Diário de Viagem: Reino Unido – Bristol

Acordei dia 09 de junho, juntei minhas malas e fui para a Victoria Coach Station pegar um ônibus para Bristol.

Viajar de ônibus no Reino Unido é bem mais barato que trem. Dependendo do horário e de quando você compra é possível encontrar passagens com valores bem reduzidos (£1 por exemplo). No meu caso, desde quando comecei a pesquisar sobre a viagem a passagem ficava em torno de £30 (ida e volta), então comprei no dia mesmo, no guichê da companhia.

Fui e voltei com a National Express (mais ou menos 2h de viagem). Os ônibus têm internet, carregador USB e banheiro.

Um alerta que ninguém me avisou e eu acho muito importante de frisar é: não existe fiscalização de bagagem nos ônibus. O motorista coloca sua mala lá dentro e não tem ninguém conferindo quem pegou a mala e a se a mala é sua mesmo. Então, tomem muito cuidado com a bagagem de vocês. Não me aconteceu nada, graças à Deus, mas fica de alerta. Já vi comentários sobre furtos de malas em ônibus e trens da Europa.

A primeira coisa que eu fiz quando cheguei em Bristol foi comprar um chip telefônico para internet (sim card). Peguei um da EE, paguei £15 e tive internet pelo resto da viagem.

A segunda coisa foi procurar um ônibus que me levasse até o hotel.

Em Bristol eu fiquei hospedada no DoubleTree By Hilton. Eu cheguei e fui literalmente recepcionada pela comissão da seleção de cricket, que também estava hospedada no hotel. A senhora que estava recepcionando os jogadores que me atendeu e me indicou onde ficava a recepção.

O hotel faz parte da cadeia de hotéis Hilton e é bem confortável. O restaurante fica dentro de onde era um forno de vidro. A arquitetura é linda. O café da manhã é extremamente farto, o staff te recebe na porta, te indica a mesa e te serve chá, café ou suco de laranja na mesa, mas o buffet é livre e tem outras opções de bebidas quentes e sucos. Além de pães, frutas, cereais e o café da manhã tipicamente britânico.

O hotel fica ao lado da igreja St Mary Redcliffe e perto da estação Temple Meads. Perto do hotel tinha uma obra enorme na rua e o Google ficava totalmente perdido com a localização e não sabia me mandar para lugar nenhum.

Eu só queria comprar um meal deal na Tesco e eu andei o dobro de tantas voltas que o Google me mandou dar.

Por causa desse monte de voltas eu quase morri.

Eu cheguei da Tesco com minha janta por volta das 21h. Eu comprei um frappuccino do Starbucks, um sanduíche e um potinho de frutas (£3 tudo). Comi, me aconcheguei na cama e me preparei para dormir. Mas o coração não parava de bater rápido, a respiração continuava ofegante e eu sentia como se tivesse corrido uma maratona.

Achei que eu estava assim porque tinha andado muito com a mala pesada mais cedo e depois andei bastante para ir comprar comida e voltar. E como eu sou sedentária poderia ser normal. Mas já tinha se passado horas e nada de eu relaxar ou a respiração melhorar.

Só pensei: pronto. Vou morrer aqui sozinha.

Peguei meu seguro viagem, o telefone da seguradora e o da embaixada, coloquei em cima da mesa e escrevi um recado para a camareira. Se ela me encontrasse morta era para ela entrar em contato com os números anotados. Ainda avisei que meu passaporte estava na cama comigo.

Mas eu tomei um ansiolítico e esperei fazer efeito. Só depois de muito me desesperar foi que eu lembrei que eu não posso tomar café (olá frappuccino) porque me dá taquicardia e aumenta minha pressão. Então a solução era só esperar passar o efeito mesmo.

Eu teria ficado muito puta se eu tivesse morrido um dia antes do show das Spice Girls.

Felizmente eu não morri e tudo deu certo. No dia seguinte acordei cedo e fui turistar um pouco.

E lá vamos nós…

Dica de viagem 1: entre em uma igreja e pegue um mapa da cidade. Lá tem os principais pontos turísticos.

Eu peguei meu mapa na St. Mary Redcliffe, onde eu comecei minha tour. A igreja tem uma arquitetura gótica incrível. É enorme e linda.

Tinha “mato” no chão da celebração da noite anterior. Mas olha esse teto!

De lá eu fui andando até a Queen Square (uma praça), que estava fechada para o público. Depois andei mais um pouquinho até a Bristol Cathedral, outra igreja gótica maravilhosa.

Vossa Majestade pode me informar como eu chego na Cathedral?

Quandro entrei na igreja tinha um órgão tocando e durante toda a minha visita ele continuou tocando. Não vi ninguém tocando, mas certamente o instrumento não estava sendo manuseado por fantasmas (eu creio).

Continuei andando e passei em frente ao centro de informações turísticas, mas não entrei, como o centro é ao lado do rio, só fui seguindo pela margem e andando.

