Flex Clip: Criando vídeos para suas redes sociais

Hoje venho contar pra vocês sobre uma ferramenta incrível para criar aquele videozinho bem legal pra suas redes sociais de uma forma bem rápida e descomplicada. O Flex Clip é online e grátis e sem complicações, você só precisa criar uma conta e começar seus projetos.

A interface do site é bem intuitiva, você pode criar seus videos a partir de outros videos, fazer compilados, adicionar músicas, imagens e textos com efeitos, mudar a resolução e exportá los em HD e adicionar marca d’água também. Dá pra fazer muita coisa pra deixar o vídeo perfeito.

Aproveitei pra testas a ferramente fazer um vídeo mostrando os doces finos bombons e chocolates que a Poly faz. Deem uma olhada no resultado abaixo.

Quem gostou e se interessa por criação de videos aqui vai o link para o site:
https://www.flexclip.com

Tenho certeza que o Flex Clip vai facilitar a criação de videos pra muita gente (que como eu) não tem muita experiencia com aqueles programas complicados de edição de vídeo mas que quer deixar sua rede social organizada com videos bonitos.

Continue Reading

Livro: O Teorema Katherine

(4/5)
John Green
Intrínseca
2013
304 páginas

O Teorema Katherine conta a história de Colin Singleton, um adolescente que está superando seu mais recente pé na bunda. A sua décima nona namorada Katherine acabou de terminar com ele e ele está arrasado. Você não leu errado, Colin teve 19 namoradas chamadas Katherine. K-A-T-H-E-R-H-I-N-E. Nada de Catherine, Cathryn, Katrina, ou qualquer outra variação, todas tinham exatamente o mesmo nome e todos eram escritos da mesma forma. Como ele mesmo diz ao longo do livro, não foi por escolha, ou obsessão pelo nome, simplesmente foi acontecendo dele namorar meninas chamadas Katherines e elas terminarem com ele.

Para superar esse trauma, ele cai na estrada com o seu amigo Hassan e juntos eles começam a viver uma aventura. Eles saem sem destino até decidirem parar em uma pequena cidade onde está enterrado Francisco Ferdinando (aquele cujo assassinato foi o estopim da Primeira Guerra Mundial) e conhecem uma garota chamada Lindsay.

A mãe de Lindsay é dona de uma empresa fabricante de cordinhas de absorventes internos e é a empresa da mãe dela que mantém a cidade viva, pois todos os moradores possuem alguém que trabalha ou já trabalhou lá. A mãe de Lindsay contrata Hassan e Colin para que eles entrevistem os moradores da cidade.

Entre o trabalho e as conversas com Lindsay, Colin começa a desenvolver um Teorema capaz de prever o desfecho de qualquer relacionamento.

Antes de falar sobre o teorema, vale mencionar que Colin foi uma criança prodígio e participou de programa de TV por causa de sua excentricidade, hoje ele é viciado em anagramas e está vivendo uma crise existencial, pois acredita que seu momento de genialidade já passou e ele não fará mais diferença no mundo.

– Só quero fazer alguma coisa que seja importante. Ou ser alguma coisa importante. Eu só quero ser importante.

P. 126

Então, quando tudo estava perdido, ele tem essa ideia de elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines. Ele simplesmente pega todos os pontos dos seus relacionamentos com as 19 Katherines e os coloca em linguagem matemática, com gráficos que mostram o momento em que o relacionamento terminará. Se ele conseguir comprovar seu teorema, ele conseguirá descobrir o fim de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.

Foi o primeiro livro que eu li este ano e eu gostei por ser um livro do John Green, mas não é tão bom quanto eu esperava. A história é bem parada, só começa a se desenvolver mesmo depois que os meninos conhecem a Lindsay.

No entanto, nesta parte começam a surgir os gráficos matemáticos, que eu confesso que eu não li nenhum e nem fiz questão de tentar ler/entender. Sou totalmente de humanas, sorry. E os moradores da cidade são bem caipiras, inclusive a Lindsay algumas vezes, e a escrita me incomodava um pouco.

De todos os livros do John Green que eu já, esse foi o que eu menos gostei. E olha que eu já estava desenvolvendo um amor grande pelo autor.

Quem já leu este livro também teve essa impressão de uma leitura mais devagar?

Continue Reading

Como estudar inglês sozinha

No início do ano, quis melhorar minhas habilidades na língua da rainha e comecei a pesquisar como estudar inglês sozinha. Eu estudei inglês minha adolescência toda e sei além do básico, compreendo bem textos, consigo assistir séries e filmes sem legenda e me viro bem com meus conhecimentos, mas precisava praticar mais.

Estava sentindo que estava ficando enferrujada, então decidi recomeçar a estudar. A melhor opção seria um professor particular ou um curso de conversação.

Também vi aplicativos de estudo, como Cambly e ABA e gostei muito da proposta. O Cambly são aulas com base na conversação professores nativos. O ABA também tem aulas com professores nativos, mas possui conteúdo premium (para assinantes) e gratuito. A parte gratuita você consegue assistir a vídeos-aula, assinando o app, você tem acesso a lições, avaliações e direito a certificados.

Mas também os app pagos também não eram uma opção para o meu bolso, então fui sozinha procurar meu próprio conteúdo para estudar. É fácil separar o material? Não. Precisa de disciplina? Sim.

