A_MAIS_PURA_VERDADE

Livro: A mais pura verdade

A_MAIS_PURA_VERDADEDan Gemeinhart
(5/5)
Editora Novo Conceito
2015
219 páginas

Mark é uma criança que está fugindo de casa. Em sua bagagem ele leva seu cachorro Beau, uma máquina fotográfica, um caderno, uma caneta, dinheiro, poucas peças de roupa, equipamento de alpinismo e alguns alimentos.
Ele tem uma passagem de trem (só de ida) e dá pistas erradas sobre seu verdadeiro destino para que ninguém o impeça de chegar onde precisa ir.

- Essa será a maior caminhada de todas. Essa é a mais pura verdade.
P. 9

O livro possui capítulos curtos e são divididos entre capítulos e “meios capítulos”, por exemplo: capítulo 1 e capítulo 1 1/2. Nos capítulos “inteiros” a história é contada por Mark, em primeira pessoa, narrando sua aventura pelo mundo e nos capítulos “1/2″ vemos o que está acontecendo em sua casa, com sua família e amigos preocupados e a narrativa é em terceira pessoa. As situações acontecem concomitantemente e podemos entender melhor a história com essa divisão.

Mesmo a muitos quilômetros de distância,
um amigo ainda pode segurar sua mão
e estar ao seu lado.
P. 27

Mark tem o plano de escalar o Monte Rainier e ele quer fazer isso nem que seja a última coisa que ele faça. Escalar o monte e completar esse plano é o que mais importa para ele agora. Mark parece uma criança normal, ele tem um ótimo cachorro, uma melhor amiga chamada Jessie, gosta de fotografar e de escrever haicais e prometeu ao seu avô que iria escalar uma montanha.
Mas ele tem uma doença e precisaria ficar internado no hospital para tomar medicamentos e fazer o tratamento, mas se ele fizer isso agora pode ser que ele nunca cumpra a promessa de escalar a montanha, pois ele pode não se curar dessa doença.

Claro que eu estava sozinho. Mas eu tinha Beau ao meu lado. E um Beau valia mais que um mundo inteiro de solidão.
P. 63

Pode parecer uma história triste e fazendo uma análise posterior da leitura é sim triste, mas é uma leitura tão leve e gostosa que não tem carga alguma de tristeza nas linhas. Eu li o livro todo em uma noite. Peguei para ler alguns capítulos antes de dormir e quando percebi tinha terminado o livro.
Os capítulos e meio-capítulos são todos cheios de suspense e queremos saber logo o que vai acontecer com Mark, se ele vai conseguir chegar a seu destino, se sua família vai encontrá-lo, se Jessie vai contar sobre o plano dele…
São tantas possibilidades que eu não consegui dormir sem terminar de ler tudo e a leitura flui muito bem, sem perceber eu devorei tudo.
É um livro que fala de superação e amizade o tempo todo. Não de forma triste, ou de um modo meio “auto-ajuda”. É um garoto vivendo uma aventura ao lado de seu melhor amigo, sem dramas, sem medos, sem tragédias. Essa é a mais pura verdade.
Se trata dessas histórias fofas que a gente tem vontade de abraçar o livro e o protagonista (e o cachorro) ao término da leitura.
Eu não esperava nada da leitura e me surpreendi muito positivamente.
Além da ótima história e da capa linda, o miolo é perfeito. A demarcação dos capítulos é feita em páginas pretas com fontes brancas, com o título grande e centralizado e a distância que falta para Mark chegar ao seu destino em baixo. E os “meio” capítulos são em páginas brancas com fonte preta. O desenho da fenda na capa está presente em cada página que demarca os capítulos.
Ficou um trabalho muito bonito.
A única coisa que eu não gostei no livro foi o papel utilizado. Achei a qualidade um pouco inferior, tipo papel de jornal. Não gosto deste material porque as páginas amarelam e se desgastam muito rápido. Como é um livro para ficar na minha biblioteca pessoal sem muito manuseio, acho que não terei muitos problemas, mas prefiro páginas feitas com outro material.

