E. L. James
(4/5)
Editora Intrínseca
2012
455 páginas

Sinopse: Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja.
Opinião: Parabéns à Intrínseca pelo excelente trabalho de divulgação! Depois de ler não sabia porque cargas d’água esse livro se tornou um best-seller, mas depois de ver as resenhas no Skoob, percebi que só pode ser pela divulgação.
O livro foi inspirado numa fan fic de Crepúsculo. E depois de saber desse fato tudo se tornou mais claro para mim.
Ana é uma menina tímida, ingênua e desastrada. Ela vai entrevistar Christian Grey à pedido da amiga e inicialmente odeia todo autoritarismo do rico empresário.
O que não dá para entender é que o homem se apaixona por ela, e chega à ponto de procurá-la no trabalho.
Como todo mundo sabe que se trata de um livro erótico, a gente fica lendo e esperando sexo, então acho que a maior parte da tensão sexual que existe no livro é fruto da nossa expectativa por sexo, que ainda demora a acontecer, diga-se de passagem.
O livro não é ruim, eu devorei numa tarde e devoraria os outros dois com a mesma velocidade, mas algumas coisas são meio perdidas.
Achei que por ser um livro e escrito por uma mulher as partes sexuais fossem mais elaboradas e não tanto “contos eróticos que o Marcelinho lê”.
Um exemplo disso é que a Ana é uma menina de 22 anos virgem, completamente inexperiente (ela só beijou dois homens na vida), romântica ao extremo, mas ela fica tão seduzida pelo Christian Grey que aceita transar com ele sabendo que o cara só sexo, nada além de sexo. Ela não é enganada e levada para cama, eles conversam e na boa ela aceita ir para o quarto com ele para resolver o “problema” da virgindade. Como se perder o hímen fosse o mesmo que obturar um dente.
Acho que perdi alguma coisa, mas não me lembro de ter visto na vida meninas românticas e virgens indo para cama com o primeiro que aparece para fazer sexo selvagem.
Mas tirando detalhes assim, o livro é bom. Nunca tinha lido um livro erótico, então não tenho com o que comparar, mas no geral não o achei ruim.