Mas como eu sou uma alma muito boa e caridosa, separei algumas dicas e links que estou usando e gostando muito.

Dica #1

Saiba qual é o seu nível de inglês. Existem vários sites que fazem isso gratuitamente, eu fiz o meu pelo ABA.

Você vai precisar saber seu nível para filtrar seu material de estudos. O meu é B2.

Dica #2

Separe 2h por dia de estudos. Quando eu fazia cursinho eram 3h de aula por semana. Com 2h diárias de dedicação dá para aprender até mais que no cursinho.

Dica #3

Tenha um cronograma de estudos. O meu tem estudos de segunda a sábado e domingo é o dia que eu tiro para separar material de estudos para a semana.

Meu calendário é:

  • Segunda-feira: Reading
  • Terça-feira: Listening
  • Quarta-feira: Listening + Speaking
  • Quinta-feira: Grammar
  • Sexta-feira: Writing
  • Sábado: Filme
  • Domingo: Separar material de estudos

Depois que eu comecei a estudar, eu percebi que seria melhor começar a semana com o Grammar e basear o resto das lições na gramática da semana. Enfim… depois de um mês estudando se eu mudar agora vai complicar minha cabeça. Mas fica a dica.

Dica #4 – Reading

Eu acho o reading a habilidade mais fácil de ser praticada porque é muito fácil encontrar qualquer coisa escrita em inglês. Mas eu comecei a praticar com o site English News In Levels. São as notícias da semana de forma resumida para a compreensão em 3 níveis: 1, 2 ou 3. Por este site meu nível é o 3.

Outra dica, é ler este site completo que além de praticar o reading você ainda pega dicas de como estudar.

Outro site interessante é o VOA Learning English. É bem completo e não tem apenas as notícias para ler, mas também áudios e lições.

Você também pode entrar em qualquer site de notícias como BBC, CNN, New York Times e ler alguns artigos.

Se quiser algo mais informal e divertido, procure fanfics em inglês. Nem todo mundo escreve corretamente, mas é um conteúdo divertido.

Dica #5 – Listening

Como eu escuto muita música em inglês eu também acho bem fácil de praticar. Eu comecei a estudar com as músicas mesmo, pegava uma música que eu não tinha ouvido ainda e ouvia no repeat até conseguir entender. Mas confesso que não é uma forma muito eficaz, apesar de ser divertida.

Nas minhas buscas eu encontrei este site (Interlink Language Centers) maravilhoso de spelling practice com muitos testes para fazer.

Mas o que eu estou usando é o site do Bristish Council. Eu estou muito apaixonada por ele. Além de praticar listening, também dá para praticar reading, writing e speaking. É um poço de diversão para quem quer estudar.

Quem quiser mais modernidade, há app para smartphone e tablet. Eu uso mais o app no iPad porque fico com preguiça de ligar o notebook.

Os áudios possuem transcrição e exercícios de compreensão com correção online.

Outro app que uso muito é o da BBC Learning English. Uso um para complementar o outro.

Dica #6 – Speaking

Como estudar inglês sozinha e conversar? Parece estranho, mas é possível. A solução mais fácil é falar sozinha. Pode parecer coisa de louco, mas funciona. Ouvir os áudios dos listening e depois ler em voz alta é bem interessante.

Se isso parece estranho, tem o app IELTSpeaking. Achei na Apple Store, mas deve ter para Android também. É um treino para o teste do IELTS, o app te faz perguntas e você responde. Suas respostas ficam gravadas e você ouve sua voz.

Se ainda parece estranho, arruma um amigo online e converse com ele. Eu uso os app HelloTalk e Tandem.

Dica #7 – Grammar

Eu comecei a estudar gramática pelo Grammar In Levels. A vantagem é que tem o livro de O Pequeno Príncipe em áudio ao final de cada lição gramatical, mas o conteúdo deixa a desejar.

Eu complemento com o British Council e pego exercícios no English Grammar. Aliás, o English Grammar foi o segundo (British Council foi o primeiro) melhor achado da minha vida estudando sozinha. Tem MUITOS exercícios online e conteúdo para baixar.

Dica #8 – Writing

Também não é difícil de treinar porque basicamente tudo o que você precisa fazer é escrever.

Aí vale desde legenda em foto no Instagram, conversar com as pessoas pelo Tandem e HelloTalk, fazer post no blog, escrever fanfics…

Mas eu tenho muita dificuldade em escrever sem uma temática. E toda semana escrever um artigo de umas 15 linhas com um tema aleatório é complicado. Foi aí que eu achei a parte teen do site do British Council.

Como é voltado para adolescentes, os temas para escrever são bem interessantes (blog, artigo de revista, e-mail formal e informarl). Antes de cada lição ainda tem uma compreensão e dicas de como escrever.

Dica #9

Consuma o máximo possível de conteúdo em inglês. Músicas, filmes, séries, vlogs, blogs, jornais, etc.

Eu estou assistindo a filmes e séries em inglês com legendas em inglês. Meu objetivo atual é compreender o máximo possível das coisas. Com a legenda eu vejo como se escreve algumas palavras e acho que aprendo mais com isso.

Dica #10

Todos os sites que eu uso:

Espero que tenham gostado das dicas, se tiver mais alguma deixa aí nos comentários. E pode ser para aprender qualquer outro idioma estrangeiro também.

Continue Reading