Comecei a ler Marcada esses dias à noite, mas achei a leitura tão tranquila que terminei hj à tarde. ^_^

Marcada
Cast, P. C.; Cast, Kristin
(4/5)
Sinopse: Os vampiros nunca estiveram tão em alta, e neste mês chega ao Brasil, por meio da Editora Novo Século, a série The House of Night, um dos maiores sucessos da atualidade nos Estados Unidos e no mundo. A série já é bestseller no The New York Times, com mais de 3 milhões de livros vendidos. Em The House of Night você vai conhecer um mundo parecido com o nosso, exceto pelo fato de que nele os vampiros sempre existiram e convivem tranquilamente com as pessoas normais. No primeiro volume, Marcada, Zoey, uma garota de 16 anos, acaba de receber uma marca que vai transformar a sua vida por completo. Zoey terá que se afastar de seus amigos e de tudo aquilo que fazia parte da sua vida até então. A menina vai se transformar em vampira e usufruir de poderes que ela nem imaginava possuir. Mas para isso ela precisa suportar o difícil período de transformação, caso contrário morrerá. Marcada já vendeu mais de 700 mil cópias, sendo reimpresso 28 vezes, até o momento.
Opinião: A linguagem é MUITO adolescente. Tem um monte de bizarrice no estilo Crepúsculo de ser (Vampiros bonzinhos?! Shakespeare era um vampiro?! WTF?!), mas eu achei legal. Talvez pelo fato da Zoey não ser uma menina bobinha e retardada, mas uma adolescente normal que só quer encontrar seu lugar no mundo e conviver de forma pacífica com a família e os amigos na escola. Eu achei um “Diário da Princesa” com a protagonista virando vampira, com rituais que me parecem mais wiccan que vamps… Mas se vc não tem mais nada pra fazer e quer relaxar é uma boa leitura.

E como eu não vivo apenas de livros, ontem foi o CHÁ DE BOTA FORA DA MAÍRA. Foi surpresa pra ela, mas msm assim foi bem legal. Com direito a comidinhas engordativas, video extremamente chorável, brincadeiras engraçadas, certificado de marido em caráter experimental p/ Marcelo, caderno de mensagem e fotosas de recordação. ^_^
Odeio despedidas e essas coisas, prefiro ignorar o fato e pensar em como eu me sentiria no lugar da pessoa, mas tem horas que não dá p/ segurar esse sentimento egoísta e bate aquela deprezinha de que “it’s time to say goodbye”.
Mas está passando ^_^
Qdo me bate aquela invejinha boa por saber que ela está feliz e fazendo o que eu faria no lugar dela pra viver essa felicidade eu até esqueço da saudade adiantada. E com a frequencia que estamos conciliar os encontros SF6 com todo mundo dá pra fazer os encontros em 2 estados tranquilamente :)