Fui no Bristol Aquarium e no We The Curious, mas pelo preço do ingresso não entrei. Não achei que aproveitaria tanto assim.

Por sorte, encontrei um Spice fã mexicano que estava também perdido na cidade sem ter o que fazer.

Globo espelhado no We The Curious

Então fomos, eu e o Jaf, conhecer o SS Great Britain, que foi o primeiro navio transatlântico a ter um casco e uma hélice propulsora de ferro. Eles transformaram o navio em um museu e é simplesmente incrível. Valeu a visita e o ingresso (£15).

O passeio completo pelo navio demora cerca de 2h. Mostra exatamente tudo do navio. Todos os detalhes, as viagens, como é feita a conservação, o que era levado no navio (animais, mantimentos, etc), como os passageiros e tripulantes viajavam (há reprodução das cabines e todos os setores – não só com móveis e objetos, mas também com bonecos), etc. Tem partes bastante interativas como o carimbo do bilhete de passagem, você pode tirar fotos com roupas do século XIV e também manejar o leme em uma espécie de joguinho.

Há sons ambiente por todo o navio: os animais na cocheira, na cozinha sons de panelas e pessoas, vozes conversando nas cabines, entre outros.

Fui sem muitas expectativas, mas saí bem impressionada. Sem dúvidas foi um dos melhores passeios da viagem.

Dica de viagem 2: a carteirinha mundial de estudante do ISIC é aceita no Reino Unido e eu paguei valor diferenciado para entrar no SS. Se você é estudante (escola/graduação/pós/mestrado/doutorado) acho que é um bom investimento, principalmente se sua instituição de ensino só te envia uma carta confirmando a matrícula.

O único lugar de Bristol que eu queria ir mas não consegui foi a Ponte Suspensa de Clifton. Deixei para ir no dia seguinte ao show, mas estava com frio e cansada de Bristol.

Endereços

DoubleTree By Hilton
Redcliffe Way, Bristol BS1 6NJ

St. Mary Redcliffe Church
Redcliffe Way, Redcliffe, Bristol BS1 6RA

Bristol Cathedral
College Green, West End, Bristol BS1 5TJ

Queen Square
Old City, Bristol BS1 4LH

We The Curious
Anchor Road, Harbourside, Bristol BS1 5DB

Bristol Aquarium
Anchor Road, Harbourside, Bristol, Avon BS1 5TT

Brunel’s SS Great Britain
Great Western Dockyard, Gas Ferry Road, Bristol BS1 6TY

Continue Reading

Diário de Viagem: Reino Unido – Londres 1

Continuando meu diário de viagem no Reino Unido. Vou falar um pouquinho do meu primeiro dia em Londres.

Eu cheguei no hostel, tomei banho e fui bater perna (óbvio). Andei alguns quarteirões e caí na Leicester Square abarrotada de gente. Parecia a Avenida Paulista em um domingo. Muita gente, muito artista de rua, várias pessoas deitadas ou sentadas no sol.

Leicester Square
M&M’s World ali na esquina

Alguns lugares estavam no meu roteiro, outros eu apenas dei de cara a aproveitei a oportunidade. A loja gigante da M&M foi um desses lugares. Estava ali na minha frente, entrei, tirei foto, fiz alguns stories e fui continuar o meu tour. É uma loja gigante e bem interessante para adultos e crianças. Uma parada obrigatória, junto com a Lego Store. É ali na região, não custa nada entrar, não é mesmo?

A dica é não comprar guloseimas na M&M, ali pertinho tem um supermercado Tesco’s, lá os chocolates são bem mais baratos.

Olha! Brotou a Agatha Christie na minha frente

Saindo de lá, segui para Covent Garden, que desde 1999 estava no meu roteiro de viagem. Literalmente 1999, quando eu comprei meu primeiro guia de viagem Michelin e tinha informações sobre Covent Garden.

Covent Garden é lindo, muitas plantinhas penduras, flores, comida, música e bastante gente. Neste dia, tinha um cantor de ópera. Achei incrível.

Depois de dar muitas voltas procurando o que comer, não consegui me decidir e voltei todo o caminho passando por Leicester Square e fui parar na Picaddilly Circus.

Letreiro luminoso + ônibus + táxi. Quer coisa mais londrina?
Estátua de Eros. Nem vem olhar pra mim, cupido

O lugar onde eu mais fiquei parada no meu dia foi ali. Sentei embaixo desse cupido malandro e fiquei admirando a cidade. Tinha um artista tocando Shallow e foi uma trilha sonora muito linda para ser recebida.

Eu tenho uma história muito interessante com Picaddilly Circus. Eu tenho um sonho recorrente onde eu estou com minha mãe em um lugar, eu já tinha procurado em vários lugares onde era o local do sonho, mas eu nunca achava. Dia 08 de junho eu achei. Em alguma vida passada eu e minha mãe andamos muito por lá.

