Vitória é uma cidade linda. De todas as cidades que eu já visitei, sem dúvidas, no quesito beleza Vitória vence em disparado. Mas só isso.
Para não ser injusta com a capital, vou me referir à Vitória aqui no sentido de Grande Vitória, que inclui as cidades da região metropolitana: Vitória, Vila Velha, Cariacica e Serra.
Bom, para começar, vou falar do maior problema de Vitória: o cérebro dos capixabas, que é do tamanho do aeroporto Eurico Salles. Para entender melhor, vou descrever o aeroporto: temos apenas um portão de embarque e com menos de 5 minutos é possível percorrer todo o saguão, terraço e restaurante. A pista está fora dos padrões aceitáveis e não tem nada além dos guichês de atendimento, duas lanchonetes, uma banca de jornal, um restaurante e caixa eletrônico. É menor que um terminal rodoviário e um pouco maior que um ponto de ônibus. Quem quiser saber mais sobre o drama, procura sobre o homem aeroporto no Google, que deve ser possível achar alguma coisa sobre os problemas aéreos.
E a cabeça dos capixabas é exatamente desse tamanho!!! A mentalidade é a mesma que a da população interiorana de 1912, que tinha medo de qualquer tipo de mudança e eu não estou exagerando.
Todas as coisas legais que existiam em Vitória foram extintas por causa disso. Quando eu era adolescente tinha o Vital na Praia de Camburi. Era num lugar legal, que não atrapalhava muito o transito, nem o cotidiano da cidade. Vital era uma micareta que acontecia em novembro, durava 3 dias, vinham diversos cantores baianos, trazia turistas, movimentava a economia… mas os moradores da região se mobilizaram tanto que acabaram com a micareta. O dinheiro trazido pelos turistas não era o bastante para pagar o sono dos moradores, sabe? E nem adianta vir com essa história de que eu não reclamo pq não moro lá, pq msm se morasse não iria reclamar, só acontecia uma vez por ano e era bom para cidade. E se quer coisa pior, pergunta p/ soteropolitanos que moram ali na Barra se não é um inferno morar ali na época do carnaval e depois pergunta se eles querem que acabem com o carnaval da Bahia. Mas enfim, não estamos na Bahia.
Quando eu estava no Ensino Médio inauguraram o Multiplace, que era um lugar bonito, com comida boa, música boa, excelente para receber shows nacionais e internacionais e ficava na região mais empresarial da cidade. Mas como estamos em Vitória, a meia dúzia de moradores da região reclamou no barulho até dizer que chega e fecharam o local. Nunca mais abriu nada parecido em Vitória e acho difícil investirem em algo do mesmo nível.
Fiquei sabendo semana passada que tinha um projeto maravilhoso da construção de um prédio mega alto, moderno e com um restaurante com vista panorâmica para a baía de Vitória, a prefeitura miraculosamente aprovou a obra, mas não apareceu NENHUM empresário disposto a investir no projeto. E olha que Vitória tem empresas com grana, viu?! Mas preferem investir em outra coisa.
Em Vila Velha, tinha o projeto da construção de um bondinho do morro do Moreno ao Convento da Penha, tipo o Pão de Açúcar. Seria a coisa mais legal do estado, atrairia turistas e tudo mais, mas como iria “enfeiar” a vista, engavetaram o projeto.
A vida noturna de Vitória se resume praticamente em: Triângulo-Casa Club (Triângulo é uma região na Praia do Canto, com um monte de barzinhos e restaurantes e a Casa Club é um Club que fica por ali), São Firmino, Rua da Lama e Adega Sertaneja. Não procure mais nada para fazer, é missão impossível!
Fim de semana nós temos essas opções maravilhosas e o Shopping Vitória. Praias? Temos de sobra, mas sem quiosques, banheiros, restaurantes descentes… Mas areia e mar tem lá de sobra, o ano inteiro, junto com o sol, é lógico. Ponto final.
Resolveu ficar em casa mesmo, já que o número de opções de diversões é deplorável e resolveu ligar para pedir alguma coisa para comer? Temos pizza, hambúrguer e China in Box.
Mas China in Box não entrega em todas as regiões e se você mora em Vila Velha pode pedir também comida no Habibs. Se não me engano, tem uma pizzaria que entrega comida em casa, mas só uma.
Outro grande problema dos capixabas é a total falta de habilidade para conduzir um veículo automotor. Em condições normais de pressão e temperatura, os motoristas conseguem até dirigir, mas se cai uma gota de água, todas as lições de como passar a 3ª marcha são levadas pela água. E o mesmo trajeto que você faz em 30 minutos, fará em pelo menos 1 hora. Isso, sem alagamentos, é claro.
Alagamentos são problemas de sempre de toda chuva. Sempre alaga nos mesmo lugares e nem é mais surpresa. Mas se a prefeitura faz obras para acabar com esse problema o capixaba reclama que é uma maravilha. Deve ser o povo que mais odeia obra (deve ser porque não sabem dirigir quando tem qualquer tipo de alteração), mas se não tem a maldita obra, os alagamentos vão piorar com a chuva… Enfim, vão reclamar de todo jeito.
Além disso tudo, temos uma mídia que é o máximo! Só lendo o Moquecada diariamente para saber do que se trata… só retrata ainda mais o espírito provinciano do capixaba.
E agora os capixabas propriamente ditos! Os capixabas legítimos são descendentes de pomeranos e italianos, os outros são nordestinos que não conseguiram chegar ao Rio de Janeiro e os mineiros que não conseguiram se afastar do mar. Geralmente, os capixabas legítimos são lindos, mas depende do lugar que você vai procurá-los, não faça como minha mãe tentando achar um no meio de um navio negreiro, digo Transcol (ônibus que circula toda a Grande Vitória).
E um outro traço marcante do capixaba é sua simpatia… vou tentar descrever isso: imagine que você é capixaba, está com seu grupo de amigos capixabas em algum barzinho qualquer conversando, brincando, bebendo… aí chega nesse barzinho um amigo seu, você se levanta, cumprimenta e troca duas palavrinhas com seu amigo. Ele se vira, sai e você se senta e continua na roda de amigos. Seu amigo não vai cumprimentar os outros, você não vai apresentar seu amigo aos demais, os demais não vão falar com seu amigo. É assim. Se você tenta apresentar seu amigo ao grupo, ele só vai acenar, o grupo vai acenar de volta, seu amigo vai se sentar à mesa, ficar todo tímido, falar 2 ou 3 palavras, o grupo vai ignorá-lo completamente e ele só vai conversar com você, quando você não estiver falando com o grupo.
Em 99% das vezes o que acontece é isso. Capixaba A-D-O-R-A fazer amigos! Dar informações também é o nosso forte! Se você pergunta para um capixaba onde fica tal lugar, ele vai te apontar a direção e só. Não queira informações detalhas. Se vire e pergunte para o próximo, quando você chegar ao lugar onde ele te indicar. Seja educado, não fale muito e não espere que ele te leve ao lugar que você deseja. A menos que você seja estrangeiro, esteja perdido e encontre alguém que fale seu idioma nato. Se você foi bem recebido em um grupo de amigos, conseguiu informações e um cafezinho de um estranho na rua, que te contou a vida dele toda, pode ter certeza: você encontrou um mineiro no meio da rua, tonto! Pode falar que ama pão de queijo, que sua família é de beagá e que você tem parentes em Ipatinga, que você conseguiu hospedagem e comida de graça por um mês.

PS: Apesar dos problemas eu AMO Vitória e não tenho nada contra os capixabas (até porque eu me enquadro no padrão comportamental de um…)