Ronald Anthony
(5/5)
Editora Novo Conceito
2012
303 páginas

Sinopse: Você acredita que o amor pode durar para sempre? Jesse Sienna não. O casamento de seus próprios pais era respeitável mas sem paixão; e sua própria história romântica indica que o amor queima ardentemente antes de desaparecer por completo. Então, quando seu pai, Mickey, muda-se para sua casa e parece não compreender o relacionamento superficial de Jesse com sua atual namorada, mas Jesse não lhe dá atenção.
É apenas um exemplo do quão diferente eles são e fica mais evidente que ele e seu pai nunca terão uma ligação mais profunda.
Mas a verdade é que Mickey Sienna conhece mais sobre amor do que a maioria das pessoas conseguem aprender na vida toda.
Há mais de cinquenta anos, ele encontrou o amor mais verdadeiro que a vida pode oferecer. Ele sabe das infinitas recompensas de investir seu coração e sua alma em alguém… E conhece o prejuízo devastador de deixar esse alguém perfeito escapar.
Quando Mickey percebe que Jesse não está dando valor a uma mulher extraordinária, decide que é hora de contar a história que nunca contou para nenhum de seus filhos a Jesse. Durante os meses seguintes, Mickey mostra seus momentos mais particulares e felizes para seu filho… e muda a percepção de Jesse em relação ao amor e as possibilidades de um relacionamento duradouro para sempre.

Opinião: Assim que li a sinopse desse livro sabia que ele seria um desses livros fofos e gostosos de se ler.
A história começa contando todas as dificuldades que Mickey Sienna enfrenta após ficar viúvo e morando sozinho em New Jersey. Após um pequeno incidente que quase acabou com a destruição da casa em que morava e da própria vida os filhos de Mickey decidem que ele não pode mais morar sozinho e querem colocá-lo em um asilo.
O irmão mais novo, Jesse, é o único contra tal decisão e, por fim, acaba convencendo a todos de que o melhor a ser feito é que o pai vá morar com ele.
Quando Jesse nasceu o pai já tinha 50 anos e por causa da diferença de idade, nunca teve um relacionamento muito próximo com o pai e, por isso, acreditava que fazendo o pai morar com ele essa história poderia ser revertida.
O início do relacionamento dos dois é bem complicado, o pai idoso, cheio de manias e totalmente relutante em experimentar coisas novas e o filho jovem (32 anos) que adora comidas diferentes.
O que muda o relacionamento dos dois é a presença de Marina, namorada de Jesse. Jesse e Marina já sofreram por amor e quando se conheceram decidiram dar um passo de cada vez no relacionamento, sem planejar ou pensar muito no futuro. Esse relacionamento “moderno” não era o que Mickey queria para o casal, então começou a contar a Jesse a história de seu primeiro amor: Gina.
O livro é narrado em primeira e terceira pessoa, mas não é nem um pouco confuso. Mesmo quando a história é alternada entre presente e passado, a transição de linguagem e de tempo é feita de forma tão clara e tranquila que é como se estivéssemos assistindo a um filme ao ler os trechos.
Aliás, gostei muito da narrativa do Ronald, é simples, clara e coesa, o que deixa a história ainda mais bonita.
Eu achei bem clichê a história narrada pelo Mickey e assim que ele começou a narrar eu já sabia o final e quais eram as intenções, mas obviamente, Jesse só descobre isso nas últimas páginas do livro.
Fiquei bastante emocionada com o final. Apesar do final feliz, fiquei realmente triste por tudo aquilo ter acontecido. Não sei se existe a expressão, mas quando terminei de ler, fiquei de luto literário.
A capa é bonita, apesar de não ser espetacular e retrata bem a história. A diagramação e o miolo são bem bonitos, mesmo sendo simplórios. Achei que tudo harmoniou bem.
Encontrei um ou outro erro (digitação, talvez), mas nada muito grave que pudesse atrapalhar a leitura.