Monthly Archives:November 2016

  • Livro: O primeiro dia do resto da nossa vida

    o primeiro dia do resto de nossas vidasKate Eberlen
    (5/5)
    Editora Arqueiro
    2016
    432 páginas

    Tess e Gus foram feitos um para o outro. Só que eles não se encontraram ainda. E pode ser que nunca se encontrem…

    Quem consegue resistir a um livro com essa chamada? Se a sua mente já começou a tocar alguma música da Liz Phair e você está esperando uma comédia romântica digna de Sessão da Tarde você está certo.
    A história de O primeiro dia do resto da nossa vida começa em agosto de 1997.
    Tess está de férias com sua melhor amiga Doll e sonhando com a universidade. Elas passaram o verão viajando de um país para outro da Europa e agora estão na Itália aproveitando os últimos momentos. Elas estão fazendo planos para o futuro e pensando em como a vida mudará com o fim das aventuras de verão. Tess, uma moça inteligente e ávida tenta absorver ao máximo da cultura e da arte presente no país. Doll não se interessa tanto assim pelos passeios pelas numerosas igrejas, mas não desanima a amiga.
    Gus está viajando com os pais pela Itália. Ele adoraria fugir de todas as programações familiares que os pais fizeram e ficar admirando as obras presentes nas igrejas e na arquitetura italiana, mas o máximo que consegue são rápidas escapadas para correr. Ele mal pode esperar para ir para universidade e fugir do controle dos pais. Ele queria estudar arte ou outra coisa, mas seus pais insistiram para que ele fizesse medicina e o rapaz não contrariou a vontade da família.
    Os capítulos dos livros são intercalados, ora conhecemos a história de Tess, ora a de Gus. A cada capítulo e a cada página virada me vi perguntando se finalmente Gus e Tess se encontrariam.
    São narrados dezesseis anos de história. Vemos a vida de Tess virando do avesso, acompanhamos seus êxitos e suas perdas. Também conhecemos as fraquezas e as qualidades de Gus e percebemos como os dois personagens são reais.
    A vida de ambos possui altos de baixos e a autora conseguiu transmitir todos esses sentimentos. Nada é perfeito. É um livro totalmente fora do clichê.
    O tempo todo Tess e Gus estão se cruzando pelos caminhos ou estão no mesmo lugar e na mesma hora, mas eles não se conhecem e um não sabe da existência do outro.
    Várias vezes me questionei se eles realmente eram perfeitos um para o outro e se eles deveriam ficar juntos. No final das contas eu cheguei à conclusão de que ninguém é perfeito para ninguém. Somos indivíduos com defeitos e qualidades. Nossa metade da laranja não vai encaixar certinha e talvez ela nem seja uma laranja.
    A autora brincou de Deus e senhora do destino e ficou com a vida dos personagens nas mãos. A todo momento ela juntava e afastava os protagonistas de uma forma tão sutil que só no fim do livro que sabemos se eles se encontram ou não. Ou se eles são destinados a ficar juntos, ou não.
    O primeiro dia para o resto de nossas vidas é um livro adorável, daqueles que aquecem o coração. É leve, é engraçado, é fofo e emocionante.

    – Não posso fazer você ter fé, Tess – disse ela. – Esse é um passo que você tem que dar sozinha e, depois, tudo vai fluir.
    P. 37

