lucy Filme: LucyLucy, 2014
star Filme: Lucystar Filme: Lucystar Filme: Lucyemptystar Filme: Lucyemptystar Filme: Lucy (3/5)

Sinopse: Quando a inocente jovem Lucy (Scarlett Johansson) aceita transportar drogas dentro do seu estômago, ela não conhece muito bem os riscos que corre. Por acaso, ela acaba absorvendo as drogas, e um efeito inesperado acontece: Lucy ganha poderes sobre-humanos, incluindo a telecinesia, a ausência de dor e a capacidade de adquirir conhecimento instantaneamente.

Opinião: Vou começar comentando sobre a sinopse horrível e mal escrita: a) Lucy não é inocente, ela é uma jovem normal, que está em Taiwan (o filme não deixou claro o motivo) levando uma vida que qualquer jovem normal levaria: conhecendo pessoas, saindo com homens e cuidando da vida; b) ela não aceita a transportar drogas dentro do seu estômago, ela é obrigada a fazer isso. Lucy conheceu um cara não confiável que a meteu numa enrascada e ela acabou sendo forçada à transportar a sustância dentro do corpo. Foi feita uma cirurgia e o pacote com a substância ficou alojado dentro do seu corpo. c) Ela não absorve as drogas “por acaso”, o idiota que a estava vigiando até que ela fizesse o serviço fez o favor de ajudar o pacote a se romper.
Feitas essas considerações, vamos ao filme: muita ficção. E quando eu digo muita ficção, é nível de O quinto elemento elevado ao extremo. Quem gosta do estilo vai delirar. Eu gosto, mas nem tanto. Curti o filme, mas não amei. É bom, apenas isso.
A história começa com Lucy na porta de um hotel com o cara com quem está saindo. Ele a pede para entregar uma maleta para um sujeito. Ele não sabe (ou não quer dizer) o conteúdo da maleta e a “obriga” a fazer a entrega. Então ela fica nas mãos dos traficantes e é obrigada a fazer o transporte da droga.
Paralelo a isso, o professor Norman dá uma palestra sobre o uso do nosso cérebro. Há várias imagens com o comportamento dos animais e de evolução celular, tudo se encaixando com o que Lucy está vivendo.
Quando a droga começa a ser absorvida pelo organismo de Lucy ela ganha poderes sobre-humanos e começa a utilizar o cérebro cada vez, chegando até 100% de sua utilização.
Em alguns momentos eu via cenas e pensava “pfffff! Até parece!”, em outros eu adorava os efeitos visuais e em outros eu criticava a edição do filme.
Várias sensações 1h30 de filme, mas achei divertido.
A fileira abaixo da minha tinha aquelas cadeiras com movimento e quando elas se movimentavam eu sentia minha cadeira tremendo também. Paguei 9 reais a menos e tive meia experiência D-Box. Agora vou esperar um filme bom de ação para ver na cadeira D-Box e ver se a experiência é boa mesmo.

Morro de preguiça de…

Preguiça é feio, é pecado, mas eu tenho (e muita), como toda pessoa normal. Em algumas situações ela é mais acentuada e nessa semana do Desafio 52 semanas vou falar sobre isso.
lazy Desafio 52 semanas: semana 36
LIMPAR AS LITEIRAS
Eu não ligo de dar comida ou água para os gatos, mas limpar liteiras me dá uma preguiça. Quem tem gato sabe que eles preferem usar a caixinha de areia limpa, então o momento de limpar a caixa significa que ela será suja novamente por pelo menos mais 3 vezes (tenho 4 gatos, oras). Dá uma preguiça e vontade de mandar todos os bichanos usarem a caixa suja de uma vez para eu ter um trabalho só, mas eles não fazem isso, é óbvio.

RESPONDER COMENTÁRIOS
Desculpa gente, mas eu sou uma blogueira que tem preguiça de responder comentários, eu faço sempre, mas tenho preguiça e qualquer outra distração me faz procrastinar ainda mais esse ato.
Responder comentários é essencial para qualquer blogueiro e eu sei que eu deveria dar mais atenção a isso, mas eu leio os comentários, entro nos blogs amigos, leio os posts e fico séculos para dar a minha opinião. Desculpa, não sou perfeita.

