O que eu fiz nos últimos tempos

Eu sei que eu andei bastante sumida do blog e estou postando bem menos do que minha média, mas a vida tem dessas coisas. Pensei em voltar diversas vezes, mas não queria fazer um post aleatório só por postar. Queria contar algumas coisas que estou fazendo e “explicar” meu sumiço por aqui. Por isso resolvi falar o que eu fiz nos últimos tempos.

Então vamos por partes…

A de Avelã

Estou montando meu próprio negócio. Faço doces, bombons e chocolates por encomenda. Mas o que eu mais vendo no dia a dia são as palhas italianas gourmet (odeio esse nome, mas são uns doces de sabores diferentes dos convencionais, tenho de café, limão siciliano, maracujá, churros…)

Palha Italiana de Oreo

Pós-Graduação

Iniciei a pós-graduação em Gestão Empreendedora pelo Senac no ano passado. O curso tem tudo a ver com a A de Avelã e é de fato uma extensão da faculdade. Muitas matérias de gestão que eu estudei na faculdade estou estudando na pós, com a diferença de que já estou aplicando no meu negócio.

É um curso muito interessante para quem gosta de empreendedorismo e meu TCC será meu Plano de Negócios completo.

O que é um Plano de Negócios? Plano de Negócios é um documento que orienta o empreendedor na criação do empreendimento. Nele contém todos detalhes do plano de marketing, público alvo, produtos, funcionários necessários, fluxo de caixa, etc. Ele também pode ser utilizado para atrair investidores.

O bacana é que cada aluno termina a pós com uma pós-graduação no currículo e um plano de negócios completo e corrigido pelos professores.

Filme: Viajantes 2 – Aventura agora é na fazenda

Gravei mais um filme! No início de 2018 gravamos mais um filme, a continuação de Viajantes. O primeiro filme foi uma sátira ao BBB, esse segundo filme é uma sátira À Fazenda. Tem cenas da gente correndo atrás de galinha, procurando baú no bananal, dançando até cair…

O filme foi lançado em novembro no Cine Jardins, um cinema de Vitória. E em janeiro deste ano foi lançado no YouTube para todo mundo assistir. Só clicar aqui.

Websérie Resistentes

No segundo semestre de 2018 gravamos a segunda temporada de Resistentes. Ela ainda será lançada. No próximo dia 21 para os atores e convidados e em março estará disponível no YouTube. Divulgarei o link assim que sair.

Ainda sobre Resistentes… a primeira temporada foi indicada para o Rio WebFest que aconteceu no Rio de Janeiro em novembro. Concorremos com webséries de todo o Brasil e América Latina e ficamos entre os finalistas. Só de termos chegado ao festival já foi uma vitória. Primeira web capixaba no festival.

Teatro

E claro, continuei no teatro. É uma coisa que eu amo muito e terminei o ano de 2018 com 8 peças no currículo e, finalmente, o DRT em mãos.

No fim do ano apresentamos a peça: E foram felizes para sempre… Será? Uma comédia contando a vida dos príncipes e princesas após o “felizes para sempre”.

Gatos

A família felina aqui de casa aumentou. No início de 2018 adotamos a Mel, uma gatinha de olhos azuis. Ela ficava em um escritório no bairro vizinho, mas o pessoal ia se mudar para o interior e queriam abandonar a gata. O pintor que faz serviço aqui em casa ficou com dó e trouxe ela para a gente.

O nome surgiu porque eu fui conversar com ela e perguntei:

– Qual é o seu nome?

– Meow

– Meow?

– Meow.

– Meow… Mel? Seu nome é Mel!

– Mel.

No dia do segundo turno das eleições eu estava indo votar e perto da igreja eu vi um gatinho preto gritando desesperado. Peguei ele, levei pra votar comigo e trouxe para casa. Assim chegou o Ninho.

Por que o nome não é Léon? Porque Léon não é nome de comida (e ele não gostou dos outros nomes sugeridos. Nem ligo se leite Ninho é branco e meu gato é preto).