Com a trilha de fundo, a paisagem e essa lembrança na mente eu quase desabei a chorar no meio da rua.

Sem tempo, Eros.
Eu fui, eu tava.

Aí minha barriga começou a reclamar de fome porque minha última refeição tinha sido o café da manhã no avião e já estava de noite (com sol sim, porque no verão os europeus têm sol até 9 da noite). Fui procurar algo para comer. Meu objetivo era chegar no Poppie’s Fish & Chips, mas eu falhei miseravelmente, me perdi pela primeira vez usando o Maps.Me (pior aplicativo que usei na viagem) e decidi pegar um meal deal de £3 no Tesco’s.

Dica de comida para quem quer economizar: meal deal. Por £3 você pega uma bebida (água, café, refrigerante, suco…), uma comidinha (eu geralmente pegava um sanduíche, mas tinha outras coisas) e um snack (podia ser frutas, barra de cereal ou salgadinho).

PS: quem foi ao Poppie’s (ou quem for), por favor, me diga sua experiência gastronômica.

Peguei meu lanchinho e já fui me encaminhando para o hostel, mas no meio do caminho tinha Chinatown.

Chinatown
Japão, você perdeu um Pikachu

Se perder em Londres é maravilhoso, se perder em Chinatown foi maravilhoso também porque eu dei de cara com a Bubblewrap, uma sorveteria. Com certeza é um dos sorvetes mais instagramáveis que existem. Fiquei uns 30 minutos na fila (sem brincadeira) para uma casquinha de crepe em formato de bolas (??) recheado com sorvete, morango e Nutella. São diversos sabores e achei o preço ok (£6-7).

Bubblewrap

Depois da minha calórica refeição eu continuei meu passeio (com o mapinha me indicando o caminho errado do hostel) e dei uma parada no Ben’s Cookies porque me indicaram muito bem a loja. Não lembro o que peguei, mas foram cookies demais para uma pessoa só e paguei £8.

Finalizei meu dia no hostel comendo meu meal deal e um cookie. Ben’s Cookies é ótimo, definitivamente imperdível.

No próximo post tem mais diário de viagem :)

Endereços

Bubblewrap
24 Wardour Street, Chinatown,London, W1D 6QJ

Ben’s Cookies
35-36 Great Marlborough St, Soho, London W1F 7JF

M&M Store
1 Leicester Square, Swiss Ct, London W1D 6AP

Continue Reading

Bibliotecas pelo mundo: Biblioteca Britânica

A Biblioteca Britânica (British Library em inglês) é a Biblioteca Nacional do Reino Unido, uma das maiores do mundo. Atualmente, o seu acervo possui aproximadamente 150 milhões de itens e a cada ano incorporam-se à coleção cerca de três milhões de itens novos (12km de prateleiras por ano!).
British Library
Resolvi fazer um post sobre essa biblioteca, pois o Reino Unido é um dos países que eu mais me interesso pela cultura e pesquisar sobre as bibliotecas de lá me deixou bem animada.
A Biblioteca de Londres possui alguns dos livros mais raros da humanidade, como as primeiras edições impressas da Bíblia, cadernos de anotações de Leonardo da Vinci e o primeiro livro impresso com data, o Sutra de Diamante.
British Library
O espaço para a leitura na Biblioteca possui capacidade para mil e duzentos leitores.
A Biblioteca disponibiliza informações para estudantes, pesquisadores de ciências específicas e para executivos no Reino Unido e ao redor do mundo. É possível acessar ter acesso às raridades da biblioteca online, por meio do site oficial. O conteúdo é em inglês, mas nada que um tradutor não ajude a quem não é fluente no idioma.
British Library
A galeria online contém mapas históricos, livros virtuais com a possibilidade de virar as páginas, exposições, etc.
Entre as coleções especiais da Biblioteca Britânica, constam o caderno de anotações de Leonardo da Vinci, material de 300 a.C. aos jornais atuais, a Carta Magna, a gravação do discurso experimental de Nelson Mandela, cerca de 50 milhões de patentes, 310 mil volumes de manuscritos, de Jane Austen a James Joyce, de Händel aos Beatles, mais de 260 mil títulos de jornais e mais de quatro milhões de mapas.
British Library
Apesar de ter uma das coleções mais ricas do mundo, a British Library, é bem jovem. Apenas em 1971 surgiu a idéia de reunir em um único prédio os acervos de diversas instituições do país, entre elas o Departamento de Livros Impressos do Museu Britânico, fundado em 1753. Em 1974, um terreno no norte de Londres foi escolhido para abrigar a British Library, mas o projeto só saiu do papel em 1984 e sua construção se prolongou por mais de uma década, sendo inaugurada em 1998 pela rainha Elizabeth II.
British Library

Fontes: Wikipédia; Guia do Estudante

Continue Reading