GENTE QUE ENROLA PARA CONTAR UMA HISTÓRIA
Sabe aquela pessoa que não é objetiva e dá duas mil votas para contar determinada história? Como eu tenho preguiça de gente assim!!
Quase durmo quando a pessoa começa a formular uma frase. Não aguento.

COMPRAR COMIDA
Entre atravessar a rua e ir na padaria ou no Subway comprar alguma coisa para comer eu prefiro ir para o fogão cozinhar alguma coisa. Morro de preguiça de sair de casa para comprar comida, juro! Só compro mesmo nos casos em que estou atrasada para ir para aula, preciso lanchar, não tem nada pronto e eu não quero sair com fome. Em todas as outras situações eu prefiro cozinhar.

IR AO SALÃO DE BELEZA
Mulheres, como vocês conseguem ir todo final de semana para o salão? Eu morro de preguiça. Sair de casa para ir ao salão é quase uma tortura para mim. Tento fazer tudo em casa e prolongar ao máximo a ida ao salão porque a preguiça é muito maior que eu nesses casos (agora uma salva de palmas porque semana passada fui duas vezes ao salão – necessidade gritou mais alto).

Eu acho que todas as pessoas já passaram por momentos em que ficaram se perguntando “e se…?“. E se eu tivesse estudado mais? E se eu não tivesse saído na noite anterior? E se eu tivesse atendido àquele telefonema?
É até normal pensar em outras possibilidades e em como a vida seria se você tivesse feito outra coisa, mas às vezes esses pensamentos podem ter conotação negativa, carregados de culpa e remorso.
aurora E se...?

“Culpa”é o termo que usamos para os sentimentos negativos que repetidamente sentimos quando cometemos um erro que consideramos grave, ou quando fazemos algo que gostaríamos de não fazer ou de não ter de o fazer.
Via Escola de Psicologia

Algumas vezes, essa preocupação leva a sentimentos realmente negativos e a pessoa não consegue ter uma vida plena, pois fica revivendo aqueles momentos na cabeça.
lilo E se...?
Na literatura esse processo também acontece e para mostrar que os personagens são tão reais quanto gente de carne e osso selecionei alguns livros que abordam o tema:

WILLOW E se...?WILLOW
Julia Hoban
Sete meses atrás, em uma noite chuvosa de março, os pais de Willow acabaram bebendo muito durante o jantar e pediram a ela que guiasse o carro até em casa. Por uma fatalidade, Willow perdeu o controle do veículo e seus pais morreram no acidente. Consumida pela culpa, Willow deixa para trás sua casa, amigos e escola e, enquanto tenta retomar a relação de afeto e companheirismo com o irmão mais velho, secretamente bloqueia a dor da perda cortando a si mesma. Mas quando Willow encontra Guy, um rapaz tão sensível e complexo quanto ela, mudanças intensas começam a acontecer, virando seu mundo de cabeça para baixo. Contado de modo cativante e doce, Willow é um romance inesquecível sobre a luta de uma jovem para lidar com a tragédia familiar e com o medo de se deixar viver uma linda história de amor e cumplicidade.

Leya. 2014. 352 páginas. LANÇAMENTO
Skoob | Saraiva

A MAQUINA DE CONTAR HISTORIAS1 E se...?A MÁQUINA DE CONTAR HISTÓRIAS
Maurício Gomyde
Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das filhas, sem amigos… O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar. Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V. Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.

