Para comemorar o dia do escritor (25/07), a Editora Novo Conceito está com uma ação muito legal.
A ação Compartilhando Histórias funcionará da seguinte maneira: os leitores enviarão para a Novas Páginas uma foto de um grande momento da vida deles, junto com a história daquela imagem. As duas fotos mais legais, que serão avaliadas pelo próprio Maurício Gomyde, ganharão 01 (um) Kindle® cada!
polypop acao entre parceiros Ação Compartilhando Histórias da Novo Conceito
Maiores informações no Facebook da editora.

Há uns 10 anos eu troquei de quarto com minha mãe pelo fato do dela ser mais amplo, ter mais espaço para eu organizar minhas coisas e ser mais fácil de limpar (facilidade de limpeza é uma necessidade quando se é alérgica). Desde então eu estou sempre tentando decorar e finaliza-lo, mas nunca consigo.
Tive ótimas ideias e algumas coloquei em prática, mas na hora de finalizar e acertar os últimos detalhes eu já estou com novos planos e novas ideias e decido recomeçar o processo. Meu quarto já foi azul e rosa, já teve painel de fotos, já teve colcha com ideogramas japoneses na cama e ar oriental e hoje está mais básico, em um novo processo de mudanças.
polypop quarto Lar, doce quarto...
Acho que na verdade eu gosto mesmo desse processo de mudanças e de exercitar o cérebro com novas ideias e planos. Nessas horas eu busco inspiração na internet, principalmente em sites de vendas de artigos de decoração online. Amo ficar horas e horas navegando em busca de objetos para completar minha decoração e deixar meu quarto com mais cara de “meu”.
Sou uma pessoa bastante caseira, então o quarto para mim não é apenas um lugar para dormir, mas um refúgio após um dia tenso. Aliás, não tem nada melhor do que chegar em casa, tomar um banho morno e descansar tranquilamente no quarto lendo um livro, ou tem?
E para se sentir bem em um lugar tão especial é necessário carinho, dedicação e paciência. Planejar a decoração, comprar os objetos (online ou não) e coloca-los no seu devido lugar é quase uma terapia que eu adoro fazer. Considero cada etapa cumprida nesse processo como uma pequena vitória pessoal, que eu adoro comemorar. É uma satisfação enorme deixar meu cantinho do meu jeito.
E vocês? Também gostam dessa “terapia”? Como arrumam o quarto de vocês? Gostam de fazer esse processo? Me contem tudo, vai.

MINHA VEZ DE BRILHAR Livro: Minha vez de brilharErin E. Moulton
star Livro: Minha vez de brilharstar Livro: Minha vez de brilharstar Livro: Minha vez de brilharstar Livro: Minha vez de brilharemptystar Livro: Minha vez de brilhar (4/5)
Editora Novo Conceito | #irado
2014
288 páginas

Sinopse: Em uma noite, Indie faz um pedido para uma estrela. Ela quer muito reencontrar a sua lagosta de estimação, e também quer que sua irmã Bibi volte a gostar dela. Mas ter os seus desejos realizados pode exigir dedicação integral! Indie trabalha no teatro durante o dia, mostrando a Bibi e seus amigos o quanto ela pode ser útil. À noite, ela procura sua lagosta perdida, e para isso conta com a ajuda de seu novo grande amigo, Owen. Tudo vai bem até que Bibi e sua turma começam a pegar no pé de Owen, o maior exemplo de nerd e futuro loser. Será que Indie vai conseguir manter em segredo sua amizade com Owen? Será que, para ser uma pessoa melhor, Indie precisa mesmo ser diferente?

Opinião: Minha vez de brilhar tem uma capa linda! Além dela ser dura, o título é brilhante e tem um bom acabamento. É mil vezes mais bonita pessoalmente, dessas que te fascinam e te convidam para ler o livro.
O miolo é todo desenhado com peixinho, conchas, estrelas do mar, âncoras, cavalos marinho e lagosta no início de cada capítulo. Um capricho só.
Pena que a história em si não me agradou muito.
Indie Lee Chickory é uma menina que está no último dia de aula da quinta série. Ela tem uma irmã, Bibi, que é um ano mais velha que ela. Indie não liga para moda ou andar bem arrumada e perfumada. Ela gosta de peixes e não se importa se fica cheirando a peixe ou comida de peixe, de vez em quando.
Indie tem uma lagosta dourada de estimação, a Monty Cola. Apenas uma em cada 30 mil lagostas são douradas. Monty Cola fica em um tanque do lado de fora da janela do quarto de Indie, que a alimenta com arenque e cabeças de peixe.
Tudo parecia correr bem no último dia de aula das meninas, quando Indie nota que Monty Cola entrou em sua mochila e a acompanhou para a escola.
Indie fica preocupada com a lagosta e a leva para a praia, para dar um mergulho, mas Monty Cola se assusta com a sirene da polícia e some entre as pedras da praia.
Indie vai para a casa triste por decepcionar sua irmã Bibi, seus pais, a escola e principalmente por ter perdido sua lagosta. Então à noite ela faz um pedido para uma estrela, ela pede para se tornar uma pessoa melhor.

Quero ser uma Chickory que consiga fazer mamãe e papi e Bibi sorrirem. Uma Chickory que consiga encontrar a lagosta Monty Cola. Uma Chickory muito boa, não a peixólatra de Plumtown.
P. 41

Indie começa a trabalhar no teatro, na parte de cenografia. Ela começa a trabalhar por acaso e depois descobre que assim poderá agradar sua família e principalmente Bibi e então permanece por lá. No teatro ela conhece o menino Owen. Owen é nerd e foge dos padrões de beleza de Bibi, mas Indie gosta dele e o considera um amigo.
Nas horas de folga ela se encontra escondida com Owen e os dois armam um plano para recapturar Monty Cola. Durante o dia ela tenta uma boa irmã para Bibi e não arrumar confusão.

- Vai ser o melhor verão de todos os tempos – diz ela, andando de braços dados comigo ao passarmos pela entrada da garagem e chegarmos aos degraus e à porta da frente de casa.
P. 116

Achei que para um livro infanto-juvenil de 288 páginas a história foi um pouco parada. Fala de assuntos interessantes para a faixa etária e mostra a dificuldade que é tentar se encaixar em um padrão só para que as pessoas gostem de você.
Acho que todo mundo já passou por aquela fase de ter um amigo que é legal com você, mas como todo mundo fica julgando-o pelas aparências você acaba com receio de falar que ele é seu amigo para que não te julguem também e parem de te aceitar no grupinho deles.
E na fase escolar é muito difícil ter a maturidade para ver que amigo de verdade é aquele te aceita como você é e não quem se encaixa em um padrão, que as vezes não tem nada a ver com você.

- Faça o pedido a tantas estrelas quantas você puder – falo, segurando meu pingente de Peixes, porque, se há um pedido que precisa de uma ajuda extra, é este.
P. 227

O livro é escrito em primeira pessoa e isso ajuda muito a leitura. Ela flui bem rápido e os capítulos também são curtinhos. Dá para ler em uma tarde se você tiver no clima para leitura.