  • Planning 101: Caderninho de bolsa

    Na mesma época que adquiri o Happy Planner eu comecei a usar um caderninho dentro da bolsa para anotar coisas da faculdade.
    caderninho_de_bolsa_1
    Eu comecei a treinar um BUJO nele. Organizei mais ou menos as semanas, dias e anotações importantes.
    Nele tem desde anotações de aula até lista de compras e despesas diárias, passando por ideia de posts, pauta de perguntas para mediação de evento, etc. Como é levinho eu carrego para tudo quanto é canto. Deixo um clipe grande marcando o dia/semana e isso facilita na hora de ver os compromissos ou anotar algo.
    caderninho_de_bolsa_2
    caderninho_de_bolsa_3
    Por ser um caderno mais simples eu não tenho tanta preocupação se vai sujar, amassar folha ou danificar. Eu tomo cuidado sim, mas não é como se o caderno fosse se deteriorar na minha mão.
    caderninho_de_bolsa_4
    Tenho um Kikki-k personal para levar na bolsa, mas acabo preferindo meu caderninho a ele e para o ano que vem já estou com outro caderninho em vista, só que quero investir mais no formato BUJO e não deixar o caderninho com informações soltas.
    caderninho_de_bolsa_5
    O que você acha dessa forma de organização? Já usou? Ou prefere os planners(?) tradicionais?

  • Trilha das blogueiras dos anos 2000

    Lá no início da blogsfera existia a moda dos blogs meninininhas. A divisão dos nichos como tem hoje não existia porque todo mundo falava da vida pessoal. O que diferenciava eram os layout. As patricinhas com os layouts rosa e cheios de glitter, os góticos com layout de Evanescence e os otakus com layout de anime.
    E claro, que todos os blogs tinham players para tocar midi. Como o meu nicho era mais menininha e patricinha, os blogs que eu mais visitava seguiam este estilo. E para relembrar esta época de glória fiz essa maravilhosa seleção de músicas que as blogueiras ouviam nos anos 2000.
    trilhaano2000
    hello20girls
    LIZ PHAIR – WHY CAN’T I?
    Ganha um doce quem acertar de qual filme essa música é trilha.

    Lembrou?
    De Repente 30.
    Confesso que eu também não liguei o nome ao filme, mesmo assistindo ao filme umas 30 vezes.

    PIECES OF ME – ASHLEE SIMPSON

    Ashlee era uma queridinha da época, além de embalar as trilhas, a foto dela estava em diversos layouts por aí.

    STARS ARE BLIND – PARIS HILTON

    Um recado:
    Paris Hilton

    ALL YOU WANTED – MICHELLE BRANCH

    Michelle não tinha o rosto muito famoso nos layouts, mas a voz… essa estava lá.

    THAT GIRL – LINDSAY LOHAN

    Tinha a batalha de layouts Lindsay x Hilary. Tudo bem que toda semana a gente trocava e alternava com as duas e assistia aos filmes no Disney Channel. Mas vamos fingir a rivalidade para ter confronto.
    Até hoje quer juntar as amigas no Natal pra fazer a dancinha de Meninas Malvadas

    SO YESTERDAY – HILARY DUFF

    O problema de ter sido fã da Hilary é que eu não me lembro qual música era a mais ouvida na época. A popularidade do filme A Nova Cinderela é inquestionável e Anywhere but here é uma das minhas preferidas até hoje, mas o clipe de So yesterday ainda é o meu preferido.
    Hilary

    CRY – MANDY MOORE

    Mandy Moore caiu nas graças do público por causa do filme Um amor pra recordar. Quem nunca chorou de soluçar ao assistir ao filme? Sei que você ainda canta Only Hope no banheiro.

    SAY OK – VANESSA HUDGENS

    Depois de High School Musical todos viramos fãs da Vanessa, não é mesmo?

    TOO LITTLE TOO LATE – JOJO

    Nunca dei o devido valor à JoJo, mas ela também estava lá.

    HAPPY ENDING – AVRIL LAVIGNE

    Avril estava presente tantos nos blogs patty quanto nos blogs rebeldes. Essa fama de sk8 girl fez Avril unir dois grupos na blogsfera.

    BREAKWAY – KELLY CLARKSON

    Como trilha de Diário da Princesa, essa música da Kelly tocou tanto em blogs que acho tem blogs que eu entro e ouço a música mentalmente.

    patricinhas001
    Continuando a vibe Menininha anos 2000 criei uma playlist colaborativa no Spotify. Só seguir, começar a ouvir e adicionar mais maravilhas como essas.

    Muito glitter, plaquinha e blinkie pra vocês. Boa semana!
    beijo