Como eu estudo

Já me perguntaram algumas vezes como eu estudo ou uso alguns itens de papelaria, mas me faltava tempo para fotografar tudo e fazer um post específico.
Finalmente consegui separar o material de estudo e as fotos para criar o post. Espero que seja útil.
Eu uso lápis de cor neon da Faber Castell para marcar códigos e vade mecum. Os lápis não mancham a folha e como são 8 cores diferentes dá para separar o conteúdo na hora de estudar.
estudo1
Também uso essas flags para separar os códigos e leis mais importantes no vade. Tem um kit específico de marcadores para códigos, mas acho caro e acabo usando as flags mesmo.
estudo2
Na hora de estudar, eu fico com o livro e um caderno por perto para fazer esquemas e mapas mentais com desenhos.
estudo3
estudo4
Fico com alguns post-its pequenos para marcar as páginas dos livros com esquemas (não vou copiar no papel o que já está no livro, né? Só deixo marcado para facilitar na hora de revisar).
estudo5
Quando fiz cursinho para OAB alguns professores tinham músicas. Lembro delas até hoje e uso o post-it de nota musical para escrever a letra e lembrar na hora de revisar.
estudo6
Tenho dois planejamentos. Um genérico que eu fiz e deixo colado no quadro de avisos e um específico no computador, com a matéria que vou estudar naquele dia e a divisão certinha dos horários. O do quadro de avisos eu faço com canetas stabillo e lápis de cor para ficar bem bonitinho e o do computador é uma tabela no Word, cheia de frescura.
estudo7
estudo8

Algumas outras dicas para estudantes de Direito (apenas) são:

– Se durante a faculdade você sabe que não vai mesmo advogar, não compre doutrinas caras, cheias de volumes e de autores renomados. Pegue todas na biblioteca da faculdade, leia antes das provas, anote trechos importantes e estude para as provas apenas com resumos, sinopses e apostilas.
– Se você quiser mesmo comprar um livro durante a faculdade prefira as sinopses ou livros no estilo “esquematizados“. São volumes únicos, com linguagem fácil, questões para resolver e, geralmente, mais baratos que as doutrinas dos grandes autores.
– Não use sinopses ou esquematizados para fazer trabalhos, artigos ou monografia. Por favor, né? Se você vai falar sobre uma coisa que o autor escreveu pegue pelo menos o livro dele. Eu disse que é para você não comprar o livro, mas leia textos de autores renomados, pelo menos para citar bonitinho nos trabalhos.
– Agora, se você quer advogar e dar aula, compre todos os livros indicados pelos professores. Os livros serão bem úteis na sua vida, já que depois da formatura muitas faculdades começam a restringir o uso de suas bibliotecas e comprar tudo de uma vez pode pesar no bolso.

Continue Reading

Direito tem que ler mto

Qdo eu pensei em fazer faculdade de Direito todos me falavam: “precisa ler mto” e eu nunca achei isso um problema pq eu sempre gostei de ler. Eu amava ler, qualquer coisa, pegava até a lista telefônica e ficava lendo aquelas páginas iniciais com informações qdo não tinha mais nenhum livro em casa p/ ler, mas aí eu entrei na faculdade…
Antes de falar da faculdade, vamos ao Ensino Médio, minha escola tinha uma prova por semana, então eu era obrigada a ler e estudar o mínimo um ou 2 dias na semana p/ fazer a bendita prova e no 3° ano eu li e estudei igual a uma condenada (no 1° semestre, obviamente, pq no 2° semestre eu desisti da federal) e cheguei a ficar na lista dos melhores do 3° ano e pré uma vez, sem querer me gabar. Mas a questão é: eu estava acostumada com essa rotina mais ou menos dura e mesmo que eu nao precisasse me esforçar tanto, era exigido do meu intelecto mais do que é exigido na maioria das escolas comuns.
Aí eu comecei a faculdade e tudo se tornou uma extensão do Ensino Médio: a maioria dos meus colegas eu conhecia de vista da escola e a rotina de estudos era basicamente a mesma, mas de forma piorada.
Digamos que o que eu li durante um ano na escola, eu li em um semestre p/ uma disciplina na faculdade e isso no primeiro período p/ matérias pouco importantes e assuntos que exigiam menos de mim e de qualquer pessoa normal da sala.
E aí a coisa foi só piorando… piorando eu digo p/ pessoas normais, alunos que não colam, que gostam de aprender a matéria e não fazem nenhum tipo de anotação no código ou “trocam informações” sobre a matéria durante a prova. Trapacear é fácil, passar de ano trapaceando é fácil, do jeito normal é duro, cansativo e exatamente da forma como a vida real funciona.
Pois bem, depois de quase 5 anos sobrevivi a mais um semestre na faculdade a base de muito guaraná em pó, promessas a Nossa Senhora de Fátima e muitas horas por dia engolindo livros, cadernos, artigos e qualquer porcaria que alguém falasse que valia a pena ler p/ fazer as provas.
Estudantes: agradeçam por não fazerem Direito na minha faculdade. Eu tive 9 matérias esse semestre, dessas, acredito que pelo menos 7 professores pediam um trabalho ou qualquer coisa p/ entregar por semana e eu não sabia se era pior fazer trabalhos chatos, sem resposta no Google, tendo que ler um texto gigante p/ tentar compreender do que se tratava e em grupo, ou fazer uma prova ininteligível sbre isso. Nos dois casos eu ficava até de madrugada estudando e no dia seguinte eu tinha que acordar as 5 da manhã do mesmo jeito e no fim eu me ferrava.
Na maioria das faculdades por aqui, no último ano de faculdade os professores aliviam um pouco a barra p/ que os alunos consigam terminar suas monografias e estudar p/ OAB, menos na minha faculdade. Lá, todos os professores acreditam que só existe a matéria deles no planeta e vc deve estudar para ela com regime de dedicação exclusiva, fazendo trabalhos gigantescos sobre a crise econômica na China ou Estudos Dirigidos semanais sobre o OGMO e no meio disso tudo provas, provas e mais provas, nas quais a média da turma era abaixo da média. Abaixo da média sim, porque o professor cortava a questão toda se vc não escrevesse exatamente nas palavras que ele queria, mesmo que no fim, o sentido da frase fosse o mesmo. E vamos considerar, como um exemplo meramente ilustrativo, que p/ cada matéria era utilizado um livro e cada livro tinha cerca de 400 páginas e se tinhamos 2 provas por semestre isso dá 200 páginas por matéria p/ cada prova, fora os cadernos e as leis deveriam ser lidos obrigatoriamente.
Difícil? Imagina! São os alunos que reclamam demais e não gostam de estudar. Afinal de contas, no 9° período da faculdade ninguém trabalha, nem estagia e não faz nada a vida a não ser dormir a tarde e assistir Malhação depois. E quem faz alguma coisa de útil da vida, pode muito bem estudar de meia-noite às 6 da manhã. Afinal de contas, o que as pessoas normais fazem nesse horário é bem inútil. Dormir p/ que? Qdo morrermos teremos a eternidade p/ descansar a mente.

