André Vianco
Editora Novo Século
(3/5)
Sinopse: Um anjo perseguido, para não ser destruído, possui o corpo de um ser humano agonizante. Assim, o anjo quebra uma regra sagrada que dá direito aos demônios de evocarem uma guerra desigual que poderá desencadear a destruição de todos os anjos de luz da terra.
Agora, os dois exercitos estão furiosos, transformando as tranquilas pastagens de belo verde num funesto campo de batalhas onde espadas que parecem chamas, e olhos que parecem brasas, darão o tom nesta misteriosa aventura sobrenatural, repleta de batalhas, mergulhadas no mundo dos anjos, dos vampiros e dos demônios.

Opinião: Comecei a ler durante meu horário de almoço entre uma aula e outra e me assustei por ler 50 páginas na hora.
Adoro as narrações do Vianco, elas fluem muito bem!
O livro começa falando da vida do traficante Gregório que sonha em conseguir vender uma grande quantia de droga e voltar para sua cidade natal no interior.
Durante uma negociação mal sucedida Gregório é bastante ferido e tem seu corpo “possuído” pelo anjo Thal, que sofreu um golpe das forças negras e está prestes a ser destruído.
Gregório aparece misteriosamente no meio da plantação da fazenda do seu irmão Samuel, na cidade de Belo Monte e adquire poderes especiais quando entra em contato com a água da chuva.
Após o aparecimento de Gregório “coisas estranhas” passam a acontecer na cidade. Tudo isso porque os demônios descobrem o que o anjo Thal fez e travam a Batalha Negra.
Nessa grande batalha, segundo as regras universais, nem Deus e nem o Diabo podem intervir. Caso os anjos percam, eles perderão a luz e passarão para o lado das trevas, que aterrorizarão a humanidade levando embora suas almas e transformando as pessoas em vampiros.
Como Thal e Gregório estão no mesmo corpo, o anjo só pode deixar o corpo de Gregório quando este está dormindo. Então, durante a noite o anjo passa a visitar pastores e religiosos a fim de que eles ajudem na batalha fazendo orações para fortalecer o exército da luz.
As trevas também buscam forças para o lado do mal requisitando todo tipo de mal elemento para celebração de cultos satânicos.
O clímax do livro é no dia da batalha, no qual o maior desafio é deixar Gregório adormecido enquanto Thal luta no céu.
Eu demorei muito para ler esse livro, pois coloquei na minha cabeça que só o leria novamente depois que terminasse de decorar as falas da peça e isso me tomou algumas semanas.
Fiquei bastante curiosa vendo faltar tão poucas páginas para ler e sem poder terminar o livro para não quebrar minha promessa pessoal.
Não é um dos melhores livros do Vianco. A leitura flui perfeitamente e em condições normais eu teria lido em uns 2 dias no máximo.
Achei algumas cenas um pouco perdidas, como a transformação dos humanos em vampiros. Quando se perde a alma para as treves os homens se transformam em vampiros?! Não fez muito sentido, ainda mais sendo um livro do Vianco.
O final eu achei muito repentino. Algumas coisas ficaram sem respostas. Seria a deixa para uma continuação?!
No mais, o livro segue o estilo do André Vianco, mesmo falando sobre anjos, demônios e coisas fantásticas não é de assustar nem de provocar pesadelos.