You took my hand
You showed me how
You promised me you’d be around
Uh huh
That’s right
I took your words
And I believed
In everything
You said to me

Yeah huh
That’s right
If someone said three years from now
You’d be long gone
I’d stand up and punch them up
Cause they’re all wrong
I know better
Cause you said forever

And ever
Who knew
Remember when we were such fools
And so convinced and just too cool
Oh no
No no
I wish I could touch you again
I wish I could still call you friend
I’d give anything

When someone said count your blessings now
For they’re long gone
I guess I just didn’t know how
I was all wrong
They knew better
Still you said forever
And ever
Who knew
Yeah yeah
I’ll keep you locked in my head
Until we meet again

Until we
Until we meet again
And I won’t forget you my friend
What happened

If someone said three years from now
You’d be long gone
I’d stand up and punch them out
Cause they’re all wrong and
That last kiss
I’ll cherish
Until we meet again
And time makes
It harder
I wish I could remember

But I keep
Your memory
You visit me in my sleep

My darling
Who knew
My darling
My darling
Who knew
My darling
I miss you
My darling
Who knew
Who knew
Sabe o que é fazer td por uma pessoa? E fazer td por essa pessoa e ela nem se quer ter noção disso?!
Porra é horrível!
Nos últimos 6 anos eu só vivi por ele e tenho consciência disso. No início tudo bem pq era correspondido, e eu ainda tinha noção de quem eu era. Eu tinha um norte de quem eu era e apenas valorizava as coisas que ele gostava.
Se ele falasse que gostava de mulheres de vestido, eu só andava de vestido, se gostava de decotes, eu valorizava isso, se ele gostava da música “A” eu decorava a letra p/ ficarmos ouvindo juntos. Eu tinha sim minha personalidade e minhas coisas, mas a maioria delas batia com as dele, então eu acabava por valorizar tudo que ele gostava. Tudo parecia tão perfeito, a gente uma sintonia tão intensa que eu até conseguia sentir quando ele tinha alguma dor.
Eu acabava planejando minha vida focando tudo nele, era como se eu saísse me segurando de datas em datas: em fevereiro tinha o dia que a gente se falou pela primeira vez no telefone, em março tinha o dia que a gente se tornou fã das Spice Girls e por aí ia, até que culminava com dezembro, que é o mês do aniversário dele, eu enviava sempre algo diferente: uma carta quilométrica, uma carta em forma de caderna, uma carta cheia de recortes de revistas p/ ilustrar algumas palavras. E enviava algumas lembrancinhas junto, nada caro, mas com mto valor afetivo. Algum CD gravado com nossas músicas favoritas, VCD com alguns vídeos e o último: uma caixa de desejos (p/ cada coisa que eu desejava p/ ele, tinha uma pequena lembrancinha, por ex: harmonia – incenso, diversão – jogo, carinho – bichinho de pelúcia). Nunca gastei mais que 20 ou 30 reais com essas coisas, mas meu carinho e dedicação eram tantos que se eu fosse valorar, nem o ganhador do BBB conseguia comprar. Eu planejava tudo meses antes, começava a fazer um mes antes, tinha data certa p/ enviar, todo um cronograma. E eu era feliz com isso, minha felicidade era essa, minha vida era essa.
Ele não era meu namorado, eu nem sabia se ele ainda gostava de mim, mas eu fazia essas coisas simplesmente pq gostava, me sentia bem fazendo.
Pode ser algum tipo de carência, eu não sei, mas eu gostava tanto de fazer essas coisas, eu me identificava tanto fazendo isso.
Guardava os adesivos do caderno, comprava cartelas novas, papeis de carta bonitos, os cartões de natal eram escolhidos a dedo (tinha dia, hora e local pré-definidos p/ isso) e depois p/ embalar as coisas bonitinhas e certinhas aqui, tomando todo cuidado do mundo p/ tudo chegar lá inteiro (ele morando no interior de SP e eu aqui perto do fim do mundo a 16km do Aeroporto de Vitória).
Eu tinha uma identidade, uma personalidade quando fazia isso. Eu era feliz assim, eu até tinha mais fé em Deus do que tenho hoje. Eu não me importava se a gente algum dia ia namorar, ficar junto, sei lá, eu nem fazia questão disso, só queria ter isso, ter ele lá do outro lado recebendo meu carinho. Eu ficava com outros meninos aqui e eu era normal, igual a qualquer outra garota.
Até que ele fez meu chão ruir, não sei pq, não sei como, mas fomos nos distanciando e hj, falo com ele uma vez por mês, por 5 minutos e olhe lá. É claro que eu sinto falta, saudades, mas não é como antes que eu chorava rios de lágrimas e ficava me remoendo e querendo saber o que aconteceu. Eu fico triste, como estou agora, mas a vida continua, sem lágrimas, nem nada. Eu tentei, eu juro que tentei, procurei conversar 2, 3, 4 vezes, tentei de tudo p/ fazer com que as coisas não ficassem assim, mas não deu, eu lutei, me segurei mais do que pude, mas mesmo assim, a correnteza foi mais forte do que eu e ele se foi. E no dia que eu tive certeza disso, eu perdi meu chão.
