Das coisas que ninguém nunca saberia sobre mim se eu não contasse: eu gosto de bossa-nova. E não, eu não sei cantar de cor Águas de Março (deixa isso para a Analu), mas eu amo acordar domingo de manhã ouvindo Bossa Nova (em português, em inglês e em francês – porque gosto de ser poliglota). Nada melhor do que começar um dia preguiçoso do que com um som calmo e tranquilo como uma brisa.
Mas eu gosto da bossa nova de raiz, aquela que começou nos anos 50 e foi até meados dos anos 60, quando se transformou em MPB e recebeu influência de tudo quanto é estilo. Eu prefiro a mistura jazz e samba e acho lindo demais ouvir as versões tradicionais em outros idiomas e regravadas por cantores novos. Bate até um orgulhinho de ser brasileira.
segunda bossa nova
Apesar de eu não ser 9vinha, bossa nova não é coisa de velho, eu gosto do estilo desde adolescente, quando era noveleira e só assistia às novelas do Manuel Carlos por causa da trilha sonora (há!).
Ainda tenho os dois pés grudados no pop, mas é bom variar um pouco, né?! Então vem ouvir música boa comigo, vem. Vamos começar a semana em ritmo de uma tarde em Itapuã.
segunda bossa nova 2

(se o player não abrir, Ouça no Spotify).

Imagem: Gratisography