Becca Fitzpatrick
(4/5)
Editora Intrínseca
1ª Edição
2012
304 páginas

Sinopse: Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da mãe. Em meio a tudo isso, Nora é assombrada por constantes pensamentos com a cor preta, que surge em sua mente nos momentos mais improváveis e parece conversar com ela. Alucinações, visões de anjos, criaturas sobrenaturais. Aparentemente, nada disso tem a ver com sua antiga vida. A sensação é de que parte dela se perdeu. É então que o caminho de Nora cruza o de um sexy desconhecido, a quem ela se sente estranhamente ligada. Ele parece saber todas as respostas… e também o caminho até o coração de Nora. Cada minuto a seu lado confirma isso, até que Nora se dá conta de que pode estar apaixonada. De novo. “O relacionamento tempestuoso entre Nora e Patch, o típico bad-boy, é verdadeira e perturbadoramente sedutor.” Publishers Weekly

Opinião: Em primeiro lugar, temos a capa, que é linda! Só pela capa dá vontade de ler a série (e só por isso vale à pena).
A história começa com uma conversa de Patch com um homem e deixa a entender que vão levar a Nora para algum lugar e só.
Como já faz um tempinho desde que eu li “Crescendo”, não lembrava direito da história, então a amnésia da Nora acabou se tornando a minha própria e cada vez que ela ia descobrindo algo eu ia me lembrando da história também. Achei bem interessante isso.
As partes dela com o Patch são quentes e cheias de energia e dá falta de ar mesmo, de tão intensa que é a paixão dos dois.
Depois que Nora recupera completamente a memória o livro fica mais emocionante, o problema é que pouco tempo depois o livro acaba! Assim mesmo, na melhor parte da história!!
Claro que isso foi uma estratégia da Becca para ter mais um livro para a série, mas acho que não havia necessidade de ter mais um livro. Boa parte de “Silêncio” é dispensável e seria melhor se ele fosse mais objetivo.
Mas tirando isso, é perfeito! Quem gostou da série não pode deixar de ler.