Série: The Marvelous Mrs. Maisel

Algum amigo me recomendou a série The Marvelous Mrs. Maisel e eu fiquei com preguiça de procurar só pelo nome gigante, mas um dia sem nada para fazer e zapeando pelo Amazon Prime, dei de cara com ela e pensei “por que não?”.

Em uma semana eu terminei de assistir às duas temporadas disponíveis e ainda fiquei querendo mais. Mas o que tem de interessante?

A série se passa na década de 1950 e mostra como Miriam (Midge) Maisel (Rachel Brosnahan)deixou de ser a dona de casa exemplar e perfeita para se tornar uma comediante de stand up.

Midge cresceu e foi educada para encontrar um homem, se casar com ele, ser mãe e dona de casa e continuar perfeita. Totalmente uma garota pinup capa de revistas femininas da época.

E ela conseguiu tudo isso e estava feliz vivendo com seu marido e seus dois filhos (um menino e uma menina) pequenos em um maravilhoso apartamento em Manhattan quando tudo vira de pernas para o ar!

Seu marido, Joel Maisel (Michael Zegen), a abandona para ir morar com a secretária (e amante!).

Midge então volta para a casa dos pais e precisa enfrentar o drama de ser uma mulher divorciada. O que era uma absurdo na época! Os pais a culparam por não ter segurado o Joel, nem ter implorado para ele ficar.

Se não bastasse isso, Midge ainda tem a audácia de procurar um emprego!

Mas sua família e amigos não imaginam o pior: Midge começa a se aventurar pelos palcos como comediante. Tudo começou por um acaso, mas ela possui um talento nato para o stand-up e cria ótimas piadas no improviso, cativando todas as plateias.

O stand-up não é um universo muito distante do dela, Joel gostava de se apresentar e Midge sempre o acompanhava e fazia anotações de suas apresentações, mas ele não era tão bom e copiava piadas de outros comediantes.

Ao se apresentar sozinha, Midge era apenas ela mesma contando o dia a dia de uma mulher e dona de casa. Muitos assuntos considerados tabu, como gravidez, eram levantados por ela de forma cômica.

Sua forma natural e espontânea atraiu a atenção de Susie (Alex Borstein), gerente do bar Gaslight, que se oferece para ser sua agente. Susie possui um humor ácido, não pensa antes de falar e leva uma vida totalmente diferente da de Midge, mas apesar de tantas diferenças, as duas acabam criando um vínculo incrível e as cenas das duas são excelentes.

The Marvelous Mrs. Maisel foi a série que mais recebeu prêmios em 2018 e a terceira temporada já está confirmada para estrear dia 6 de dezembro de 2019.

Continue Reading

Filme: Mary Shelley

(5/5)
Mary Shelley
Elenco: Elle Fanning, Douglas Booth, Bel Powley, Maisie Williams, Joanne Froggatt, Stephen Dillane, Tom Sturridge, Ben Hardy, Hugh O’Conor, Jack Hickey, Ciara Charteris, Donna Marie Sludds, Michael Cloke
Distribuição Netflix
2017

O filme Mary Shelley é inspirado na vida de
Mary Wollstonecraft Godwin, mais conhecida como Mary Shelley e seu conturbado relacionamento com Percy Shelley.

Mary é uma moça extremamente criativa e que adora escrever histórias de terror e contar para os irmãos. Aos 16 anos ela conhece o jovem e sedutor escritor Percy Shelley e se apaixona por ele e sua visão de mundo.

Percy, além de casado, possui um comportamento fora dos padrões exigidos pela época e Mary foi proibida de se envolver com ele, mas ela desobedece ao pai e foge com Percy, levando junto sua irmã, Clara.

Mary e Percy Shelley

O relacionamento dos dois era intenso como o fogo, mas aos poucos ela começa a conhecer o lado desajustado e irresponsável de Shelley e passa a questionar se fugir com ele foi a melhor decisão.

Elle Fanning consegue sua delicadeza transmitir todas as nuances da Mary Shelley, uma mulher que é forte e doce ao mesmo tempo. O filme mostra com maestria as angustias femininas.

As falas são poéticas e sutilmente mostra como o machismo estava presente na sociedade.

Mary e Percy Shelley

Mary Shelley mostra como os tormentos da autora criaram o livro Frankenstein.

É incrível ver como Mary tentou publicar o livro por conta própria, mas apesar da grandiosidade de sua obra ninguém queria publicar porque foi escrito por uma mulher.

Na primeira edição Frankenstein foi publicado como sendo escrito por Percy Shelley e apenas na segunda edição é que a obra foi devidamente creditada a Mary.

É um filme belíssimo, que está disponível na Netflix. E eu já recomendei pra todo mundo desde quando assisti. Se você gosta de literatura ou de história este filme é imperdível.

https://youtu.be/xZyn-3mD8kY
Continue Reading

Filme: Inferno

infernoInferno, 2016
(4/5)
Robert Langdon (Tom Hanks) acorda em um hospital de Florença, na Itália, com um ferimento na cabeça causado por um tiro de raspão. Ele não se lembra de nada que aconteceu com ele nos últimos dois dias e se sente muito confuso. Em sua última lembrança ele ainda estava no continente americano!
Robert é atendido pela médica Sienna Brooks (Felicity Jones), que o conheceu quando era criança.
Assim que desperta, uma mulher misteriosa entra no hospital para ataca-lo. Robert é salvo por Sienna, que foge com ele e o leva para seu apartamento.
Lá, ele descobre que em seu paletó há um frasco que pode ser aberto com sua impressão digital. Ao colocar seu dedo no sensor e abrir o frasco ele encontra o Mapa do Inferno, obra de Botticelli, inspirada na obra Inferno de Dante Alighieri.
Robert precisa interpretar a imagem da obra para salvar sua vida e a de toda humanidade.
Começamos o filme tão confusos quanto Robert. As imagens são confusas e misturadas. Conforme Langdon vai se lembrando dos fatos vamos entrando na história e descobrindo o que aconteceu com o professor e o que pode acontecer com a humanidade se Langdon não desvendar o Mapa do Inferno a tempo.

Desde o anúncio do lançamento que eu estava ansiosa pelo filme, esperei uns dias e fui com minha amiga. Eu tinha lido o livro e ela não. Nós duas amamos o filme na mesma proporção.

Inferno

Achei o filme bem fiel ao livro. É uma obra envolvente e não dá pra piscar nenhum minuto. A ansiedade bate forte a cada pista que eles encontram.

Inferno

Já vi críticas de quem assistiu Anjos e Demônios e O Código Da Vinci e não leu aos livros e disse que não conseguiu compreender os filmes tão bem assim. Minha amiga não leu Inferno, mas entendeu tudo muito bem e ficou bem curiosa para ler quando eu contei que o final do livro é diferente.

Inferno

Sobre as diferenças entre os finais, ainda prefiro o do livro, mas talvez para Hollywood a melhor decisão foi ter modificado o fim.

Continue Reading