TOCANDO_AS_ESTRELASRebecca Serle
(4/5)
Editora Novo Conceito
2015
224 páginas

Quando Paige Townsen era uma aluna comum do ensino médio. Ela sempre sonhou em ser atriz e atuava nas peças da escola e fazia testes desde criança, mas nunca imaginou que sua vida poderia mudar de uma hora para outra por causa disso.
Ela levava a vida tranquila em sua cidade natal, frequentando a escola e trabalhando em um antiquário depois das aulas. Ela compartilha sua vida com seus melhores amigos, Cassandra e Jake.
Foi Cassandra que viu no jornal que estavam fazendo teste de elenco para o filme Locked, sua série de livros preferida, que em breve estaria nos cinemas.
Paige foi selecionada para ser a protagonista desta série. O primeiro filme é gravado no Havaí e ela precisa se mudar para a ilha e deixar sua cidade natal e seus amigos.
No filme ela interpreta a jovem August que acaba se envolvendo em um triângulo amoroso. Paige é nova na carreira cinematográfica, mas de cara vai interpretar com Rainer Devon, um dos atores mais sexies segundo a revista People. No filme, os personagens de Paige (August) e Rainer (Noah) vivem uma paixão proibida e conforme ela vai conhecendo melhor o famoso ator mais o relacionamento deles deixa de ser apenas profissional.
Rainer se mostra prestativo, simpático e um perfeito cavalheiro.
Tudo estava indo bem nos sets (e no relacionamento dela com Rainer) quando Jordan Wilder chega para as gravações. No filme ele interpreta o namorado de August, Ed, e na vida real ele tem problemas pessoais com Rainer. A princípio Jordan parece um bad boy e um cara difícil de lidar, mas são aparências que enganam.

Sinto como se estivesse na fábrica de chocolates de Willy Wonka. Tenho que admitir: é maravilhoso.
P. 105

Em determinado momento do livro o triângulo amoroso que deveria acontecer apenas na ficção (filme) passa também para a “vida real” e Paige precisa se decidir entre Rainer e Jordan.
Tocando as estrelas é um livro bem adolescente. Eu gosto muito de livros assim para me distrair após um livro mais intenso, mas achei essa história adolescente demais para mim. Sabe quando você tem certeza de que aquela classificação etária não é para você? Pois é. Aconteceu comigo. Não que o livro seja ruim, pelo contrário. Ele é muito bem escrito, a autora conta vários detalhes sobre o funcionamento de um set de filmagem, conta a vida de Paige de forma bem natural e com uma narrativa bem suave, mas o conteúdo da história não é voltado para quem já saiu da escola.

O amor nunca pertence a você. Pertence ao universo.
P. 221

É um livro fininho com uma narrativa bem fluida, eu li em uma tarde e acho que vários conseguem o mesmo ou até mesmo em menos tempo. Eu fiquei um pouco perdida com o final (acho que todo mundo que leu ficou), mas o lado bom é que esse livro é o primeiro de uma série, então sem criar pânico é só esperar pela continuação para saber melhor o que irá acontecer com Paige.
A capa é muito mais bonita pessoalmente. Não se destaca muito na estante, mas é uma dessas capas que apenas por ela você já leria o livro. Sabe como é?
O início de cada capítulo tem um detalhe com esse efeito da luz que tem na capa. Simples e delicado, mas bem bonito. Um trabalho muito bem feito da editora.
Todos os capítulos se iniciam na página da direita (e eu adoro muito quando isso acontece).