Francisco: ele foi um anjinho que ficou pouco tempo conosco. Eu tinha acabado de voltar do médico e a vizinha chegou perguntando se um gatinho preto era nosso, porque estava pendurado no fio de telefone. Aí minha prima foi lá ver e trouxe um gatinho com cordão umbilical e olhos fechados. A vizinha mandou uma mamadeira e um Pet Milk junto.

Fiquei quase duas semanas cuidando do Francisco, sem sair de casa (quando saía eu levava ele na bolsa de transporte com a mamadeira em outra bolsa térmica), dando mamadeira de 3 em 3 horas, ele abriu os olhinhos, começou a dar os primeiros passos, mas dois dias depois ele começou a perder peso, teve uma diarreia, foi ficando bem fraquinho e não resistiu. Estamos há 1 semana sem o Francisco.

Atualmente eu tenho: Pudim, Muffin, Biju, Pipoca, Cacau, Mel e Ninho. E Chocolate, o cachorro.

Então é isso… esse foi o resumo da minha vida nos últimos meses. Acho que alguns desses tópicos rendem posts maiores. Se tiverem alguma dúvida ou quiserem saber mais sobre pode perguntar, responderei com o maior prazer.

Continue Reading

Livro: Todo o tempo do mundo

Maurício Gomyde
(5/5)
2018
Astral Cultural

Antes de começar a resenha, vou contar a situação de como descobri a sinopse: Maurício estava presente no bate-papo do Amigo Livro explicando sobre o que era Todo o tempo do mundo. Eu sou do tipo de pessoa que quando gosta de um autor vai lá e compra o livro e começa a ler sem nem saber do que se trata. Para a minha surpresa, ele diz que o livro é sobre viagem no tempo.
Pera aí. Viagem no tempo? Maurício começou a escrever ficção científica? Fique descrente, porque ele é um excelente autor de romances, mas quando colocou “viagem no tempo” eu fiquei com um pé atrás. Porém como sou muito curiosa, iniciei a leitura para saber como seria a história.

Eu sou do tipo de pessoa que quando gosta de um autor vai lá e compra o livro e começa a ler sem nem saber do que se trata. Para a minha surpresa, ele diz que o livro é sobre viagem no tempo.
Pera aí. Viagem no tempo? Maurício começou a escrever ficção científica? Fique descrente, porque ele é um excelente autor de romances, mas quando colocou “viagem no tempo” eu fiquei com um pé atrás. Porém como sou muito curiosa, iniciei a leitura para saber como seria a história.

Felicidade é viver a verdade que mora no fundo de seu peito, aquela que ninguém jamais vai conseguir arrancar de você

Vitor Pickett é um homem peculiar. Dono de uma vinícola em uma cidadezinha no Sul do Brasil ele vive recluso em seu universo de parreiras e vinhos, com pouco contato com pessoas.
Quando era adolescente ele descobriu que tinha um dom (ou uma maldição): toda a vez que ele ficava muito feliz ele viajava para o passado e toda vez que ele fica muito triste ele vai para o futuro. E ele descobriu isso da pior forma possível, ao beijar sua crush, Amanda, na festa da escola. No ponto alto de toda existência dele até então, Vitor volta ao passado e com isso ele perde Amanda de vista.
No dia seguinte ela viajou com a família para outro país e eles sofreram um atentado terrorista, no qual Vitor teve certeza de que ela morreu.
Mas ela está viva, casada, morando na Argentina e trabalhando como gerente em uma livraria.
Anos mais tarde, a turma quer se reencontrar e fazer uma festa de 20 anos de formados. Vitor e Amanda recebem o convite e por alguma razão que só o destino sabe, eles decidiram ir.
Na festa eles se reencontram e têm a chance de reviver o que o passado não permitiu, mas para isso muitas coisas precisarão ser esclarecidas.
Amanda precisa contar o que aconteceu com ela durante todo esse tempo e Vitor precisa entender os motivos pelos quais ele viaja no tempo.
A história é linda, emocionante, com excelentes pontos de virada e o Maurício continua surpreendendo o leitor e deixando-o sem palavras.
Se você ficou com preconceito com o livro só porque leu viagem no tempo na sinopse, esqueça. A história é muito mais profunda e não gira em torno disso. O fato só tempera a narrativa, o romance continua sendo o elemento principal e o desenrolar dessa história de amor de duas décadas é o que fica em evidência.
Assim como os personagens, a todo tempo somos indagados sobre o que é felicidade genuína e a cada resposta deles, mais refletimos sobre a nossa própria felicidade.
É aquela história que nos faz pensar na vida e nos traz questionamentos existenciais sem nos darmos conta, mas no fim do dia acabamos a leitura com um quentinho no peito e a sensação de conforto que só um bom livro nos proporciona.

