Sussurro
Becca Fitzpatrick
(4/5)
Sinopse: Entrar em um relacionamento não estava nos planos de Nora Grey. Pelo menos até a chegada de Patch. Seduzida por seu sorriso despretensioso e pelo olhar que parece enxergar através dela, Nora se sente incapaz de pensar com clareza.
É quando uma sucessão de acontecimentos assustadores começa a cercá-la. Enquanto isso, Patch parece surgir em todos os lugares e mostra que sabe absolutamente tudo sobre sua vida. É impossível decidir entre atirar-se nos braços dele ou fugir do perigo que o ronda.
Na busca de respostas, Nora se aproxima de uma verdade ainda mais avassaladora que seus sentimentos por Patch. De repente, ela está no centro da eterna batalha travada entre anjos caídos e seres imortais – e quando chegar a hora de escolher um dos lados, a decisão errada poderá custar sua própria vida.
Opinião: Depois dos vampiros chegou a vez dos anjos virarem seres do mal e apaixonados ao mesmo tempo. Bem WTF? msm, mas é legalzinho. Não entra na lista dos favoritos, mas não é tão ruim.
Se vc está de saco cheio de histórias estilo Crepúsculo e afins nem tente começar a ler, mas se vc não tem problemas com isso, divirta-se. Li em 2 dias, mas era só pq eu não tinhha nada p/ fazer, pq a leitura não me prendeu tanto assim.

Jornal Nacional – modo de fazer
William Bonner
(4/5)
Sinopse: Este livro tem o objetivo de mostrar de maneira clara, mesmo para quem não seja profissional do jornalismo, como é construído, dia a dia, o telejornal de maior audiência do Brasil.
Quais são os critérios para selecionar os assuntos publicados pelo Jornal Nacional? Eles estão explicados aqui.
O cronograma de um dia típico na redação é detalhado em todas as etapas, com exemplos que permitam ao leitor compreender sua importância. E uma parte substancial do tempo de leitura será consumida (prazerosamente, espero) num mergulho em edições atípicas do JN: aquelas que saíram completamente do formato habitual por força de alguma notícia ou de algum evento de magnitude. O barco que era para ter sido usado na Caravana JN e que não foi. Os bastidores de um JN apresentado na laje de um prédio em construção. O dia em que freiras salvaram o Jornal Nacional.
Jornal Nacional: Modo de Fazer não é como a receita tradicional, imutável, de um bolo. Para chegar aos 40 anos com a importância que tem, o JN mudou sua receita muitas e muitas vezes, ao sabor das novas tecnologias, do amadurecimento da democracia, do crescimento do Brasil. Mas é com orgulho que os profissionais do JN em 2009 notam, no atual “modo de fazer”, a manutenção do respeito ao compromisso original de mostrar as principais notícias do Brasil e do mundo com clareza, isenção, pluralidade e correção.
Opinião: Como eu tenho uma veia mto forte no jornalismo, é óbvio que eu adorei o livro, mostrando como funciona o JN e contando algumas histórias envolvendo reportagens e o Bonner. A linguagem é bem simples e a leitura flui numa boa, mesmo p/ quem não entende nada de jornalismo. Mas tem que ser lido com um olhar crítico, sabendo que o JN é um produto da Rede Globo e não possui nenhum tipo de neutralidade e que o Bonner ao escrever o livro estava querendo promover a criança (e a si próprio), mais do que fazer os telespectadores entenderem como funciona o programa. No mais, é uma boa leitura, principalmente para os curiosos (como eu) por tudo que envolva a televisão.