Vem aí: Happiness Charge PreCure!

Em todo o universo, as PreCures lutam contra a invasão dos inimigos conhecidos por Saaiaku.

A princesa do Blue Sky Kingdom, Shirayuki Hime, é uma PreCure, e como as outras Cures foram derrotadas, passa por dificuldades por não conseguir lutar sozinha. Ela encontra Aino Megumi, que se torna sua parceira e se transforma em Cure Lovely.

Ao descobrirem que se juntarem todos os PreCards, um desejo poderá ser realizado, elas se unem com a fada Ribbon para proteger a paz mundial, transformarem e mudarem de forma enquanto lutam!

Utilizando temas queridos pelas garotas, como “moda”, uma aventura completamente diferente de PreCure começa!

 

PreCure começará 2014 comemorando 10 anos da franquia com a 11ª temporada, que recebeu o título de Happiness Charge PreCure!. A sucessora de DokiDoki PreCure começará em fevereiro e as novidades já começaram a aparecer na internet! A primeira imagem promocional mostra as quatro cures que farão parte do time dessa temporada, e por causa de outros vazamentos, já sabemos os nomes delas: Cure Lovely, Cure Princess, Cure Honey e Cure Fortune. A imagem também mostra os dois mascotes, e um deles parece ser especificamente da Fortune, por causa da cor. Além disso, alguns diretores da série usaram o Twitter para falarem que estão muito empolgados pela temporada nova, mas ao mesmo tempo muito apreensivos, porque ela será bem diferente das anteriores! A última vez que isso foi falado foi quando Fresh estava sendo produzida, uma temporada que trouxe um novo ar para a franquia Pretty Cure. Esse mistério sobre a novidade da temporada parece ter sido solucionado com as novas informações que vazaram.

Como dito na sinopse, dessa vez as Cures terão mais de uma forma. Elas usarão ritmos musicais, alternando entre formas diferentes, para vencer seus inimigos. Cure Lovely poderá se transformar em Cherry Flamenco e Lollipop Hip-Hop, enquanto Cure Princess se transforma em Sherbet Ballet e Macadamia Hula-Dance. As transformações podem ser vistas na imagem acima, e seus nomes utilizam um nome de comida e um estilo de dança. A imagem acima também mostra as formas humanas de cada uma delas. Infelizmente, ainda não sabemos muito sobre a Honey ou a Fortune.

Achei interessante a adição de uma personagem que já é uma Cure antes da história começar, e que não aparenta ser tão séria e determinada (como foi com a Cure Moonlight, Muse ou Sword, por exemplo), já que a Cure Princess aparenta ser mais divertida. Além disso, as diversas formas que as guerreiras poderão adotar dessa vez deixará a série de cara nova (e a Toei Animation cada vez mais rica) e pode fazer com que as batalhas se tornem ainda mais interessantes. HaCha PreCure (o apelido carinhoso e bizarro dado pelos fãs) caminha para ser uma ótima temporada, mas muitas outras informações ainda irão surgir! Qualquer novidade, acrescentarei nesse post.

[Fonte das imagens: http://precure.livejournal.com ~ por starsoldier2009.]


Por Leo Comente aqui


Com que cor devo passar o ano novo? (Versão PreCure)

Essa época do ano, além de deixar a casa toda enfeitada, sempre fico pensando de que cor vou passar o ano novo. Parei de passar de branco, é uma cor que eu particularmente não acho que caia bem em mim, além de eu gostar de cores coloridas (como diz nossa amada Princess Raquel Nazareth). Então, decidi fazer uma lista de cores pra usar na virada do ano, usando um pouco das Cures pra ilustrar o que cada cor representa!

Rosa

Rosa é uma cor que irradia liderança, benevolência e alegria. Todas as líderes de PreCure usam rosa e todas elas têm muito em comum: sempre se preocupam com o bem estar de todos. Rosa também está estritamente ligado ao feminino, mas como eu dou uma foda enorme para papéis de gênero, acho que todos deveriam experimentar passar de rosa um ano. Se você quer ajudar mais as pessoas e quer um 2014 mais alegre, passe a virada do ano de rosa!

Azul

Azul é a cor da elegância, da classe. Representa a tranquilidade e a beleza, e as Cures azuis representam bem isso. É como se elas fizessem parte da realeza. Mas epa, a Marine está ali no meio! Ela mostra que o azul também pode sair do convencional e ser usado como uma cor mais cheia de energia, sem se preocupar em nada em ter postura. Se você quer ser uma verdadeira Lady em 2014, passe a virada do ano de azul (ué, uma Lady também pode ser louca e desleixada como a Marine)!

