13 anos de Polypop

Hoje é aniversário do blog: 13 anos. Se fosse uma criança, ele estaria entrando na adolescência. Yay!

Eu escrevo em blogs desde 2001, mas neste endereço estou oficialmente presente desde 13/11/2007. Eu comemoro no dia 12 de novembro porque foi o dia em que eu decidi comprar o domínio e a hospedagem e paguei o boleto.

Sem nenhum glamour, o Polypop nasceu dentro da sala de informática da faculdade no meu intervalo de almoço, antes do estágio.

Começou como um blog bem pessoal, estilo diário, depois mudei um pouco o foco abrangendo outras coisas que eu gosto, como música, filmes, séries e livros. Mas sempre o considerei um blog pessoal, mesmo com a diminuição de conteúdos pessoais.

Eu sei que ando bastante sumida e às vezes tento tirar a teia de aranha, mas não adianta eu postar apenas por postar, criar um conteúdo aleatório só para dizer que o blog está na ativa. Se é pra voltar e ter post, os posts precisam ser escritos com amor e carinho. Eu comecei a postar porque gostava, se virar uma obrigação, para mim, perde todo o sentido do blog existir.

Teremos novos conteúdos nos próximos dias, então fiquem atentos.

Obrigada a todo mundo que passou por aqui nos últimos anos e a quem continua visitando mesmo quando nem eu o faço. Vocês arrasam!

Fiz alguns Top 13 porque eu amo fazer Top qualquer coisa.

13 posts para relembrar

(Em ordem aleatória)

Dido em São Paulo

Vi as Spice Girls ao vivo

Como foi realizar meu sonho de adolescente e conhecer uma Spice Girl

7 coisas que eu aprendi com as Spice Girls (talvez eu goste de Spice Girls, caso alguém não tenha percebido)

O caixão vazio (esse post gerou uma mega treta offline)

Penny Dreadful: uma review sobre a decepção (esse post eu escrevi com tanta dor no coração que merece ser lido)

Bolo de chocolate SGSL (todo aniversário tem bolo, certo?)

Faça teatro! (ode ao teatro)

Segunda Pop: MDNA Tour em SP

Saia dessa, Sacolão!

Madonna no RJ (talvez eu também goste de Madonna, caso alguém não tenha percebido)

Escrevendo Fanfics: guia completo (fiz uma live sobre isso, bati papo com os alunos do Núcleo de Línguas da UFES… e condensei os pontos mais importantes em um post)

Como estudar inglês sozinha (post de utilidade pública)

13 músicas para celebrar

Dê o play aí e vamos comemorar!

Continue Reading

10 anos

Ainda lembro exatamente do dia em que decidi criar o Polypop. Eu sempre tive blogs. Minha diversão da adolescência era criar layouts no Photoshop, montar no FrontPage e colocar um tema novo no ar a cada semana. Desde 2001 estou na blogsfera acompanhando o crescimento e mudanças.
Ter domínio próprio antigamente era um luxo. Em 2004 ou 2005 eu comprei um domínio para um fã-clube da Hilary Duff (Duff-Stuff), que eu tinha e usava o blog em um espacinho ali como subdomínio. Mas não estava dando conta da faculdade e do fã-clube. Então meus dias de subdomínio estavam contados. Decidi comprar um domínio próprio com hospedagem própria para o meu blog. Inspirações de vários lados, muitas ideias na cabeça e comprei o polypop.net.
Lembro claramente do dia: 12 de novembro de 2007, uma manhã ensolarada. A aula tinha acabado, eu estava na sala de informática da faculdade esperando o horário de ir para o estágio (meus últimos dias de estágio). Entrei no site do Prelude e contratei tudo o que precisava. À tarde passei no banco para pagar a fatura e de noite, quando cheguei em casa, tudo estava certinho, me esperando.
Foi só o tempo de organizar o layout, as páginas e saber o que escrever (escrever o primeiro post é a pior coisa da vida!) e eu coloquei o blog no ar com o primeiro post em 17 de novembro de 2007.
Esses últimos 10 anos foram de crescimento. Tanto meu quanto do blog. Comecei em uma época em que o importante era apenas se divertir e compartilhar suas experiências. Por mais que nesse tempo a blogosfera tenha mudado, eu tentei manter o meu ritmo. Fui me adaptando, mas acho que a essência (ser um blog pessoal) continuou.
Já pensei em desistir, já quis recomeçar (com outro nome, outro domínio, outro conteúdo), mas no fim das contas acho que o que realmente importa é a vivência desses anos. Conheci pessoas, fiz amigos, cometi erros e aprendi pra caramba. E pelo saldo positivo continuamos por aqui pela próxima década.

Tô sumida? Sim. Queria uma comemoração maior (grandiosa)? Também. Mas tô tentando colocar a vida offline nos eixos primeiro, então vamos comemorar o fato de ter post hoje e de ter leitores lindos visitando (e comentando!) o blog mesmo quando eu não posto (ou divulgo) com frequência.
Parabéns para os 10 anos de blog, parabéns para mim, que continuo na vida de blogueira, parabéns para os leitores que passam por aqui, parabéns a todos os amigos e parceiros que passaram por aqui, parabéns a todos nós!

Continue Reading

Editando fotos online no Fotor

Apesar de ter alguns editores de fotos no computador eu estou me rendendo aos editores online. Acho mais simples, não preciso ficar mudando as medidas, só fazer upload das minhas imagens, modificar um pouco os layouts prontos e já tenho minha imagem. Em menos de 10 minutos edito as fotos e já estão prontas para colocar no post. Muito mais prático e fácisvggsdvsdJá passei por diversos editores e cada hora eu uso um novo e coloco ele nos meus favoritos. Agora estou usando o Fotor. Já falei dele em outros posts aqui do blog, mas como eles estão sempre em mudança acabo voltando e testando as novas ferramentas.

O site está com novas ferramentas e as antigas foram aprimoradas. Novos efeitos foram incluídos na edição e novos modelos de design para edição, além de opções novas para colagem. Tudo feito para facilitar nossa vida na internet.

Esse é o novo visual do site, muito mais moderno. Testei alguns recursos e é bem fácil de mexer. Além de ter um tutorial quando você vai utilizar pela primeira vez, as funções são bastante intuitivas. Se você já usa um editor online não terá problema algum em utilizar o Fotor.
Utilizei alguns recursos de edição e coloquei efeitos e, depois, com o próprio Fotor, eu fiz uma colagem comparando as duas imagens.

Foto que eu tirei no Convento da Penha.
Antes: foto sem edição alguma. Depois: com alguns efeitos e um pouco de desfoque.

Outro foto que eu tirei no Convento da Penha.
Antes: foto sem edição. Depois: com um efeito que ficou parecendo uma pintura. Achei o efeito bem diferente e bonito e gostei bastante do resultado final.
Além das novidades no site, o aplicativo também foi atualizado com os mesmos recursos e é possível fazer coisas incríveis. Muitas das funções são gratuitas e geniais! Vale a pena testar.
Vocês já usaram o Fotor ou algum outro editor? O que acham?

Continue Reading