Continue Reading

Direito

Mta gente ai perguntou pq eu faço Direito sendo que eu não gosto… tenho uma série de argumentos bem convincentes, vamos lá:
1) Desde a 5ª série eu sempre quis fazer direito p/ ser diplomata, nunca me imaginei como advogada ou algo do tipo, se eu nao fosse diplomata, no mínimo seria juíza. Nunca pensei em ser outra coisa na vida e o mais incrível é que eu sou a única pessoa da família que faz esse curso o.o
2) Existem mais de 60 profissões relacionadas a área, basta ter um diploma de bacharel em direito p/ ocupar uma dessas profissões (em alguns casos precisa, é claro, da carteira da OAB, mas estou eliminando essa hipótese). Então o leque de possibilidades é enorme, tenho várias opções de trabalho
3) é fácil ganhar dinheiro com isso
4) é um dos cursos mais importantes na minha opinião, sem desmerecer nenhuma profissão, mas vc pode ser qualquer coisa, ter qualquer profissão, mas vc sempre vai precisar do Direito e de um profissional dessa área
5) eu acho fundamental o conhecimento jurídico, acho que deveria ser ensinado nas escolas de nível fundamental ou médio. Não o direito processual, que é a ferramenta de trabalho dos profissionais da área, mas o direito material: penal, civil, consumidor… tantas coisas que eu nem imaginava que pudesse ser crime e só fui aprender na faculadade e tem outras coisas que eu ainda nem imagino que seja o.o agora imagina aquele cidadão lá do morro que não tem acesso à educação e não pode alegar em juízo que desconhecia uma norma que proíbia a conduta dele para o caso no qual está sendo processado… o.o complicado, né?
6) minha mãe quer meu diploma de Direito pq como só somos eu e ela, ela e eu, ela acha que na falta dela o conhecimento jurídico pode me ajudar
7) adquirir conhecimento nunca é demais x)
e outras coisas mais que não vou ficar escrevendo p/ post nao ficar muito grande.

Agora, continuando…
Como boa vidente que eu sou, como eu previ, acabei ganhando uma impressora da mamys!! Ela é da HP (modelo C4280), multifuncional, perfeita!! Da conta do recado e além do mais, imprime fotos em papel fotográfico *_* se eu aperfeiçoar meus dotes fotográficos, só precisarei comprar os kits de fotografia e ter meu laboratório em casa. Eu sei que isso é difícil pq a faculdade está comendo toda minha criatividade e eu não consigo mais tirar uma foto criativa, todas são do mesmo jeito e como eu nao viajo p/ cenário ficar diferente, não vou gastar dinheiro de fotos do mesmo estilo, nas quais só as roupas sao diferentes… ¬¬

Enfim, essa é minha última semana de aula, tenho que entregar um trabalho chato na segunda e fazer 3 provas. Dessas 3, eu preciso ir bem em 2, se não eu tranco a faculdade, e principalmente na prova de segunda-feira à noite. Então, segunda-feira as 19h quero ver todo mundo acendendo mil velas p/ todos os santos p/ eu ir bem nessa bendita prova!!! É a única coisa que eu peço, se eu não ficar de dependencia de novo, nem preciso de presente de natal \o/ (com exceção é claro da depê que eu já peguei, mas essa é irrelevante no momento).

Ahh! Alguém tem uma boa desculpa p/ eu sair do estágio?!
Mês passado eu pedi p/ sair p/ estudar e o chefe ficou desesperado, falou que me dava um dia de folga toda semana, mas que nao era p/ eu sair. Eu, burra, falei que se não fosse a faculdade eu não sairia, o que ele fez?? Me deu um mês de “férias” p/ eu estudar, colocar as coisas da faculdade em dia e voltar dia 10 de dezembro. Só que eu não quero mais voltar, cansei do estágio, já aprendi tudo que tinha que aprender lá e quero coisa nova, mas não sei como falar isso… E eu também esqueci de falar que estava (é verdade!!!!) com um problema de coluna e que iria sair também p/ cuidar da coluna. Agora eu volto e falo isso da coluna? Eu não volto e deixo eles me esperando? Eu volto e falo que não quero mais estagiar lá? Eu volto e falo que nao quero mais estagiar nunca mais? Eu volto e falo que não gosto de Direito? Eu volto e falo que tranquei a faculdade??? O que eu faço?? :S:S

Continue Reading