T. Greenwood
(3.5/5)
Editora Novo Conceito
1ª edição
2012
336 páginas

Sinopse: Quando o professor Ben Bailey sai de casa para pegar o jornal e apreciar a primeira neve do ano, ele encontra um jovem caído e testemunha os últimos instantes de sua vida. Ao conhecer a irmã do rapaz, Ben se convence de que ele foi vítima de um crime de ódio e se propõe a ajudá-la a provar que se tratou de um assassinato. Sem perceber, Ben inicia uma jornada que o leva a descobrir quem realmente é, e o que deseja da vida. Seu futuro, cuidadosamente traçado, torna-se incerto, pois ele passa a questionar tudo à sua volta, desde o emprego como professor de História, até o relacionamento com sua noiva. Quando a conheceu, Ben tinha ficado impressionado com seu otimismo e sua autoconfiança. Com o tempo, porém, ela apenas reforçava nele a sensação de solidão que o fazia relembrar sua infância problemática. Essa procura pelas respostas o deixará dividido entre a responsabilidade e a felicidade, entre seu futuro há muito planejado e as escolhas que podem libertá-lo da delicada teia de mentiras que ele construiu. Esta, enfim, é uma história fascinante sobre o que devemos às pessoas, o que devemos a nós mesmos e o preço das decisões que tomamos.

Opinião: A primeira coisa que eu tenho que comentar é que essa foi a capa mais bonita que a Novo Conceito já produziu: LINDA! Toda brilhosa e com um bom acabamento. A divisão dos capítulos é boa e a fonte utilizada é muito bonita.
Pela descrição na capa eu achei que o livro fosse uma coisa completamente diferente, meio autoajuda, mas não tem nada a ver com isso.
Conta a história de Ben, que ao encontrar o rapaz morto em frente de casa começa a desenterrar seus medos e problemas do passado e então ele começa a questionar a vida e as escolhas que fez.
Os capítulos são pequenos e o livro é dividido em títulos: “mundo azul”, “mundo amarelo”… eu amo livros com capítulos pequenos, me prende mais que os com capítulos longos, porque a cada capítulo que eu leio e termino, já tenho vontade de ler o próximo e o próximo e quando vejo: puf! O livro já terminou!
A história da investigação é interessante, não é algo que te deixa intrigado para ler, mas é uma boa história. E não sei explicar porque, mas fiquei presa ao livro. Não consegui larga-lo até terminar tudo, li ele todinho em menos de 18h, só parei para dormir, assistir aula e almoçar. Incrível!
Não é um livro feliz, é mais aquele tipo de leitura que te deixa introspectivo pensando na história, mesmo assim é um bom livro. Fugiu um pouco da linha fantasia que eu estava lendo e gostei de quebrar um pouco com algo mais realista.
Fica a dica.