Amarelo

A cor da energia, da vida, amarelo também representa dinheiro, popularidade e riqueza. Mas é só observar as Cures amarelas para ver que essa cor representa muito mais. Elas, além da personalidade mais fofa e contida, valorizam muito a amizade e fazem de tudo para proteger as amigas e aquilo que consideram importante. Não perdem a personalidade frente a situação alguma e sempre buscam ser mais fortes para alcançarem seus objetivos. Não adianta, as amarelas são as melhores, então use e abuse do amarelo na virada desse ano.

Verde

A cor da esperança, verde parece não ser muito popular com as crianças, afinal Cures verdes são exceções. Mas essas duas lindezas representam bem demais a cor mais linda do mundo. Mint e March são bastante diferentes: a primeira calma, contida e inteligente, a segunda expansiva, esportiva e engraçada. Uma de proteção, outra de ataque. Mas as duas têm muito em comum: são extremamente leais e fazem de tudo para defender aqueles que são queridos para elas. Decidi que vou passar de verde para que 2014 seja um ano com um misto de tranquilidade e energia.

Vermelho

Outra cor negligenciada, talvez por causa da predominância do rosa. Mas o vermelho é uma cor interessantíssima, pois representa paixão e intensidade, e essas Cures são um bom emblema disso. Elas são fortes, não têm medo de expressar a sua opinião e se envolvem sem medo. É uma ótima cor para aqueles que querem viver algo bem intenso em 2014!

Roxo

Uma das cores mais lindas, roxo não é muito usado na virada do ano, mas deveria. Todas as Cures roxas são muito motherfuckers, além de extremamente fortes. Tudo bem que a Milky Rose não é bem uma Cure, mas faz parte do time do mesmo jeito. Elas ganham qualquer luta com seus poderes de combate, apesar de sofrerem com o jeito sério. Se você busca uma promoção no trabalho, passar em medicina ou arrumar um namorado (tá puxado), passe de roxo!

Preto

Preto deve ser usado quando se quer tirar mal olhado, e a Cure Passion talvez seja o melhor exemplo disso, afinal ela as vezes colocava um mal olhado nela mesma quando ela era Eas… Er, enfim, a Passion nem bem preta é, só coloquei pra Cure Black não ficar sozinha. E o que elas têm em comum? Elas são fodas e matam todo mundo.

Branco

A cor mais sem graça, mais batida e mais usada que representa a pazzzzZZZZ. As brancas são as protagonistas que na verdade são extremamente ofuscadas pela outra protagonista. Então, se vocês querem ser ofuscados por outra pessoa em 2014, passem de branco! Ah, não se esqueçam de colocar algum corzinha no visual, nem as Cures brancas são tão sem graça ao ponto de serem só brancas.


Por Leo Comente aqui


A Rebelião de Homura
20.11.13 Em Anime, Conversa de Otaku

[Atenção: muitos, MUITOS spoilers! Só leia depois de ter visto o filme!]

Madoka se firmou como uma das maiores franquias do universo otaku de todos os tempos. Seu grande sucesso levou a saga aos cinemas com uma trilogia, sendo que os dois primeiros filmes resumem a história da série de TV, e o terceiro, Puella Magi Madoka Magica the Movie: The Rebellion Story, traz uma história nova, funcionando como uma continuação das aventuras das garotas mágicas.

O final conhecido da série foi satisfatório e feliz, exceto talvez para a verdadeira protagonista da história: Akemi Homura. Ela, de certa forma, perdeu sua maior companheira e foi a única que se lembrou da história e da existência da Madoka. Será que ela consegue abrir mão da Madoka para que as garotas mágicas parem de sofrer? Conhecer e entender bem essa personagem é fundamental para absorver tudo o que o filme traz.

No início do filme, tudo parece estar bem e as garotas mágicas não sofrem mais com os problemas criados por bruxas. Juntas, as cinco personagens da série se transformam ao mais clássico estilo mahou shoujo e vencem os inimigos com magias e até músicas,, com a ajuda de Bebe, uma criatura mágica bastante conhecida pelos fãs da série. Conhecendo um pouco da série dá para perceber que várias coisas estão erradas com essa história: por que a Madoka e a Sayaka estão com o grupo? Por que a Bebe está com a Mami? Por que a Homura não está utilizando o arco que herdou da Madoka? Contra o que elas estão lutando? Tudo isso, junto com o design estranho e surreal dos lugares, me deixou com a sensação de que algo estava fora de lugar.

Homura foi a primeira a perceber isso, e sua busca por respostas acabou levando ao clímax do filme. Em meio a lutas e diálogos, Homura chegou à conclusão de que aquilo era um universo paralelo e as coisas estavam erradas. E daqui para frente, tudo é interpretação pessoal, pois o filme conta tudo de forma recortada e metafórica.