ATE_VOCE_SER_MINHA

Livro: Até você ser minha

ATE_VOCE_SER_MINHASamantha Hayes
(5/5)
Editora Intrínseca
2015
352 páginas

Vi esse livro na Turnê Intrínseca e fiquei morrendo de vontade de ler. Amo livros de suspense e quando li a sinopse da história fiquei muito curiosa.
A princípio achei que o livro era uma versão do filme Grace, pois Claudia tenta a todo custo engravidar e ser mãe, mas Até você ser minha não tem a parte grotesca e as semelhanças acabam nessa parte das mulheres serem loucas para ser mães.
Claudia Morgan-Brown é uma assistente social que sempre soube que sua vocação era ser mãe. Desde pequena este era o seu maior sonho. Após várias perdas e tentativas frustradas de gestação, Claudia fica radiante ao saber que está grávida de uma menina. É o seu sonho se tornando realidade.
Ela é casada com James, um oficial da marinha e madrasta de dois meninos Oscar e Noah, filhos gêmeos do primeiro casamento do homem. A família está prestes a se tornar completa com a chegada da menininha de Claudia, mas a preocupação deles é como a mulher dará conta de cuidar de um bebê recém-nascido e duas crianças, já que James passa semanas (e meses) fora de casa por causa do trabalho.
Como James está prestes a partir novamente e a data do parto se aproxima, eles decidem contratar uma babá.
A escolha do casal foi Zoe Harper, uma mulher com ótimas recomendações que logo conquista a atenção dos gêmeos e acaba se mudando de vez para o lar da família.
Claudia começa a suspeitar das intenções da babá e a história fica bem aterrorizante quando uma série de ataques a grávidas começa a acontecer na cidade. Geralmente o ataque acontecia a grávidas pouco tempo antes delas irem para o hospital ter o bebê. O psicopata fazia um corte totalmente errado na barriga e deixava a mulher sangrando.
O livro vai colocando todas as pistas para duvidarmos e termos medo de uma pessoa, mas no meio do caminho as provas acabam sendo invertidas e passamos a duvidar de outro personagem (e não posso falar mais que isso ou estarei soltando muitos spoilers).
É um livro intenso, cheio de reviravoltas.
Um thriller espetacular e de tirar o fôlego!
A narrativa prende do início ao fim e foi uma luta para eu deixar o livro de lado e ir dormir.
Ah sim! Teve outros momentos da história que eu também lembrei do filme A mão que balança o berço. Mas garanto que o livro não tem nada a ver com Grace ou com a mão que balança o berço.
Foi o primeiro e-book pelo iBook (os outros que li foram pelo Bluefire) e eu gostei mais desse formato. Só me decepcionei com o preço, o valor do e-book é exatamente o mesmo de um livro físico. E entre pagar por um livro físico e um e-book eu prefiro mil vezes a primeira opção. Uma pena porque se a diferença de preços fosse relevante eu compraria muitos livros para deixar no iPad e ler antes de dormir (levantar para apagar a luz do quarto ou ler com abajur não são situações agradáveis).

Livro: Eu fico loko

eu fico lokoChristian Figueiredo de Caldas
(3/5)
Editora Novo Conceito
2015
160 páginas

Desculpa por parecer leiga, mas quem é o Chris? Juro que eu só fui tomar conhecimento da criatura por causa do livro. E o cara é um dos YouTubers mais famosos. Se você também não o conhece toca aqui que estamos velhos o/
Então, até este exato momento eu nunca tinha visto nenhum vídeo do cara no YT, fui procurar para aprimorar minha resenha e obviamente em nenhum dos universos paralelos eu veria um vídeo do canal Eu fico loko. Não por ser ruim, mas por não ser condizente com minha faixa etária.
Quando eu li o livro eu saquei que era um livro para adolescentes e imaginei que o público alvo do canal do cara deveria ser adolescente (e é muito adolescente para o meu gosto).
Mas deixando os méritos do canal para quem entende melhor de YT que eu, vamos ao livro… Em primeiro lugar, nota 10 para a editora pelo ótimo trabalho gráfico. O livro ficou lindo! Um estilo bem despojado, com diferentes tipos de fontes, fotos e imagens, uma narrativa de fácil leitura, fininho, perfeito para adolescentes.
A forma como o Chris contou sua vida também foi bem interessante. De forma bem humorada ele contou alguns fatos de sua vida, no formato de crônicas/memórias, uma autobiografia bem divertida.
Todas as histórias com temática adolescente. Situações que todo adolescente passou ou vai passar um dia, primeiro beijo, primeiro porre, primeira transa…
A linguagem utilizada é bem jovem, com uso de gírias e alguns palavrões, alguns fatos que ele narrou foram realmente hilários de se ler e parece que ele é assim em seus vídeos (mas eu não tive paciência de assistir nenhum até o fim).
Apesar de ser um livro com bom trabalho gráfico, cheio de imagens e linguagem acessível eu não gostei. Pode até parecer que ele tentou dar um “conselho às avessas”, mostrando que o que ele fez foi errado e que o jovem não deve repetir o erro, mas para mim isso não colou.
Ele é um formador de opinião e acho que algumas coisas não deveriam ser escritas, principalmente quando estamos lidando com o público adolescente.
A linguagem informal demais também me incomodou. Acho que no papel devemos ser um pouco mais sérios e não é preciso falar palavrões ou gírias para contar uma história engraçada.
Eu gosto de livros adolescentes e mesmo quando eu não me identifico com o livro eu costumo me lembrar de alguém ou indicar para alguém, mas neste caso específico eu não consegui me identificar ou identificar alguém próximo a quem eu indicaria o livro.
Se alguém acompanha o canal e gosta do Chris o livro é uma boa forma de se aproximar dele e conhecer um pouco mais do Lokão.