Estrelas me marcou muito, mas Teorema… me decepcionou totalmente

  6. Nossa, eu parei de ler John Green lá em 2014 hahaha. Depois de Cidades de Papel e A Culpa é das Estrelas desanimei totalmente com o autor, especialmente por causa de Cidades de Papel… eu achei esse livro TÃO chato. Confesso que estou um tantinho interessada no último lançado, mas não é algo tão desesperador. O Teorema Katherine é, com certeza, um livro que nunca lerei :p Aaaah, e adorei sua sinceridade sobre os gráficos!

    1. Cidades de Papel é maravilhoso perto de Teorema Katherine hahaha
      Falando sério, eu gostei de Cidades de Papel, não é uma obra prima, mas deu para ler. O melhor livro do autor é o último “Tartarugas até lá embaixo!”. Te indico a leitura sem medo, Mas não passe nem perto de Teorema Katherine.
      Bjuxxxx