A_LISTACecelia Ahern
(5/5)
Editora Novo Conceito
2015
384 páginas

Kitty Logan é uma jornalista de 32 anos que acabou de perder o emprego na televisão, o namorado a deixou e sua mentora e amiga está com câncer em estado terminal.
Mas sua vida está prestes a mudar. Antes de morrer Constance deixa para Kitty sua última reportagem: uma lista com 100 nomes.
Kitty deve pegar essa lista e escrever a melhor reportagem de todos os tempos em duas semanas. A reportagem será a principal de uma revista que homenageará Constance e o tempo está correndo contra Kitty.
Quem são aquelas pessoas? Como encontrá-las? Qual a relação entre elas? Por que Constance as escolheu para uma reportagem?
Kitty começa a trabalhar imediatamente e tenta relacionar as pessoas. Ela consegue entrar em contato com 6 pessoas da lista e começa a conversar com elas e saber mais de suas vidas e o que elas podem ter em comum.
De início eu achei que por ser protagonista, Kitty teria um destaque maior na obra e sua história, ou seja sua investigação sobre os nomes, seria o foco do livro, mas não é assim que acontece.
Os nomes da lista passam a se tornar tão importantes quanto Kitty e suas histórias têm lugar de destaque.
Terminei de ler há 3 dias e ainda estou encantada com tudo. A princípio parece uma chick-lit comum, com uma protagonista desajeitada que acabou com sua vida e está perdida sem saber o que fazer, mas quanto mais os capítulos vão passando mais vamos entendendo a verdadeira mensagem e é impossível não se emocionar.
Bem típico da Cecelia proporcionar esse tipo de sentimento e transmitir tanta magia com as palavras.
O livro é bem diferente e muito mais complexo do que a sinopse indica.
Todo mundo tem uma história para contar, todas as histórias são interessantes, todas as pessoas são importantes.
A conexão que Kitty faz com as pessoas é incrível e confesso que fiquei com os olhos marejados no final.
Adoro o trabalho da Cecelia Ahern e acho que ela conseguiu se superar com A lista. Uma excelente história, com uma ideia bem simples.
A capa ao vivo é linda. É branca com prata (não cinza como parece) e lilás. Fica uns reflexos bonitos na luz. O miolo é simples, mas a fonte utilizada facilita a leitura, bem como as páginas amareladas.
Um dos melhores livros que eu li esse ano e, com certeza, o melhor livro da Cecelia.