Quando Madoka se tornou Deus e passou a interferir no destino de todas as garotas mágicas, as bruxas deixaram de existir. Porém, elas eram a maior fonte de energia aos Incubators. Após o fim delas, as garotas mágicas passaram a enfrentar más influências e não se lembravam mais da existência das bruxas ou de Madoka, que, ao se tornar Deus, resgatava as garotas mágicas que caiam em desespero, não permitindo que elas se tornassem bruxas. Homura é a única que se lembra de tudo.

Os Incubators, pensando na enorme quantidade de energia que há nessa entidade divina que protege as garotas, criam um plano para tentar provar a sua existência (eles só a conhecem através da palavra da Akemi) e controlar tal entidade. Eles capturam a Homura em um momento de desespero e a mantêm em uma redoma que impossibilita qualquer influência externa, capacitando a transformação dela em bruxa. Assim, quando ela conseguir sair da redoma, já como bruxa, a entidade divina deverá aparecer para salvá-la, e os Incubators poderão se apossar dela e usar toda a sua energia.

Dentro da redoma, Homura se tornou uma bruxa e estava vivendo dentro de sua própria mente, que criou aquele universo paralelo. Seu poder foi tanto que ela foi capaz de atrair a Mami e a Kyouko para dentro dele, além do Kyubey. A Sayaka e a Madoka são, possivelmente, criações da própria mente dela, para completar o universo e ser uma realidade em que todas estivessem presentes. Em sua busca por respostas, ela percebeu o que havia se tornado e descobriu os planos dos Incubators, utilizando as armadilhas deles para beneficiar a si própria.

Homura se tornou uma bruxa extremamente forte, ignorando as influências dos Incubators e se libertando da redoma, recebendo a visita da Madoka-Deus. É nesse momento que se instala a Rebelião e Homura, surpreendentemente, destrói a existência da entidade divina, reescrevendo novamente toda a história. Mas dessa vez, é ela que se torna Deus, ou na verdade, aquela que destronou Deus, o Demônio. Todo esse poder veio de um simples sentimento, mais forte que os extremos conhecidos pelos Incubators, que são o Desespero e a Esperança. Homura conseguiu tudo isso por causa de seu Amor.

Na realidade nova, as meninas vivem em paz e Madoka volta a ser uma garota normal. Porém, ela parece saber que algo está errado, fora de lugar, afinal a criatura divina ainda existe dentro dela, suprimida pelo poder da Homura. Ela vive com sua família, enquanto Sayaka e Kyouko vivem juntas, assim como Mami e Bebe. Homura parece ter ficado sozinha novamente, mas agora ela pode ver a Madoka, ouvir a sua voz, tocá-la, senti-la. Nessa nova realidade, os Incubators ainda existem, mas são destruidos apenas pela presença da Homura.

Não se sabe como as garotas mágicas lutam nesse novo mundo. Não ficou claro nem se elas são de fato garotas mágicas ou apenas garotas normais, mas a presença dos Incubators e o quase despertar da Madoka indicam que elas ainda devem existir. Não dá para saber se existem bruxas ou algum outro tipo de inimigo. O que importa nesse mundo, para a Homura, é o sorriso da Madoka.

A atitude de Homura pode ter sido vista como traição, mas para mim foi um ato egoísta de amor. Ela não suportou saber que Madoka sacrificou sua própria existência para salvar as garotas mágicas, e esta foi a maneira eue ela encontrou para livrá-la de seu destino. Há um breve diálogo no filme, que para mim foi a cena mais importante, que resume toda a escolha de Homura:

- Kaname Madoka, você considera este mundo precioso? Acha a ordem mais importante que o desejo?
- Isto… Bem… Acho que a ordem é mais importante. Considero errado destruir a ordem.
- Então, um dia, você será minha inimiga.

Madoka escolheu criar uma ordem para o mundo e apagar a sua própria existência como humana para mantê-la. Já Homura decidiu destruir a ordem estabelecida por Madoka, totalmente influenciada apenas pelo seu sentimento, o amor, e seu desejo de ver Madoka sendo feliz. É difícil saber qual delas está certa, cada uma teve seu motivo íntimo e particular.

Alguém não ficou assim depois de ver o filme?

Esse é um filme que mexeu muito comigo, e acredito que tenha feito o mesmo com todos que o viram. É uma grande obra de arte, praticamente perfeito em todas as áreas: animação, dublagem, trilha sonora, enredo. Tudo é incrível. E os autores não tiveram medo de mexer com a história de maneira coerente, muito corajosos em dar sequência de forma brilhante a uma das mais emocionantes histórias já contadas.


Por Leo 2 comentários