Novas Páginas (Novo Conceito). 2014. 192 páginas.
Skoob | Saraiva | Submarino
Resenha

SEGREDOS E MENTIRAS E se...?SEGREDOS E MENTIRAS
Diane Chamberlain
“Cara Anna, Já comecei esta carta várias vezes e aqui estou, começando-a novamente, sem fazer a mínima ideia de como lhe dizer.” A carta não terminada é a única pista que Tara e Emy têm para entender o que levou sua amiga Noelle ao suicídio. As três eram inseparáveis desde a faculdade e tudo a respeito de Noelle – seu trabalho de parteira, a forma como se dedicava apaixonadamente a diversas causas sociais, seu amor pelos amigos e a família – se encaixava na descrição de uma mulher que amava a própria vida.
Só que havia muitas coisas que Tara e Emy desconheciam. Por exemplo, quem é Anna e por que Noelle nunca a mencionara.
Com a descoberta da carta e do terrível segredo que a motivou, as duas começam a desvendar a verdade sobre essa mulher forte, independente e gentil que entrou em suas vidas trazendo amor e compaixão, mas que também pode ser a responsável por muitas tristezas e ilusões.
Com delicadeza e equilíbrio, Diane Chamberlain constrói uma história sensível sobre amizade e relacionamentos e levanta a pergunta: até que ponto você seria capaz de perdoar alguém que ama?

Arqueiro. 2014. 288 páginas
Skoob | Saraiva | Submarino
Resenha

O RESGATE E se...?O RESGATE
Nicholas Sparks
Confrontado com situações de extremo perigo, Taylor McAden, bombeiro voluntário, expõe-se até ao limiar do perigo. Denise é uma jovem mãe solteira, cujo filho de cinco anos sofre de um inexplicável atraso de desenvolvimento e a quem ela devota a sua vida numa tentativa de o ajudar. Mas o caso vai aproximar estes seres. Numa noite de tremendo temporal, Denise sofre um acidente de automóvel e é Taylor quem vem socorrê-la. Embora muito ferida, a jovem depressa toma consciência de que o filho já não se encontra na sua cadeirinha do banco traseiro. Taylor irá até ao fim de uma angustiante noite de buscas para o encontrar. Foram tecidas as primeiras malhas que os irão unir – o pequeno Kyle desabrocha ao calor da ternura daquele homem. Denise abandona-se à alegria de um amor nascente. Mas Taylor tem em si cicatrizes antigas, que o não deixam manter compromissos de longa duração. Nicholas Sparks, esse talentoso contador de histórias, intervém com a sua magia redentora e a sua inigualável capacidade de aprofundar a complexidade das relações e dos afetos.

Arqueiro. 2014. 320 páginas.
Skoob | Saraiva | Submarino
Resenha

A NAMORADA DO MEU AMIGO E se...?A NAMORADA DO MEU AMIGO
Graciela Mayrink
Quando voltou das férias de verão, Cadu não imaginava a confusão em que a sua vida se transformaria. Era para ser um ano normal, mas ele entrou em uma enrascada e está correndo o risco de perder a amizade do cara mais legal do mundo. O que fazer quando a namorada do seu amigo vira uma obsessão para você? Os churrascos da turma da faculdade talvez ajudem a esquecer Juliana, e, se depender do esforço do divertido Caveira, não faltarão garotas gente boa para preencher o coração de Cadu. Mas não adianta forçar… Quem consegue mandar no coração? Alice, a irmã de Beto, é só mais uma das dores de cabeça que Cadu tem que enfrentar. A vida inventa cada cilada!

Novas Páginas (Novo Conceito). 2014. 336 páginas.
Skoob | Saraiva | Submarino
Resenha em breve

E vocês? Já viveram situações assim? Se não viveram, já leram alguns dos livros citados?
Confesso que já tive meus momentos “e se…?”, mas nenhum deles foi sério ou marcado por pensamentos que me impediram de viver ou seguir com minha rotina. Quando chega nesse ponto acho que é hora de procurar tratamento com profissionais adequados.
No caso dos livros citados, a maioria eu li e gostei bastante. Gosto de livros com situações cotidianas, eu me coloco no lugar do personagem e fico me perguntando o que eu faria no lugar dele.
Especificamente, no caso de Willow, acho que eu procuraria ajuda profissional logo de cara, encarar uma situação dessas deve ser muito barra, mas gostaria de ler o livro para saber como ela contornou isso tudo e ver se eu faria ou não o que ela fez.