SIMPLESMENTE_ANAMarina Carvalho
(5/5)
Editora Novo Conceito
2013
304 páginas

Sinopse: Imagine que você descobre que seu pai é um rei. Isso mesmo, um rei de verdade em um país no sudeste da Europa. E o rei quer levá-la com ele para assumir seu verdadeiro lugar de herdeira e futura rainha… Foi o que aconteceu com Ana. Pega de surpresa pela informação de sua origem real, Ana agora vai ter que decidir entre ficar no Brasil ou mudar-se para Krósvia e viver em um país distante tendo como companhia somente o pai, os criados e o insuportável Alex. Mudar-se para Krósvia pode ser tentador — deve ser ótimo viver em um lugar como aquele e, quem sabe, vir a tornar-se rainha —, mas ela sabe que não pode contar com o pai o tempo todo, afinal ele é um rei bastante ocupado. E sabe também que Alex, o rapaz que é praticamente seu tutor em Krósvia, não fará nenhuma gentileza para que ela se sinta melhor naquele país estrangeiro. A não ser… A não ser que Alex não seja esta pessoa tão irascível e que príncipes encantados existam. Simplesmente Ana é assim: um livro divertido, capaz de nos fazer sonhar, mas que — ao mesmo tempo — nos lembra das provas que temos que passar para chegar à vida adulta.

Opinião: Ao ver a sinopse do livro achei que era uma história meio bobinha ou um livro diário parecido com o da Meg Cabot, mas apesar das semelhanças entre Ana e Mia, ambas princesas são bem diferentes.
Em primeiro lugar, Ana é brasileiríssima, de Belo Horizonte, está na faculdade de Direito, estagia em um escritório de advocacia, tem um quase-namorado e vive muito bem com sua mãe.
Até que um dia ela recebe uma mensagem, em inglês, no Facebook de um cara falando que era o pai dela. Depois do choque inicial ela resolve conhecer o pai pessoalmente e descobre que ele é o rei de Krósvia.
Claro que é impossível ler e não ficar se lembrando de Genovia, Mia e Meg Cabot, mas assim que Alex aparece na história tudo muda de figura.
Alex é o quase-irmão Krósviano (nem sei se existe essa palavra) de Ana e apesar de ser insuportável e rude com ela, não deixa de ser gostoso, sedutor, envolvente…
É um livro bem, eu disse BEM clichê, mas é ótimo! Um conto de fadas moderno e diferente, um pouco menos infantil que Diário da Princesa e cheio de trilha sonora (tem Jota Quest e Bon Jovi com as letras citadas lindamente no meio das páginas!).
Demorei apenas um dia para ler, pois não consegui sossegar até chegar à última página. É uma leitura simples, leve, divertida e deliciosa. Li tão rápido que nem tive tempo de separar citações, mas confiem em mim quando eu digo que a narrativa da Marina é ótima.
O livro já entrou nos favoritos nacionais do ano!