Felicidade é uma sequência de segundos que a gente deseja que dure pela eternidade.

Maurício novamente se supera como autor e traz mais um livro emocionante. Eu estava no meio de uma ressaca literária li o livro em menos de 3 dias. Simplesmente não podia largar o livro enquanto não soubesse o que aconteceria com Vitor e Amanda.
Quer começar 2019 nas leituras? Esta é a minha indicação.

Mais uma foto com o autor para a minha coleção (o livro também está autografado)

Continue Reading

Cadê o carro?

Eu tenho carteira de motorista desde os 19 anos, mas nunca tive interesse em dirigir e ter meu próprio carro. Sabe quando você coloca na ponta do lápis os prós e contras e acaba se decidindo em continuar andando de ônibus?
Mas para a maioria das pessoas ter a carteira de motorista e não dirigir por opção é algo muito intrigante. Desde quando tirei minha carteira que eu sou constantemente questionada a respeito do meu próprio carro.
Já tem carro?
Está dirigindo?
Quando você vai comprar um?

Mas enquanto eu estudava eu achava muito desnecessário dirigir. O ponto de ônibus é quase na porta da minha casa, o ponto de ônibus da faculdade também era. Não via mesmo a necessidade, até porque eu usava o tempo no ônibus para estudar e dormir (o que eu jamais poderia fazer dirigindo).

Agora que estou livre da faculdade estou começando a pensar no assunto. Não tenho mais despesas com xerox e mensalidade e um carro pode me dar uma maior liberdade para sair para qualquer lugar e voltar na hora que eu quiser, sem ficar me preocupando com horário de ônibus ou se o motorista do app vai me matar depois de roubar meus órgãos.
Como estou começando a empreender agora, não cogito comprar um carro zero. Penso muito em seguir o conselho do meu oftalmologista (que eu conheço desde criancinha) e procurar entre carros usados. Além do valor ser mais em conta, dependendo do modelo, ele será menos visado por assaltantes. E a vantagem seria que eu não ficaria tão apreensiva em dirigir (sabe aquele medinho de arranhar ou sujar o carro recém saído da concessionária? Não aconteceria).
Não é fácil se decidir. Eu preciso que colocar os prós e contras na ponta do lápis. Nessa conta eu preciso considerar também carros seminovos. Os modelos seminovos são ainda mais interessantes, muitos são tão bem conservados que nem parece que já tiveram um dono antes.
Para um primeiro carro, seminovos e usados são ótimas opções. Acho melhor deixar o carro zero só para quando a pessoa tiver mais experiência e segurança ao volante.

Se você também está pensando em comprar seu primeiro carro, pense nessas questões antes de colocar a mão no bolso:

Depreciação

O carro novo começa a ser desvalorizado assim que sai da concessionária, já um seminovo ou usado já sofreu a depreciação e o valor fica mais em conta. Pesquise antes de comprar para saber se o investimento vale à pena.

Custo-benefício

Não olhe só o valor, cada modelo traz seus benefícios e desvantagens, pesquise sobre valor do seguro e gastos com combustível.

Gastos com manutenção

Antes de comprar um carro saiba quais são serão os gastos com a manutenção do carro. Alguns carros possuem um custo de manutenção muito alto (peças muito caras) e pode não compensar para o seu bolso.

Documentação

Veja os custos com IPVA e DPVAT. O carro novo precisa de despesas com emplacamento e licenciamento. No usado, é necessário pagar os custos de transferência.

Continue Reading