PARA_CONTINUARFelipe Colbert
(5/5)
Editora Novo Conceito
2015
221 páginas

Leonardo é um jovem portador de cardiomiopatia dilatada idiopática (uma doença que impede que o coração assimile grandes esforços) que mora em São Paulo e utiliza o metrô para suas atividades cotidianas. Sua vida é bem sem graça e limitada por causa da doença, mas ele tenta levar uma vida normal e só seus pais e seu melhor amigo sabem de sua condição.
Em um dia qualquer ele vê Ayako, uma garota linda com traços orientais no metrô e tenta contato com ela. Como a moça está com fones de ouvido ele resolve perguntar o que ela está ouvindo e ela não diz nada, apenas coloca um dos fones no ouvido de Leonardo. A música é linda, mas logo o trem chega na estação da garota e Ayako desce sem que eles troquem qualquer palavra.
Leonardo não consegue parar de pensar nela e todos os dias entra no mesmo vagão para ver se tem a sorte de encontra-la novamente, até que um dia Ayako aparece. Só que desta vez o metrô está lotado e ele não consegue se aproximar, mas num impulso resolve seguir a moça quando ela desce na estação. Leonardo então se vê andando pelas ruas do bairro da Liberdade e segue a moça até uma loja de luminárias japonesas.
Ayako trabalha na loja com o seu avô e Ho, um jovem com problemas mentais que é apaixonado por ela. A loja guarda um segredo no porão, ela é repleta de lanternas que simbolizam o amor entre as pessoas. Ayako e o avô são responsáveis para que nada aconteça com as lanternas.
Leonardo consegue descobrir o nome de Ayako e trocar algumas palavras com ela, mas Ho não quer que Ayako converse com ninguém e se estressa muito com a presença de Leonardo. Por isso ela pede para Leonardo se afastar, mas ele não consegue ficar longe de Ayako. O que eles não sabem é que esse romance pode colocar muita coisa em risco e não estou falando da saúde de Leonardo.

– Ayako-chan, você pode pintar um quadro com uma única tinta, mas não conseguirá evitar os respingos nas mãos.
P. 85

Desde que saiu Belleville e vi ótimas resenhas do livro que estava com vontade de conhecer a escrita do Felipe Colbert, mas sempre me faltou tempo para concluir a leitura. Quando recebi Para Continuar de cortesia decidi que era a hora de finalmente conhecer o trabalho do Felipe.
Como primeira impressão amei a leitura. Aproveitei cada linha e parágrafo da história. Me envolvi completamente e me apaixonei pelo ambiente criado e pelos personagens.

Eu poderia dizer que a nossa existência é curta demais para perdemos um minuto que seja, mas todo mundo fala isso uma vez na vida e soaria normal demais.
P. 95

Para continuar é uma história incrível, uma leitura mais surpreendente do que qualquer resenha poderá descrever. Há magia e paixão espalhados pela narrativa e eu confesso que a princípio achei que seria apenas um livro romântico comum, mas há algumas reviravoltas e pontos de tensão e suspense. É um romance bem diferente dos que eu li e o melhor é que se passa em São Paulo e foi escrito por um autor nacional. A melhor parte de ler livros de autores nacionais é ver histórias se passando em lugares onde eu já estive.
Achei a leitura bem tranquila e fluida, terminei o livro em dois dias (em período de provas na faculdade), então acho que em uma tarde dá para ler ele todo.

– Nós enxergamos os defeitos alheios panoramicamente; o difícil é vermos as nossas próprias falhas.
P. 136

Gostei muito da capa, ela bem é convidativa para a leitura. O miolo é simples e também possui lanternas japonesas indicando o início de cada capítulo. Um detalhe simples e encantador.
Um dos livros que eu mais gostei de ler em 2015 apesar de não ser um favorito é um dos livros que eu mais indiquei a leitura para os amigos.