• Planning 101: Kakebo – Agenda de Finanças Pessoais

    Kakebo em japonês significa “livro de contas das despesas de casa”, e nada mais é do que uma agenda financeira utilizada para controle de gastos.
    É um livro com várias tabelas para organizar receitas e despesas. Fiquei conhecendo este livro no início do ano e acabei comprando porque além de ser um planejador bonitinho, ele estava em promoção (acho que paguei R$19,90 ou menos).
    kakebo1
    Nas primeiras páginas há informações passo a passo de como utilizar o livro e um gráfico bem didático para utilizar toda vez que ficar em dúvida sobre uma compra.
    kakebo
    kakebo
    O Kakebo possui espaço para o planejamento de 12 meses. No início de cada mês há espaço para anotar os faturamentos e as despesas fixas. Além dos objetivos, promessas e previsão de economia.
    O melhor é que como o planejador não é datado pode-se começar as anotações em qualquer data.
    kakebo
    O layout semanal é vertical e dividido em quatro tópicos: Sobrevivência, Lazer e vícios, Cultura e Extras. Todas as despesas devem ser anotadas no planner e ao fim de cada semana os gastos são somados.
    kakebo5
    Ao fim do mês fazemos uma análise dos gastos e refletimos sobre as despesas e se conseguimos atingir o objetivo de economia.
    kakebo
    Ao final temos gráficos de resumo anual e um questionário final.
    kakebo
    Quando eu comecei a usar a agenda eu estava bem empolgada com a ideia do Kakebo e de economizar. Uso o Kakebo para as despesas da casa toda e não é tão simples quanto parece, mas está ajudando bastante no planejamento financeiro.
    Não economizei um centavo depois que comecei a usar, mas pelo menos sei onde está indo o dinheiro.
    Acho o Kakebo mais fácil de usar do que planilhas e até mesmo que os aplicativos de celular. Eu sempre esqueço de usar os aplicativos, mas como eu prefiro papel, uso o planner muito mais.

    KAKEBO

    Comite Blackie
    Editora Best Seller
    200 páginas

    Você realmente gasta de forma consciente? Sabe identificar o valor real das coisas? Para todos aqueles que têm dificuldade de chegar ao fim do mês com saldo positivo na conta-corrente, chegou a ferramenta perfeita para administrar seus gastos diários. Uma verdadeira tradição no Japão, utilizado por milhares de pessoas, Kakebo irá ajudá-lo a repensar suas finanças, organizar sua vida diária e refletir sobre seus hábitos de consumo. Esta divertida agenda financeira é o caminho perfeito rumo a uma vida financeira mais estável com hábitos responsáveis. Kakebo é sucesso no Japão, onde mais de um milhão de exemplares são vendidos anualmente. O livro funciona como uma agenda financeira, com várias tabelas para anotar os gastos e dicas para economizar.

    Onde comprar?
    Livraria Cultura
    Amazon
    Livraria da Folha
    Saraiva

    Comments Off on Planning 101: Kakebo – Agenda de Finanças Pessoais
  • Resultado: sorteio de aniversário de 9 anos do blog

    Hoje é dia de vir aqui agradecer a todas as entradas para o sorteio de aniversário de 9 anos do blog.
    Obrigada a todo mundo que participou e ajudou na divulgação do sorteio.
    resultado sorteio de aniversário
    Foram 601 entradas e 55 comentários, dentre leitores antigos e novos leitores. Fico muito feliz ao ver cada vez mais adesão aos sorteios.
    Continuem assim para eu trazer sempre conteúdo e sorteios novos.
    Agora vamos ao ponto mais importante: o nome da pessoa sortuda que vai aproveitar muito o vale-compras neste fim de ano…
    luly
    Parabéns, Luly!!! Aguardando o e-mail com os seus dados.

  • Livro: O primeiro dia do resto da nossa vida

    o primeiro dia do resto de nossas vidasKate Eberlen
    (5/5)
    Editora Arqueiro
    2016
    432 páginas

    Tess e Gus foram feitos um para o outro. Só que eles não se encontraram ainda. E pode ser que nunca se encontrem…

    Quem consegue resistir a um livro com essa chamada? Se a sua mente já começou a tocar alguma música da Liz Phair e você está esperando uma comédia romântica digna de Sessão da Tarde você está certo.
    A história de O primeiro dia do resto da nossa vida começa em agosto de 1997.
    Tess está de férias com sua melhor amiga Doll e sonhando com a universidade. Elas passaram o verão viajando de um país para outro da Europa e agora estão na Itália aproveitando os últimos momentos. Elas estão fazendo planos para o futuro e pensando em como a vida mudará com o fim das aventuras de verão. Tess, uma moça inteligente e ávida tenta absorver ao máximo da cultura e da arte presente no país. Doll não se interessa tanto assim pelos passeios pelas numerosas igrejas, mas não desanima a amiga.
    Gus está viajando com os pais pela Itália. Ele adoraria fugir de todas as programações familiares que os pais fizeram e ficar admirando as obras presentes nas igrejas e na arquitetura italiana, mas o máximo que consegue são rápidas escapadas para correr. Ele mal pode esperar para ir para universidade e fugir do controle dos pais. Ele queria estudar arte ou outra coisa, mas seus pais insistiram para que ele fizesse medicina e o rapaz não contrariou a vontade da família.
    Os capítulos dos livros são intercalados, ora conhecemos a história de Tess, ora a de Gus. A cada capítulo e a cada página virada me vi perguntando se finalmente Gus e Tess se encontrariam.
    São narrados dezesseis anos de história. Vemos a vida de Tess virando do avesso, acompanhamos seus êxitos e suas perdas. Também conhecemos as fraquezas e as qualidades de Gus e percebemos como os dois personagens são reais.
    A vida de ambos possui altos de baixos e a autora conseguiu transmitir todos esses sentimentos. Nada é perfeito. É um livro totalmente fora do clichê.
    O tempo todo Tess e Gus estão se cruzando pelos caminhos ou estão no mesmo lugar e na mesma hora, mas eles não se conhecem e um não sabe da existência do outro.
    Várias vezes me questionei se eles realmente eram perfeitos um para o outro e se eles deveriam ficar juntos. No final das contas eu cheguei à conclusão de que ninguém é perfeito para ninguém. Somos indivíduos com defeitos e qualidades. Nossa metade da laranja não vai encaixar certinha e talvez ela nem seja uma laranja.
    A autora brincou de Deus e senhora do destino e ficou com a vida dos personagens nas mãos. A todo momento ela juntava e afastava os protagonistas de uma forma tão sutil que só no fim do livro que sabemos se eles se encontram ou não. Ou se eles são destinados a ficar juntos, ou não.
    O primeiro dia para o resto de nossas vidas é um livro adorável, daqueles que aquecem o coração. É leve, é engraçado, é fofo e emocionante.

    – Não posso fazer você ter fé, Tess – disse ela. – Esse é um passo que você tem que dar sozinha e, depois, tudo vai fluir.
    P. 37