Lembro exatamente como aconteceu, já tinha conversado com ele algumas vezes sobre o nosso afastamento e deixei claro, que agora tudo iria depender dele, que eu nao iria mais procurá-lo, se ele quisesse, que viesse falar comigo. Mas eu não resisti muito tempo e no dia que eu resolvi entrar no Orkut dele p/ enviar uma mensagem do tipo “o que aconteceu nós?”, eu soube que o pai dele tinha falecido no dia anterior. Primeiro, eu fiquei desnorteada pq eu considerava mto o pai dele, depois fiquei triste pq voltaram as lembranças de quando meu pai faleceu e por último, eu tive mta compaixão dele. Fiquei 4 dias tentando falar com ele, liguei, enviei msg, mas ele nao me atendia, nao me respondia. Algumas semanas depois tentei falar com ele no MSN, assim que mandei meus pêsames ele saiu, me deixou falando sozinha.
Nesse dia eu perdi meu chão. Como assim o miserável, desgraçado me ignora qdo tudo que eu quero é ser solidária? Eu aqui preocupada com ele, triste pq tbm gostava do pai dele e o que eu recebo em troca? UM BELO DE UM CHUTE!! Eu perdi meu chão e todo o mundo que eu tinha construído nos últimos 6 anos, junto eu perdi minha identidade, eu juro que desde então eu não sei mais quem eu sou.
Sério, que desde essa época eu virei autista, estudo numa faculdade de patricinhas e só ando de calça jeans, baby look e tenis, ouvindo MP3 de britpop e indie. E perdi ânimo p/ muita coisa na vida.
Aí, há uns 45 dias ele me diz que vinha me ver (não nessas palavras, mas eu sei que ele queria vir p/ esses lados tbm por minha causa) e tudo se transformou, eu até ouvia sinos tocando pelas ruas. Comecei um programa maluco de transformação, uma mistura de “Esquadrão da Moda”, “Noiva em forma”, “Transformação do Planeta Xuxa” e “Extreme Makeover”. Comecei com as séries diárias de yoga e uma alimentação com menos 70% de carboidratos. Comprei um monte de produtos femininos que eu não usava fazia tempos pq achava que não adiantavam em nada: sabonete anti-acne, adstrigente, hidratante p/ pele oleosa, creme p/ mãos, esfoliante, filtro solar em gel, creme p/ massagem nos cabelos, shampoo e condicionar sem corantes… To tentando manter meus pêlos sem encravar (isso significa menos depilação e mais gilete) e usando o hidratante caríssimo da dermatologista p/ diminuir o aspecto da ictiose vulgar (o nome é feio, mas não é nada sério, nem contagioso, é só um problema na pele que faz com que ela não retenha líquidos). Tentei dançar também p/ emagrecer, mas fui impedida por uma série de fatores. E estava caminhando p/ últimas fases: escolher o melhor estilo de roupas e sapatos e acessórios e arrumar uma maquiagem leve p/ dia p/ eu não ficar tão apagada. E tudo isso P/ ELE!
Aí, hj o infeliz me diz que não vem mais, eu já tinha esse pressentimento de que ele nao vinha, mas ainda assim eu tinha uma esperancinha no fundo. Hoje ele confirmou que não vinha mais e mais uma vez eu me desaponto com ele. Dessa vez, a queda nao foi tão grande eu não estava fazendo isso td só por ele, pq eu vou continuar com o plano, vou chegar nas 2 fases finais sim e ainda com o plus de estar mais magra.
Mesmo assim, estou chateada, pq são 6 anos fazendo TUDO pensando nele e em troca o que eu tenho?! NADA!
Tudo bem, que faz 1 ano mais ou menos que a gente não se fala como antes, que não somos tão amigos assim, tem mais de um ano que eu estou tentando tocar minha vida sem ele, tentando sair com outros carinhas, conhecer pessoas novas, mas no fim nada disso funciona e eu tento esquecê-lo cada dia da minha vida, cada vez que eu jogo fora mais uma lembrança dele, cada vez dia que se passa e eu não entro no Orkut dele, que não fico no MSN p/ falar com ele, que eu fico sem ver nada que esteja relacionado a ele… eu tento esquecer, mas é só alguém tocar no assunto, é só ele aparecer por um instante na minha vida que tudo volta, não com a msm intensidade, pq eu sei que tão intenso como foi, nada nunca será parecido, mas volta sim aquele fiozinho de “ainda gosto”.
E isso tudo é uma merda!
Se eu pudesse ter somente um desejo realizado na vida, só um, eu escolheria voltar no dia 24/02/2002 e apagar da minha cabeça a idéia de que alguma vez eu pudesse estar apaixonada pelo meu melhor amigo, apagaria essa idéia e esse dia. Se eu pudesse escolher, eu nunca teria me apaixonado por ele, nunca teria amado ele tanto assim. Mas como agora não dá p/ voltar no tempo, fico esperando esse amor acabar.