QUERO_SER_SEUBella Andre
(4/5)
Editora Novo Conceito
2013
287 páginas

Sinopse: Ryan Sullivan sempre gostou muito de Vicki, a quem conheceu na adolescência, quando ela lhe salvou a vida: no estacionamento da escola, um carro desgovernado só não o atropelou porque Vicki o empurrou para longe. Desde então, eles se tornaram melhores amigos — pelo menos, melhores amigos até onde um homem e uma mulher lindos e sedutores conseguem ser…
O tempo passou, Vicki casou-se e se separou, e Ryan seguiu sua vida de solteiro. Até o dia em que Vicki pediu-lhe um favor: será que Ryan poderia fazer as vezes de seu namorado para afastá-la de um homem mal-intencionado e pegajoso?
Ryan não negaria esse favor a sua amiga, de forma alguma… Não só pelo carinho que nutre por ela, mas também por uma característica de sua personalidade: Ryan faz o tipo protetor (o tipo de homem com que toda mulher sonha em algum momento da vida).
Agora, depois de brincarem de namorados, será que os dois conseguirão manter a amizade de sempre?

Opinião: No início do livro há uma introdução pela autora. Ela conta que se trata de uma história diferente de todas as outras.
Eu comecei a ler e continuei achando a fórmula exatamente a mesma. Muito romance, um pouco de tensão sexual, dois adultos tentando controlar seus impulsos e então eles se apaixonam e se amam eternamente.
Quero ser seu conta a história de Ryan Sullivan. Acho que de todos os irmãos ele foi o que menos apareceu nos outros livros. Nunca soube muito sobre ele, apenas que era um astro do beisebol, por isso estava muito curiosa para iniciar a leitura.
A história começa com Ryan atendendo ao chamado de uma amiga da adolescência, Victoria, que ele não via há alguns anos. Vicki era uma artista plástica e estava de volta à São Francisco para tentar uma bolsa na universidade.

– Quando éramos garotos, você poderia ter morrido ao me tirar do caminho daquele carro. Você me salvou, Vicki. Pra valer. Agora é a minha vez de retribuir o favor.
P. 25

Vicki se afastou de Ryan após ir para faculdade no outro lado do país e principalmente após ter se casado com um também artista plástico e ido morar no exterior. Mas o casamento não deu certo e ela resolveu tentar a bolsa e voltar para a cidade.
Ela se Ryan se conheceram na adolescência. Naquela época Ryan já era um rapaz assediado pelas meninas e Vicki sabia que não tinha chances, principalmente porque era nova na escola e na cidade, então apenas o observava de longe. Um dia na saída da escola ela percebeu que um carro vinha em direção a ele e o salvou de um acidente. A partir desse momento eles se tornaram grandes amigos.

Por que achara que se divertir assim com ela seria uma boa ideia?
P. 66

A volta e a ligação repentina deixaram Ryan surpreso, mas depois de tudo que passaram na vida, ele foi prontamente ao encontro de Vicki assim que recebeu a mensagem pedindo para que ele a encontrasse.
Quando chegou ao local, encontrou Vicki com um homem mal-intencionado, querendo dar em cima da moça. Ryan passou a agir como se fosse namorado dela para afastar o sujeito.
O problema era que o homem era membro da comissão que avaliava os candidatos à bolsa na universidade e a encenação de Ryan e Vicki precisava ser bem convincente para afastar o mau-caráter.

Se acontecesse qualquer coisa a ela, Ryan não só nunca mais se perdoaria como acabaria indo para a cadeia, pois mataria James sem sequer pensar.
P. 97

Vicki, que estava hospedada em um hotel barato, foi para casa de Ryan e na frente das pessoas eles fingiam ser namorados.
Só que a convivência entre eles dentro de casa começou a despertar a paixão adolescente que existia entre eles, mas que nunca foi à frente. E com isso tudo foi difícil eles conseguirem manter o fingimento.

Ele só se lembrou de onde estavam – e do que estava fazendo com Vicki em um lugar cheio de espectadores – quando os aplausos, assobios e gritos dos colegas irromperam, quebrando o pulsar do sangue em seus ouvidos.
P. 143

Achei o livro um pouco parado no início. Apesar do casal ter uma química boa, demora bastante para eles finalmente ficarem juntos.
Eu pensei que por ser uma artista plástica talentosa, ter morado no exterior e ser divorciada, Vicki fosse mais independente, mas não, ela faz bem o estilo de protagonistas indefesas de romances “hot”, chegando até ser ingênua em alguns momentos. Por causa de toda essa fragilidade dela eu acabei tirando uma estrelinha da nota do livro. Cansei de ler livros com mocinhas inocentes e que precisam a todo momento serem salvas por heróis. Quero mulheres fortes e com personalidade.

Oh, Deus, por que ele falava assim com ela? Como se tivesse o controle de cada célula de seu corpo?
P. 185

Ryan é do tipo super protetor, bancando o herói diversas vezes e chegando sempre na hora certa para salvar sua donzela.
Eu o achei o mais romântico e carinhoso dos irmãos Sullivans, ou talvez eu não estivesse esperando um comportamento assim de um astro do beisebol, que raramente apareceu nos livros dos irmãos.

Conhecer de fato esse grande amor quando estava nos braços dele, e eles riam, se beijavam ou conversavam, era tão grandioso que ela realmente sentia a energia amorosa jorrando de seus dedos.
P. 257

A história é bem fofinha e o nível erótico dela é bem leve. A maior parte é sobre o desenvolvimento do relacionamento entre Ryan e Vicki e isso se desenrola de forma bem tranquila e romântica, como um bom namoro adolescente (apesar do casal já ter passado dessa fase há um bom tempo, o clima é assim). Eles brincam, riem, aproveitam cada momento juntos e não têm pressa de viver o romance.

Ele passou o braço pelo ombro dela, andando a seu lado.
– Nada é mais importante do que sair com minha melhor amiga.
P. 283

Tanto a capa quanto a diagramação do livro seguem o estilo dos livros anteriores. A capa é daquele material fosco meio emborrachado. Adoro a sensação gostosa de toque. Só não gostei muito do tom escuro, quase não dá para ver a cara do jogador.
O miolo é exatamente igual ao do livro anterior (Se você fosse minha), inclusive a numeração no meio da margem e não nos cantos, como estamos acostumados. Eu gosto desse estilo, fica diferente e charmoso.
Também não encontrei nenhum erro muito relevante, só um ou outro errinho bobo de digitação/concordância que não atrapalha em nada a leitura.