AS_MENTIRAS_DE_LOCKE_LAMORAScott Lynch
(5/5)
Editora Arqueiro
2014
463 páginas

Sinopse: O Espinho é uma figura lendária: um espadachim imbatível, um especialista em roubos vultosos, um fantasma que atravessa paredes. Metade da excêntrica cidade de Camorr acredita que ele seja um defensor dos pobres, enquanto o restante o considera apenas uma invencionice ridícula.
Franzino, azarado no amor e sem nenhuma habilidade com a espada, Locke Lamora é o homem por trás do fabuloso Espinho, cujas façanhas alcançaram uma fama indesejada. Ele de fato rouba dos ricos (de quem mais valeria a pena roubar?), mas os pobres não veem nem a cor do dinheiro conquistado com os golpes, que vai todo para os bolsos de Locke e de seus comparsas: os Nobres Vigaristas.
O único lar do astuto grupo é o submundo da antiquíssima Camorr, que começa a ser assolado por um misterioso assassino com poder de superar até mesmo o Espinho. Matando líderes de gangues, ele instaura uma guerra clandestina e ameaça mergulhar a cidade em um banho de sangue. Preso em uma armadilha sinistra, Locke e seus amigos terão sua lealdade e inteligência testadas ao máximo e precisarão lutar para sobreviver.

Opinião: Um dos melhores livros que li nos últimos tempos. Quem gosta de fantasia vai se deliciar com a leitura. Só sinto por não ter lido com mais calma, porque livros de fantasia devem ser saboreados com toda calma do mundo, capítulo por capítulo.
As mentiras de Locke Lamora conta a história de Locke Lamora, um menino órfão que é vendido para bandidos na cidade de Camorr e com eles aprende a roubar. Lamora tem uma imaginação incrível desde cedo e seus roubos são sempre elaborados e cheios de teatro.

- Correntes costumava falar que não havia liberdade igual à de ser constantemente subestimado – disse Locke.
P.144

Locke cresce e se torna Espinho, o chefe dos Nobres Vigaristas, um grupo de ladrões de Camorr, que tem o prazer de aplicar grandes golpes à nobreza da cidade.
Eu tentei encontrar semelhanças entre Locke e Robin Hood, mas tirando o fato de ambos roubarem dos ricos não encontrei nada demais. O que mostra o quão original é a obra.

Mas o tempo é um rio, Locke, e nós sempre o descemos mais rápido do que pensamos.
P. 251

A história é dividida em quatro livros, que são divididos em capítulos. Cada capítulo é dividido em trechos enumerados e também possui interlúdios. Nos interlúdios se passam fatos do passado, mostram como foi o crescimento de Locke e como ele conheceu e conviveu com os demais Nobres Vigaristas. A divisão dentro dos capítulos se passa no presente, mas mostra a história de diferentes ângulos.
O início da leitura não é simples, até compreender o modo como a narrativa é escrita e se adaptar ao estilo do leitor eu demorei umas 100 páginas. E confesso que a leitura só foi fluir mesmo depois da metade do livro, mas valeu muito à pena!!

Dizia-se que em Camorr a diferença entre comércio honesto e desonesto é que quando um comerciante honesto arruinava alguém, não tinham a cortesia de lhe cortar a garganta para encerrar o assunto
P.343

Mas depois que a história pega um ritmo e começa a fluir, ela é completamente envolvente e não dá vontade de parar de ler nem para ir ao banheiro!
O livro tem muita ação e mistério. E como é a história de ladrões que é contada, não faltam palavrões e palavras de baixo calão na narrativa.
Locke é carismático e toda vez que ele aprontava uma das suas eu lembrava do capitão Jack Sparrow de Piratas do Caribe. Acho que o carisma debochado o ar de maluco são bastante semelhantes entre os dois personagens.
Adorei o trabalho que a editora fez na diagramação do livro. A capa é linda e remete bem à história. Achei a fonte utilizada um pouco pequena, mas isso não atrapalhou em nada a leitura.
Os capítulos são bem divididos, iniciam-se em uma nova página (amo quando isso acontece) e gostei da simplicidade do miolo. Menos foi verdadeiramente mais aqui. Sem detalhes ou firulas a atenção do livro vai toda para a história (que é excelente por si só e não precisa de nenhum outro ingrediente para ser vendida).
Acho que já posso me considerar fã do autor e dizer que estou ansiosa pela continuação da série Nobres Vigaristas.

Mais um sorteio chega ao fim e eu gostaria de agradecer à participação de todos!
Vamos ao resultado…
polypop_sorteio_pascoa_resultado
Parabéns, Andreza!
Em até 60 dias envio o seu prêmio ^_^

O QUE HÁ DE PIOR NO MUNDO VIRTUAL?


Eu não consigo distinguir isso de “mundo virtual” e “mundo real”. Parece que o que acontece na internet não é de verdade e não é assim que a banda toca, não é mesmo?
A internet, o computador e as redes sociais são apenas meios da gente se comunicar com outras pessoas, que são reais, de carne e osso. Pelo menos, em todos esses anos usando a internet eu nunca conheci nenhum robô e ninguém que se relacionou com um robô. Atrás da tela todo mundo é uma pessoinha.
Apesar da discussão da semana não ser essa, quis fazer um pequeno adendo para mostrar minha opinião sobre o assunto.

FALSIDADE
Existe em todo lugar e parece que é mais fácil encontrar esse tipo de coisa no universo virtual apenas pelo fato da gente não poder ver ao vivo o ser que fala mal pelas costas e continua chamando de “amiga”.

COPYCAT
Passei a adolescência toda vendo esse tipo de coisa entre as blogueiras. Gente que copia o trabalho dos outros e não dá os devidos créditos me irrita. Custa falar que o trabalho foi feito por Fulano ou Beltrano? Cai o dedo se falar?
Além de ser feio é crime contra os direitos autorais.

VÍRUS
Não tem nada pior do que ter seu computador infectado por uma praga dessas e precisar formatar. Já perdi milhares de arquivos e fiquei dias sem computador por causa disso.

CYBERBULLYING
Nunca aconteceu comigo, mas já vi com algumas amigas. É triste ver a que ponto o ser humano consegue chegar. Usar a internet para perseguir e difamar outra pessoa é o cúmulo do ridículo.
Tudo isso por causa da falsa sensação de anonimato que temos ao usar um computador. Mas ainda bem que nada do que é postado na rede é anônimo, é possível sim identificar os idiotas que fazem isso.

GENTE CHATA QUE NÃO SABE USAR REDES SOCIAIS
Sabe aquele amigo que atualiza o Facebook a cada 5 minutos para postar uma inutilidade? Ou o que usa o Instagram para postar apenas mensagens de autoajuda?
Gente, vamos por favor aprender a usar cada rede social antes de criar uma conta? Ou se não sabe usar, não usa. Fica na sua, só observando.