REVELADAKristin Cast, P.C Cast
(4/5)
Editora Novo Século
326 páginas
2014

Sinopse: Neferet está agora mais poderosa do que nunca, e sua busca por vingança ameaça as vidas não apenas de Zoey e seus aliados, mas de toda a humanidade. O caos impera em Tulsa, e todos passam a culpar a Morada da Noite por isso. Poderá Zoey impedir os planos terríveis de Neferet a tempo, antes que seu ódio possa desencadear uma guerra de consequências devastadoras? A série House of Night é um dos maiores fenômenos do mercado editorial, tendo alcançado a primeira posição na lista dos mais vendidos em países como Estados Unidos, Alemanha e Reino Unido, mantendo-se na lista de best-sellers do The New York Times por cerca de 150 semanas consecutivas. Agora, no penúltimo capítulo dessa aclamada série, a ação é ainda mais eletrizante, e os riscos são ainda maiores na batalha de Zoey e de seus amigos para proteger sua escola – e seu lar – da destruição. Ao mesmo tempo, os cativantes personagens criados por P. C. e Kristin Cast têm de lidar com seus sentimentos, com o jogo de amizades e traições e com o dia a dia entre as paredes da Morada da Noite.

Opinião: Todos na Morada da Noite estão empolgados com o evento na escola que reuniu humanos e vampiros. O evento está sendo um sucesso, há vários humanos comprando incensos da Vovó Redbird e adotando gatinhos com as freiras do Street Cats. Tudo está correndo muito bem até que uma infestação de aranhas começa a perturbar a paz.
Zoey percebe um movimento anormal das aranhas e reconhece a presença das forças do mal e resolve juntar seu círculo para afastá-las. O que Zoey e seus amigos não esperam é que isso provoca a volta de Neferet.
Neferet não volta apenas para trazer o caos, mas junto com ele mortes de inocentes e um abalo no relacionamento entre humanos e vampiros e a Morada da Noite de Tulsa e o Conselho Supremo.

Cruzei minha mão em punho sobre o coração e me curvei para ela, desejando que eu tivesse tanto respeito pelas minhas próprias habilidades de tomar decisões quanto Thanatos.
P. 119

Quem queria saber mais sobre o passado de Neferet vai se deliciar com o penúltimo volume da série. Há muitas partes contando o passado de Neferet e como ela se tornou tão má.
Por outro lado, não vemos a Vovó Redbird ou as freiras e muitas outras questões deixaram de ser resolvidas. Eu esperava bem mais desse volume e confesso que fiquei um pouco decepcionada com a falta de avanço na história.
A melhor parte mesmo aconteceu quando o livro já estava acabando e deixou tudo para ser finalmente resolvido no último livro.

– Eu pretendo mudar e adaptar. Eu pretendo permanecer aqui como Grande Sacerdotista da Morada da Noite de Tulsa. Eu pretendo apoiar essas duas Grandes Sacerdotistas e essa Profetisa incomuns em seu desejo de ter um lugar próprio para eles. E, o mais importante, eu pretendo levar Neferet à Justiça sem permitir que a minha escola seja invadida.
P. 152

A série como um todo é boa, mas acho que a enorme quantidade de volumes (12!) a deixou cansativa e as vezes parece que perdeu o rumo, como aconteceu nesse volume.
Fatos importantes acontecem sim, mas acho que para a série em um contexto mais amplo esse seria um livro dispensável. Acho que algumas partes poderiam ser resumidas e outras contadas em livros à parte e “extra”, como “O manual do novato” ou “O voto de Lenobia”.

– Eu tenho fé, jovem novata. Eu tenho fé de que Nyx perdoe aqueles que merecem o seu perdão – ele afirmou.
P. 195

Não sei se eu estava com um humor melhor quando fiz a leitura, mas eu achei os diálogos entre os personagens bem menos chatos e bobos. Talvez os personagens tenham apenas amadurecido (pelo bem geral dos leitores!) ou talvez esse seja o livro da série com menos diálogos. Como há diversas partes relembrando o passado de Neferet e narrando as cenas, não há tantos diálogos quanto nos volumes anteriores, mas achei que isso apenas enriqueceu a história.
Em relação à capa e à diagramação, a editora resolveu seguir o mesmo modelo das edições anteriores. Os fãs colecionadores agradecem pela manutenção do padrão na capa. O miolo também segue o mesmo estilo, bem simples, sem muitos detalhes ou artes nas páginas. Cada capítulo se inicia na página da direita e além da numeração, também há o nome do personagem, cuja visão será retratada naquela parte.