Chico Anes
(5/5)
Novo Conceito
2012
304 páginas

Sinopse: Dra. Eva Abelar, autoridade mundial em sonhos lúcidos, é informada de que seu filho, Joachim, uma criança autista, desaparece na mesma noite em que sua irmã, Anna, pula do 20º andar de um edifício em São Paulo. Anna era a principal cientista do projeto DreamGame, invento revolucionário que permite à pessoa jogar enquanto dorme. Eva é convidada por Yume a assumir o lugar da irmã e, à procura de respostas, se envolve em uma trama perigosa, que alcança os limites dos desejos inconscientes do homem. Enquanto usa seus conhecimentos para desvendar a morte de Anna e reencontrar Joachim, Eva descobre o quanto a sociedade está vulnerável à tecnologia e aos estímulos subliminares, e como esses estímulos podem sequestrar a liberdade e extinguir o livre-arbítrio.

Opinião: Por ser um título do selo Jovem da Novo Conceito achei que esse seria um livro no estilo dos outros já lançado. Com personagens mais jovens (ou adolescentes) e uma história envolvendo o universo jovem.
Quando peguei o livro e li a sinopse, já me surpreendi, mas comecei a ler sem muita pretensão. Logo nas primeiras páginas já dá para perceber o tom de mistério do livro e ele é tão dinâmico que não dá vontade de parar de ler.
Assim que descobri o que eram os sonhos lúcidos, pela leitura do livro, fiz uma pesquisa no Google para entender um pouco mais a respeito e fiquei ainda mais fissurada na leitura, pois queria entender o desenrolar da história envolvendo o tema.
Para minha felicidade, a história foi muito bem desenvolvida e a narrativa do Chico Anes é tão boa que nos prende do início ao fim. Essa história de sonhos lúcidos e o funcionamento da mente humana é uma temática que me atrai bastante e mesmo após parar a leitura continuava pensando a respeito da história e em seus desdobramentos.
Até me interessei a pesquisar mais sobre os sonhos e descobri que desde criança tenho sonhos lúcidos. Óbvio que eu não sabia que eram assim chamados (só esses dias), mas eu sempre pratiquei. Lembro que quando eu tinha uns 8 ou 9 anos eu escrevi no meu primeiro diário como se fazia para sonhar com o que eu quisesse. E meu método era infalível, usei por tanto tempo que cansei de “manipular” meus próprios sonhos e deixei a coisa toda fluir. Mas isso não quis dizer que eu parei de ter sonhos lúcidos, até hoje ainda os tenho, numa frequência até razoável para quem não faz nada para provoca-los. Sabe aquela coisa de no meio do sonho você parar e pensar: “estou sonhando, quero que seja assim e assado agora” e então a história segue o rumo que você quer? Esses são os sonhos lúcidos, eu faço isso e eu não devo ser muito normal.
Bom, tem até umas dicas no livro sobre como fazer para ter sonhos lúcidos, acho que vale à pena tentar exercitar, pelo menos por curiosidade, é uma experiência legal. Só tomem cuidado para não serem manipulados.
PS: ainda acho que o livro não deveria ser encaixado na categoria “jovem”.

E ainda falando de livros da Novo Conceito

Vou realizar o primeiro sorteio dos livros no próximo dia 31. Só ir lá na page do Polypop e participar (clique na aba promoções e em seguida em “quero participar”)