Livro: Herdeira do Fogo

(4/5)
Sarah J Maas
Galera Record
2015
518 páginas
Compre na Amazon

Ao final do último livro, Celaena foi enviada para longe em uma missão para o rei. Mas o que seria apenas uma missão letal para o rei, em Herdeira do Fogo, se transforma em uma jornada de busca por informações sobre seus antepassados e sua herança. E o que pode mudar não só o futuro de Celaena, mas também do povo de Adarlan e de todo mundo.

Enquanto isso, forças sinistras começam a surgir com planos malignos para dominar o mundo. Agora todo o futuro de todos depende da coragem de Celaena de encarar seu passado, dominar seus próprios demônios e seguir o caminho a que foi predestinada.

Depois de ter lido A Lâmina da Assassina, que vem com um enredo mais contínuo e cheio de ação, achei o início de Herdeira do Fogo bem parado.

A parte do treinamento de Celaena com Rowan parece que não anda e nada acontece e dura mais da metade do livro. A gente sabe que o treinamento é importante para o desenvolvimento da heroína, mas eu odeio como a Sarah J Maas tem uma fixação por descrever rotinas em todos os livros.

Para eles, era a herdeira de duas linhagens magníficas e de um poder imenso que os manteria em segurança, assim como elevaria o reino ainda mais. Um poder que era um dom – ou uma arma.

Ao mesmo tempo em que em Adarlan, Chaol e Dorian estavam sendo inúteis fazendo nada de interessante e as partes com eles eram no mesmo grau de desinteressante.

Então a autora intercalou uns capítulos com as bruxas, que eu fiquei totalmente perdida e sem entender nada, mas pelo menos era mais intrigante e tinha alguma ação.

As chaves de Wyrd não eram inerentemente boas ou más. Dependia de como os portadores as utilizavam.

Só quando eu já tinha lido 70% da história foi que o livro começou a pegar fogo (quase que literalmente – só quem leu vai entender). A mágica realmente aconteceu e a história fluiu. As cenas de ação ganharam vida e foi impossível largar.

A cada parágrafo eu soltava um “Meu Deus!” para uma coisa diferente que acontecia.

Acho que 1/3 do livro poderia ter sido dispensado. A história é boa, interessante, mas achei que teve muita enrolação no início no meio, deixou para resolver tudo no final e não resolveu e deixou para o próximo livro, que eu já estou curiosa para ler.

Mas Sarah, minha querida, ME AJUDA A TE AJUDAR!

Quero te indicar para meus amigos porque a senhora escreve umas cenas muitos lacradoras, mas tem gente que vai abandonar a leitura se todo livro precisar ler tanta enrolação.

O poder não estava na força ou na habilidade. Estava no controle – o poder consistia em autocontrole.

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.